Exportar registro bibliográfico

Contribuições da copa da inclusão para a consolidação do campo psicossocial (2007)

  • Autores:
  • Autores USP: CASSANDRI, JOSÉ LUIZ - EE
  • Unidades: EE
  • Sigla do Departamento: ENP
  • Assuntos: ENFERMAGEM EM SAÚDE MENTAL COMUNITÁRIA; SERVIÇOS DE SAÚDE MENTAL; TRABALHO (PROCESSOS); DESINSTITUCIONALIZAÇÃO
  • Idioma: Português
  • Resumo: Esta é uma pesquisa qualitativa cujo objeto de estudo é a Copa da Inclusão, mais precisamente a ação dos trabalhadores na Copa da Inclusão (seus processos de trabalho), o sentido do seu saber e do seu fazer, buscando compreender se tal ação leva em consideração a complexidade do objeto de intervenção, ou seja, a vida real do usuário de serviços de saúde mental. Tem a finalidade de contribuir para a efetivação e consolidação da Reforma Psiquiátrica brasileira e do campo psicossocial, por isso se propôs os seguintes objetivos: a) Caracterizar o perfil profissional do trabalhador responsável pela organização da Copa da Inclusão; b) Compreender seus processos de trabalho na Copa da Inclusão; c) Analisar se estes processos de trabalho produzem transformações no cotidiano do serviço. O cenário de estudo é a Copa da Inclusão. Participam deste estudo seis sujeitos, trabalhadores responsáveis pela coordenação das atividades relacionadas à Copa da Inclusão em seis serviços da Prefeitura Municipal de São Paulo (um Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas - CAPS AD -, quatro Centros de Atenção Psicossocial II - CAPS II - e um Centro de Convivência e Cooperativa - CECCO). Os dados empíricos foram coletados por meio de entrevista semi-estruturada e analisados segundo a técnica de análise de enunciação. Os resultados apontam importantes transformações na vida dos usuários coerentes com as finalidades dos processos de trabalho definidas a priori pelos trabalhadores,ou seja, ampliação da rede social, desenvolvimento da autonomia, melhoria na qualidade de vida e resgate da cidadania dos usuários. Também é possível verificar que os instrumentos utilizados (pessoais, institucionais e intersetoriais), estão adequados para atingir tais finalidades. Além disso, existe coerência na eleição do objeto de trabalho, considerado uma pessoa ativa na construção de sua cidadania. As ) transformações na vida dos serviços confirmam que na relação dialética entre os meios de trabalho (instrumentos) e os objetos de trabalho ambos são transformados, ou seja, de um lado o objeto passa a apresentar demandas mais complexas, por outro lado o serviço é convocado a desenvolver instrumentos de intervenção mais sofisticados. Tais transformações dizem respeito à ampliação das ações do serviço no território, maior entrosamento entre os trabalhadores dos serviços possibilitando o trabalho em equipe com características interdisciplinares, organização e planejamento das ações de saúde relacionadas à Copa, mudança no papel (poder) do trabalhador na relação com os outros trabalhadores e com os usuários e a incorporação de novos atores com seus saberes no campo psicossocial. As transformações na vida da sociedade, relacionadas à cultura e imaginário coletivo sobre a loucura, apontam para uma maior participação de pessoas da comunidade nas atividades relacionadas à Copa e a diminuição do estigma social da loucura, fruto das atividadespreparatórias da Copa da Inclusão. A Copa da Inclusão prova que as atividades intersetoriais com a participação da comunidade são um trabalho vivo em ato, utiliza instrumentos de intervenção potentíssimos no resgate e construção da cidadania das pessoas portadoras de transtornos mentais. As transformações (finalidades dos processos de trabalho), neste caso, podem estar ocorrendo porque o projeto de intervenção não é mais centrado na doença, ou seja, o objeto de trabalho destes serviços foi ampliado e complexificado. Por fim, conclui-se que à medida que os trabalhadores (força de trabalho), frente às dificuldades para a realização de seus processos de trabalho, mobilizam-se para superá-las, criam meios para a consolidação do modelo de atenção psicossocial e superação do modelo asilar. O trabalhador necessário ao campo psicossocial é ) aquele que tem consciência práxica do seu fazer, é aquele que produz e reproduz conhecimentos com a finalidade clara de transformar as realidades
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 22.05.2007
  • Acesso à fonte
    Como citar
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      CASSANDRI, José Luiz; ARANHA E SILVA, Ana Luisa. Contribuições da copa da inclusão para a consolidação do campo psicossocial. 2007.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/7/7134/tde-12062007-110332/ >.
    • APA

      Cassandri, J. L., & Aranha e Silva, A. L. (2007). Contribuições da copa da inclusão para a consolidação do campo psicossocial. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/7/7134/tde-12062007-110332/
    • NLM

      Cassandri JL, Aranha e Silva AL. Contribuições da copa da inclusão para a consolidação do campo psicossocial [Internet]. 2007 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/7/7134/tde-12062007-110332/
    • Vancouver

      Cassandri JL, Aranha e Silva AL. Contribuições da copa da inclusão para a consolidação do campo psicossocial [Internet]. 2007 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/7/7134/tde-12062007-110332/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Biblioteca Digital de Produção Intelectual da Universidade de São Paulo     2012 - 2020