Exportar registro bibliográfico

Polimorfismos dos genes XRCC1 e XRCC3 e a resposta aos danos induzidos no DNA pelo otoposido em pacientes co câncer de mama (2008)

  • Authors:
  • Autor USP: TEIXEIRA, ANA CLAUDIA - FMRP
  • Unidade: FMRP
  • Sigla do Departamento: RGE
  • Subjects: NEOPLASIAS MAMÁRIAS; POLIMORFISMO; DANO AO DNA; GENÉTICA
  • Language: Português
  • Abstract: Apesar de intensivos estudos e substanciais progressos no entendimento dos fatores de risco e suscetibilidade ao câncer de mama (CM), esta neoplasia permanece como importante causa de morte entre mulheres. Idade, história familiar, menarca precoce, menopausa tardia, ocorrência da primeira gravidez após os 30 anos e da nuliparidade constituem fatores de risco. Além disso, polimorfismos nos genes envolvidos no reparo de danos no DNA, como os genes XRCC1 e XRCC3, podem contribuir para o aumento da suscetibilidade ao CM. Os objetivos do presente.. trabalho foram avaliar pelo Teste do MN e Ensaio Cometa os danos basais e a resposta celular aos danos induzidos, in vitro, no DNA pelo quimioterápico Etoposido em pacientes com CM, virgens de qualquer tipo tratamento e em mulheres saudáveis utilizadas como controles e além disso, estabelecer as freqüências dos polimorfismos nos genes XRCC1 e XRCC3 na amostra de pacientes com CM e em mulheres saudáveis e associação destes dois polimorfismos com a suscetibilidade ao CM. No Teste do MN, foi observada uma sensibilidade maior do grupo de pacientes aos danos induzidos pelo Etoposido. O Ensaio Cometa mostrou que pacientes e mulheres saudáveis respondem de modo semelhante ao tratamento com o Etoposido. Também foi observado que pacientes acima de 45 anos apresentaram um grau maior de sensibilidade aos danos induzidos pelo Etoposido na concentração de 25 µM quando comparadas com pacientes abaixo de 45 anos avaliadas noEnsaio Cometa. Quanto ao hábito tabagista, este se mostrou um fator de contribuição ao aumento de sensibilidade a indução de danos pelo Etoposido no Ensaio Cometa no grupo de mulheres saudáveis, para os tratamentos com esta droga nas concentrações de 10 e 25 µM. Na análise molecular, o alelo variante 241Met do gene XRCC3 mostrou-se mais freqüente no grupo de pacientes tanto na amostra estudada na análise citogenética quanto na amostra estudada na análise molecular, sugerindo uma diminuição da capacidade de reparo destas pacientes, o que poderia conferir um risco aumentado ao CM. Quanto ao hábito tabagista, somente as pacientes não fumantes, portadoras do alelo 241Met do gene XRCC3, possuem um risco aumentado para o CM. Não foi encontrada associação do polimorfismo Arg399Gln do gene XRCC1 com o risco ao CM mesmo quando associado à fatores de risco como hábito tabagista e a presença de familiares com câncer
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 17.10.2008

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      TEIXEIRA, Ana Claudia; TAKAHASHI, Catarina Satie. Polimorfismos dos genes XRCC1 e XRCC3 e a resposta aos danos induzidos no DNA pelo otoposido em pacientes co câncer de mama. 2008.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2008.
    • APA

      Teixeira, A. C., & Takahashi, C. S. (2008). Polimorfismos dos genes XRCC1 e XRCC3 e a resposta aos danos induzidos no DNA pelo otoposido em pacientes co câncer de mama. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Teixeira AC, Takahashi CS. Polimorfismos dos genes XRCC1 e XRCC3 e a resposta aos danos induzidos no DNA pelo otoposido em pacientes co câncer de mama. 2008 ;
    • Vancouver

      Teixeira AC, Takahashi CS. Polimorfismos dos genes XRCC1 e XRCC3 e a resposta aos danos induzidos no DNA pelo otoposido em pacientes co câncer de mama. 2008 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020