Exportar registro bibliográfico

Aquecimento alfvênico em discos e colunas de acresção de estrelas T Tauri (2001)

  • Autores:
  • Autor USP: VASCONCELOS, MARIA JAQUELINE - IAG
  • Unidade: IAG
  • Sigla do Departamento: AGA
  • Assuntos: ASTRONOMIA; ASTROFÍSICA ESTELAR
  • Idioma: Português
  • Resumo: Neste trabalho, investigamos o papel do aquecimento Alfvênico em discos de acresção protoestelares e nas colunas de gás que seguem as linhas do campo magnético desde o disco de acresção até a superfície de estrelas T Tauri Clássicas. Para tal, analisamos o amortecimento de ondas alfvén levando em consideração as propriedades de cada um destes meios. O aquecimento alfvênico no disco de acresção protoestelar foi tratado considerando o modelo padrão de discos de acresção (Pingle 1981) e também o modelo de disco em camadas de Gammie (1996). Para ambos os casos, foram considerados dois mecanismos de amortecimento: não-linear e turbulento. Derivamos os comprimentos de amortecimento, as taxas de aquecimento e os fluxos de energia, todos relacionados à dissipação de energia dos modos Alfvênicos, em função da densidade, temperatura e campo magnético do disco. Os resultados obtidos mostram que o aquecimento Alfvênico contribui para o aumento da temperatura do gás no disco, principalmente quando o mecanismo de amortecimento analisadoé o turbulento. Para o caso das colunas de acresção de estrelas T Tauri, foram considerados quatro mecanismos de amortecimento: não-linear, turbulento, colisional e viscoso-resistivo. Adotamos o modelo de acresção magnetosférica de Hartmann, Hewett, & Calve (1994), utilizando um perfil de temperatura ligeiramente diferente, mas que ainda assim reproduz os perfis de linha observados. Foram feitas duas hipóteses no que tange àgeração das ondas Alfvén. No primeiro caso, supusemos que as ondas são formadas na superfície da estrela; segundo, as ondas são geradas localmente, ao longo de todo o tubo. Independente da localização da fonte das ondas, encontramos que estas sãorápida e localmente amortecidas. Analisamos, também, a condutividade térmica do gás no tubo e encontramos que esta é muito baixa, incapaz de transportar a energia gerada localmente pelo amortecimento Alfvênico para regiões mais ) distantes. Diante deste quadro, concluímos que quando as ondas Alfvén são geradas localmente, o aquecimento Alfvênico pode ser o responsável pelas altas temperaturas inferidas das observações. Neste caso, o grau de turbulência Alfvênica do sistema é calculado e encontramos que este não precisa ser muito elevado para produzir as taxas de aquecimento necessárias
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 23.01.2001

  • Como citar
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      VASCONCELOS, Maria Jaqueline; JATENCO-PEREIRA, Vera. Aquecimento alfvênico em discos e colunas de acresção de estrelas T Tauri. 2001.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2001.
    • APA

      Vasconcelos, M. J., & Jatenco-Pereira, V. (2001). Aquecimento alfvênico em discos e colunas de acresção de estrelas T Tauri. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Vasconcelos MJ, Jatenco-Pereira V. Aquecimento alfvênico em discos e colunas de acresção de estrelas T Tauri. 2001 ;
    • Vancouver

      Vasconcelos MJ, Jatenco-Pereira V. Aquecimento alfvênico em discos e colunas de acresção de estrelas T Tauri. 2001 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Biblioteca Digital de Produção Intelectual da Universidade de São Paulo     2012 - 2021