Exportar registro bibliográfico

Composição e distribuição da macrofauna bêntica num gradiente de salinidade e contaminação orgânica na Enseada de Ubatuba, SP, Brasil (2004)

  • Autores:
  • Autor USP: FERREIRA, JULIANA AURELIANO - IO
  • Unidade: IO
  • Sigla do Departamento: IOB
  • Assunto: BENTOS
  • Idioma: Português
  • Resumo: A fauna bêntica vem sendo utilizada na descrição ecológica de áreas impactadas por poluição orgânica, em programas de monitoramento ambiental e pesquisa dos efeitos de atividades antrópicas em ambientes marinhos. A Enseada de Ubatuba, como todo ambiente raso, está sujeita ao lançamento de esgotos domésticos e, devido ao seu caráter de semi-confinamento, há uma grande tendência ao acúmulo de materiais. Portanto, grande parte dos poluentes se integram ao substrato, alterando a composição faunística da macrofauna e dos foraminíferos. No presente trabalho, a comunidade bêntica foi representada pela macrofauna total e pelos foraminíferos. Estudou-se a fauna bêntica visando (1) analisar a influência do gradiente de salinidade e de contaminação orgânica, causada por esgotos domésticos, sobre a estrutura das comunidades macrofaunais; e (2) verificar a relação existente entre o padrão de distribuição da macrofauna e dos foraminíferos, face ao ambiente contaminado. O material foi obtido em 7 pontos no interior da Enseada de Ubatuba e em 3 rios que nela desembocam, durante 6 meses, no período hidrologicamente mais homogêneo e sem a influência da Água Central do Atlântico Sul (ACAS). Foram encontradas as espécies de poliquetos Mediomastus californiensis, Owenia cf. fusiformis, Myriochele heeri e Spiochaetopterus nonatoi, características de áreas impactadas por contaminação orgânica. As comunidades bênticas mostraram estar distribuídas de acordo com um gradiente desalinidade, caracterizando uma área estuarina, uma região interna próxima à costa e uma área externa de salinidade oceânica. A análise de agrupamento em modo-Q indicou a formação de dois grupos de estações, revelando a influência da granulometria, salinidade, profundidade e matéria orgânica tanto na porção interna da enseada, quanto na mais externa. O agrupamento em modo-R indicou a existência de grande heterogeneidade biológica dentro da enseada, revelando a ) separação de dois grupos distintos de espécies, cuja distribuição parece estar ligada principalmente ao fator sedimento e não à contaminação. A distribuição da macrofauna e dos foraminíferos na enseada confirma a existência de um gradiente de salinidade e de crescente eutrofização na área, fato verificado pelo incremento da diversidade da comunidade macrobêntica e deletério da contaminação para os foraminíferos
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 24.03.2004

  • Como citar
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      FERREIRA, Juliana Aureliano; PIRES-VANIN, Ana Maria Setúbal. Composição e distribuição da macrofauna bêntica num gradiente de salinidade e contaminação orgânica na Enseada de Ubatuba, SP, Brasil. 2004.Universidade de São Paulo, São Paulo, BSP, 2004.
    • APA

      Ferreira, J. A., & Pires-Vanin, A. M. S. (2004). Composição e distribuição da macrofauna bêntica num gradiente de salinidade e contaminação orgânica na Enseada de Ubatuba, SP, Brasil. Universidade de São Paulo, São Paulo, BSP.
    • NLM

      Ferreira JA, Pires-Vanin AMS. Composição e distribuição da macrofauna bêntica num gradiente de salinidade e contaminação orgânica na Enseada de Ubatuba, SP, Brasil. 2004 ;
    • Vancouver

      Ferreira JA, Pires-Vanin AMS. Composição e distribuição da macrofauna bêntica num gradiente de salinidade e contaminação orgânica na Enseada de Ubatuba, SP, Brasil. 2004 ;


Biblioteca Digital de Produção Intelectual da Universidade de São Paulo     2012 - 2021