Exportar registro bibliográfico

Estudo funcional de um locus de regeneração (Rg1) vindo de Solanum peruvianum, uma espécie selvagem relacionada ao tomateiro (2008)

  • Autores:
  • Autor USP: LOMBARDI, SIMONE PACHECO - ESALQ
  • Unidade: ESALQ
  • Sigla do Departamento: LCB
  • Assuntos: CULTURA DE TECIDOS; FISIOLOGIA VEGETAL; HORMÔNIOS VEGETAIS; MORFOGÊNESE VEGETAL; MUTAÇÃO GENÉTICA; TOMATE
  • Idioma: Português
  • Resumo: A regeneração in vitro é bastante utilizada em processos biotecnológicos. No entanto, pouco se conhece sobre os mecanismos envolvidos na aquisição de competência para formação de novos órgãos. Em tomateiro (S. Lycopersicum), a alta capacidade de regeneração in vitro é atribuída ao alelo Rg1, vinda de Solanum peruvianum, que está presente na cv MsK (S. Lycopersicum x S. peruvianum). Os genes de nanismo da cv Micro-Tom (MT) foram passados para MsK, obtendo-se, após 8 gerações de autofecundação (F8), a cv Micro-MsK. No presente estudo, após 6 gerações de retrocruzamentos (BC6Fn), criou-se MT-Rg1, com Rg1 isogênico a MT. Testes de regeneração in vitro mostraram que a formação de gemas caulinares adventícias para MT-Rg1 e Micro-MsK são equivalentes, evidenciando que a alta capacidade de regeneração de Micro-MsK é basicamente devido ao Rg1. Plantas MT Rg1 apresentam freqüente formação de 3 cotilédones, excesso de ramificações caulinares e senescência atrasada, características ausentes nos parentais. Esses efeitos pleiotrópicos de Rg1 coincidem com aqueles descritos para alterações no hormônio citocinina. Testes de sensibilidade à citocinina e de tempo de senescência realizados por nós, bem como dosagem desse hormônio feita por outras equipes, descartaram essa hipótese. Enxertias recíprocas evidenciaram que a promoção da ramificação caulinar por Rg1 não é um sinal translocável, mas parece ser uma característica intrínseca do tecido. Rg1 também promoveu uma maiorformação de raízes adventícias em estacas ex vitro, sugerindo que ele afeta o processo de competência para formação de órgãos em geral, e não somente a indução específica de gemas caulinares Duplos mutantes entre Rg1 e mutantes com alteração na sensibilidade/metabolismo hormonal (dgt, brt e pro), ausência de ramificações caulinares (Is) e senescência acelerada (I) foram obtidos e testados quanto ao padrão de ramificações e à capacidade de regeneração in vitro. Além desses parâmetros, a presença de Rg1 suprimiu o fenótipo de folhas pouco recortadas do mutante hipersensível a giberelina (pro) e recuperou o sistema radicular pouco desenvolvido do mutante com baixa sensibilidade à auxina (dgt). Rg1 também foi capaz de reverter a ausência de ramificações laterais de Is, sendo que a mutação Me, o qual representa uma superexpressão de um gene do tipo KNOX, não foi capaz. Esse resultado sugere que Rg1 não é um gene do tipo KNOX, embora esses genes sejam considerados os principais controladores da competência. Analisando diferentes tipos de explantes em experimentos independentes, contatou-se que, em geral, as mutações brt (baixa sensibilidade a citocinina), dgt e Is diminuíram a capacidade de regeneração de Rg1, enquanto /aumentou. Rg1 mostrou-se particularmente epistático à mutação pro, revertendo o fenótipo de baixa formação de gemas caulinares desse mutante. Surpreendentemente, Rg1 provou ser mais sensível à auxina em testes de alongamento de segmentos dehipocótilos, sendo capaz de reverter o fenótipo do mutante dgt nesse mesmo teste. Em conjunto, esses resultados confirmam o papel de Rg1 na fase de aquisição da competência e sugerem uma interação dos hormônios giberelina e auxina nesse processo
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 09.05.2008
  • Acesso à fonte
    Como citar
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      LOMBARDI, Simone Pacheco; PERES, Lázaro Eustáquio Pereira. Estudo funcional de um locus de regeneração (Rg1) vindo de Solanum peruvianum, uma espécie selvagem relacionada ao tomateiro. 2008.Universidade de São Paulo, Piracicaba, 2008. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11144/tde-22072008-161223/ >.
    • APA

      Lombardi, S. P., & Peres, L. E. P. (2008). Estudo funcional de um locus de regeneração (Rg1) vindo de Solanum peruvianum, uma espécie selvagem relacionada ao tomateiro. Universidade de São Paulo, Piracicaba. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11144/tde-22072008-161223/
    • NLM

      Lombardi SP, Peres LEP. Estudo funcional de um locus de regeneração (Rg1) vindo de Solanum peruvianum, uma espécie selvagem relacionada ao tomateiro [Internet]. 2008 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11144/tde-22072008-161223/
    • Vancouver

      Lombardi SP, Peres LEP. Estudo funcional de um locus de regeneração (Rg1) vindo de Solanum peruvianum, uma espécie selvagem relacionada ao tomateiro [Internet]. 2008 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11144/tde-22072008-161223/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

Biblioteca Digital de Produção Intelectual da Universidade de São Paulo     2012 - 2020