Exportar registro bibliográfico

Aspectos biomecânicos musculares relacionados à administração experimental de Corticosteróide Sistêmico (2002)

  • Autores:
  • Autor USP: SILVA, ELAINE CAETANO - BIOENG
  • Unidade: BIOENG
  • Sigla do Departamento: S/D - Interunidades
  • Assuntos: ORTOPEDIA (REABILITAÇÃO); CIRURGIA ORTOPÉDICA
  • Idioma: Português
  • Resumo: O objetivo deste estudo foi avaliar, através de ensaios de tração, os efeitos do desenvolvimento de miopatia metabólica secundária, a administração de corticosteróide sobre propriedades biomecânicas dos músculos diafragma e gastrocnêmio medial de coelhos. Foram estudadas 30 coelhas albinas adultas da raça Nova Zelândia, divididas em dois grupos de 15: Grupo Experimental (GE), que recebeu injeções subcutâneas de succinato sódico de 21 metil-prednisolona (Solumedrol®; Pharmacia - Up John N.N. / S.A. - Puurs - Bélgica) nas doses de 2 mg/kg/dia, e Grupo Controle (GC) que recebeu soro fisiológico a 0,9% por via subcutânea em volumes proporcionais. Ambos os grupos foram tratados: durante 21 dias consecutivos. Os ensaios de tração foram realizados utilizando uma Máquina Universal de Ensaios do Laboratório de Bioengenharia da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto. USP. Para o hemi-diafragma esquerdo foram feitos 24 ensaios, 12 para o GE e 12 para o GC e excluídos 3 animais de cada grupo devido a problemas técnicos. Para o gastrocnêmio medial esquerdo foram feitos 30 ensaios, sendo 15 no GE e 15 no GC A análise histoenzimológica dos músculos hemi-diafragma e gastrocnêmio medial direitos foi feita em 3 coelhos do GE e 3 do GC. O peso médio final dos animais no GE foi 3,6 Kg e no GC 4,0 Kg. A variação média percentual de peso final no GE foi - 8,4% e no GC 3,1%. O valor médio de peso final do gastrocnêmio no GE foi 5,6g e no GC 7,0g. Os valores médios de área, largura eespessura do gastrocnêmio no GE foram 2,4 x 10(-4)m2, 21,7 mm e 5,4 mm, respectivamente e no GC 2,8 x 10(-4)m2, 24,1 mm e 6,7.mm. Nos diafragmas os valores médios de tensão e deformação do limite máximo, tensão e deformação do limite de proporcionalidade e módulo de elasticidade no GE comparado ao GC utilizando o teste t de Student e teste de Mann Whitney, não mostraram diferenças estatisticamente significantes. Nos gastrocnêmios os valores médios de ) carga máxima, carga e deformação do , limite de proporcional idade e rigidez no GE comparado ao GC, pelo teste t de Student não mostraram diferença estatística significante. Porém, o valor médio de deformação máxima no GE foi 26,63 x 10(-3)m e no GC 32,33 x 10(-3)m , mostrando significância estatística entre os grupos através do teste t de Student. Quanto aos locais de ruptura, no GE, 9 foram no ventre muscular, 2 na porção miotendínea distal e 4 na origem e no GC 8 ocorreram no ventre muscular, 5 na porção miotendínea distal e 2 na origem. Do ponto de vista histopatológico observamos que: a miopatia metabólica apresentou-se mais evidente nos diafragmas do GE; houve alterações metabólicas leves nos gastrocnêmios do GE e ocorreu aumento da succinato de desidrogenase (SDH) e Tricrômicro de Gomori modificado nos diafragmas do GC. Diante disto, concluímos que: 1) Os diafragmas não mostraram alterações de suas propriedade biomecânicas, nas fases plástica e elástica, apresentando a mesma capacidade dealongamento em ambos os grupos, suportando cargas semelhantes; 2) O músculo gastrocnêmio medial manteve suas características e capacidade de alongamento na fase elástica. Entretanto, o tratamento com esteróide, na fase plástica, levou a uma significativa redução do seu limite máximo de deformação, apresentando uma menor capacidade de alongamento, embora com mesma carga máxima do controle
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 19.12.2002
  • Acesso à fonte
    Como citar
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      SILVA, Elaine Caetano; MARTINEZ, José Antônio Baddini. Aspectos biomecânicos musculares relacionados à administração experimental de Corticosteróide Sistêmico. 2002.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2002. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/82/82131/tde-01092003-105926/ >.
    • APA

      Silva, E. C., & Martinez, J. A. B. (2002). Aspectos biomecânicos musculares relacionados à administração experimental de Corticosteróide Sistêmico. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/82/82131/tde-01092003-105926/
    • NLM

      Silva EC, Martinez JAB. Aspectos biomecânicos musculares relacionados à administração experimental de Corticosteróide Sistêmico [Internet]. 2002 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/82/82131/tde-01092003-105926/
    • Vancouver

      Silva EC, Martinez JAB. Aspectos biomecânicos musculares relacionados à administração experimental de Corticosteróide Sistêmico [Internet]. 2002 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/82/82131/tde-01092003-105926/


Biblioteca Digital de Produção Intelectual da Universidade de São Paulo     2012 - 2021