Exportar registro bibliográfico

Composição corporal em jovens e idosos avaliada por diluição isotópica: empregos de baixas doses de Oxigênio 18 e amostras do ar expirado (2010)

  • Autores:
  • Autor USP: OLIVEIRA, EDUARDO BORGES DE - FMRP
  • Unidade: FMRP
  • Sigla do Departamento: RCM
  • Assuntos: COMPOSIÇÃO CORPORAL; OXIGÊNIO; ESPECTROMETRIA DE MASSAS; IDOSOS
  • Idioma: Português
  • Resumo: A técnica da diluição isotópica com deutério e oxigênio 18 (‘ANTPOT.18 O’) para estimativa da quantidade de água corporal total (ACT) e avaliação da composição corporal se baseia na analise por espectrometria de massa do incremento (enriquecimento) das concentrações destes átomos nos espaços hídricos do organismo após administração oral de doses precisas conhecidas dos mesmos. Apesar de mais caro e por isso menos utilizado, o uso do ‘ANTPOT.18 O’ confere vantagens metodológicas a ainda o potencial, ainda pouco estudado, de ser executada detectando-se seu enriquecimento no ‘CO IND2’ de amostras do ar expirado. Como o envelhecimento e acompanhado de mudanças na fisiologia respiratória, e possível que as mesmas interfiram na determinação da ACT pelo ar expirado. O presente estudo comparou com os resultados obtidos pela diluição de deutério (padrão-ouro), em adultos jovens e idosos: a fisiologia do enriquecimento e equilíbrio do ‘ANTPOT.18 O’ após sua ingestão oral em baixas doses no plasma, sangue, saliva e ar expirado; a precisão e a aplicabilidade da estimativa da ACT analisando o enriquecimento do ‘ANTPOT.18 O’ em amostras do ar expirado. Ineditamente, estas amostras foram obtidas por técnica expressivamente simplificada, sem separação do vapor e coletadas diretamente no tubo de análise espectrométrica; nas mesmas doses. Foram selecionados 18 voluntários saudáveis, divididos em dois grupos: Controle (C), composto por 10 indivíduos jovens (20 a 30 anos); Idosos (I), composto por 8 indivíduos com mais de 60 anos. No dia do experimento cada um recebeu, na mesma diluição, deutério e ‘ANTPOT.18 O’, respectivamente nas doses de 125 mg e 25 mg por quilograma de ACT estimada por impedância bioelétrica (BIA). Foram colhidas amostras de sangue, saliva e ar expirado, para a determinação da concentração basal (pré-dose) e nos tempos 60, 120, 180 e240 minutos apos a ingestão. Para o cálculo da ACT assumiu-se como enriquecimento a diferença de concentração da média dos três últimos tempos com a basal. Calculando-se o coeficiente de St. Laurent, houve concordância significativa entre o padrão ouro (deutério plasma) e cada um dos demais métodos utilizados, em ambos os grupos (SAS/STAT). Analisando-se as médias das porcentagens de ACT obtidas pelos diversos métodos (deutério: plasma 48,6 ± 5, saliva 48,5 ± 6,1;‘ANTPOT.18 O’: plasma 47,3 ± 5,3, saliva 47,3 ± 7, ar expirado 47,6 ± 5,6), não foram observadas diferenças significativas entre eles, em ambos os grupos (ANOVA, SPSS, significância 5%). Concluiu-se: a estimativa da composição corporal empregando ‘ANTPOT.18 O’ em baixas doses é método viável e preciso, tanto utilizando-se o ar expirado bruto coma fluidos clássicos (sangue e saliva); a nova técnica de coleta e análise do ar expirado confere vantagens metodológicas e menor demanda de recursos laboratoriais e humanos em relação aos métodos tradicionais, facilitando assim estudos de campo da composição corporal
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 15.06.2010

  • Como citar
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      OLIVEIRA, Eduardo Borges de; FERRIOLLO, Eduardo. Composição corporal em jovens e idosos avaliada por diluição isotópica: empregos de baixas doses de Oxigênio 18 e amostras do ar expirado. 2010.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2010.
    • APA

      Oliveira, E. B. de, & Ferriollo, E. (2010). Composição corporal em jovens e idosos avaliada por diluição isotópica: empregos de baixas doses de Oxigênio 18 e amostras do ar expirado. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Oliveira EB de, Ferriollo E. Composição corporal em jovens e idosos avaliada por diluição isotópica: empregos de baixas doses de Oxigênio 18 e amostras do ar expirado. 2010 ;
    • Vancouver

      Oliveira EB de, Ferriollo E. Composição corporal em jovens e idosos avaliada por diluição isotópica: empregos de baixas doses de Oxigênio 18 e amostras do ar expirado. 2010 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Biblioteca Digital de Produção Intelectual da Universidade de São Paulo     2012 - 2021