Exportar registro bibliográfico

Detecção de partículas semelhantes a vírus em cepas toxigênica e não toxigênica de Aspergillus flavus (1998)

  • Autores:
  • Autor USP: SILVA, VALÉRIA NASCIMENTO DA - ICB
  • Unidade: ICB
  • Sigla do Departamento: BMM
  • Assunto: MICROBIOLOGIA
  • Idioma: Português
  • Resumo: A presença de vírus ou partículas semelhantes a vírus em fungos teve sua primeira descrição em 1962, com o trabalho de Gandy e Hollings. Em 1972, Mackenzie & Adler começaram a associar a presença destas estruturas com a produção de micotoxinas. O presente trabalho teve como objetivo utilizar a microscopia eletrônica (técnica de coloração negativa) e eletroforese (gel de poliacrilamida e agarose) para detectar a presença de partículas semelhantes a vírus em cepas de Aspergillus flavus: toxigênico, produtor de aflatoxinas B1 e B2 9NRRL 5949) e não toxigênico (NRRL 6550). As cepas foram cultivadas em meio de YES a 25 graus C, nos seguintes períodos, de acordo com a cruva de crescimento e produção de aflatoxinas de cada cepa: NRRL 5940 (2,4,12,28,32,36 e 40 dias) e NRRL 6550 (2,4,12,20,24,28 e 40 dias). O micélio foi congelado e descongelado 4 vezes consecutivas, para rompimento da parede e liberaçào de partículas. O material foi centrifugado e "corado" com fosfotungstato de potássio a 2%, pH 6,8, técnica de gota reversa com adesão de 30 minutos. As grades foram observadas a 7.700 vezes de magnificação para "screening" prévio. O micélio das cepas foi macerado com nitrogênio líquido, o ácido nucleico das partículas foi extraído com fenol:clorofórmio (1:1) e precipitado com etanol. A corrida eletroforética foi realizada em gel de poliacrilamida 7,5% a 40mA e o gel de agarosea, 8% a 40V. Foram observadas no micélio da cepa NRRL 5940, partículas semelhantes a víruscom morfologia icosaédrica, sem envoltório, medindo cerca de 35nm. A corrida eletroforética mostrou a presença de 3 bandas no micélio da cepa NRRL 5940 em todos os períodos estudados. O micélio e o filtrado da cepa NRRL 6550 não apresentaram bandas nos períodos estudados. As bandas observadas não foram sensíveis ao tratamento com as enzimas PK e DNAse I, mas degradaram na presença da enzima RNAase I "A", mostrando tratar-se de um RNA. As amostras corridas em gel, juntamente com o padrão de peso molecular de 1 Kb DNA Ladder, mostraram que as bandas de 2 dias de cultivo mediam 3,7; 3,4 e 2,0 Kb, respectivamente e as bandas dos períodos seguintes 3,5; 3,0 e 2,8 Kb, respectivamente. Estes resultados demonstram a presença de partículas virais em cepa toxigênica de A. flavus e maiores estudos devem ser feitos quanto a associação da presença de vírus e a produção de aflatoxinas pelo fungo
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 09.09.1998

  • Como citar
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      SILVA, Valéria Nascimento da; CORRÊA, Benedito. Detecção de partículas semelhantes a vírus em cepas toxigênica e não toxigênica de Aspergillus flavus. 1998.Universidade de São Paulo, São Paulo, 1998.
    • APA

      Silva, V. N. da, & Corrêa, B. (1998). Detecção de partículas semelhantes a vírus em cepas toxigênica e não toxigênica de Aspergillus flavus. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Silva VN da, Corrêa B. Detecção de partículas semelhantes a vírus em cepas toxigênica e não toxigênica de Aspergillus flavus. 1998 ;
    • Vancouver

      Silva VN da, Corrêa B. Detecção de partículas semelhantes a vírus em cepas toxigênica e não toxigênica de Aspergillus flavus. 1998 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

Biblioteca Digital de Produção Intelectual da Universidade de São Paulo     2012 - 2021