Exportar registro bibliográfico

Bioacessibilidade in vitro de tocoferóis e tocotrienóis em óleos vegetais (2018)

  • Authors:
  • Autor USP: TINTORI, FLAVIA REGINA PAGGIARO - ESALQ
  • Unidade: ESALQ
  • Sigla do Departamento: LAN
  • Subjects: ÁCIDOS GRAXOS; ÓLEOS VEGETAIS; VITAMINA E
  • Keywords: Caco-2; Fritura
  • Language: Português
  • Abstract: Os óleos vegetais constituem-se uma das fontes mais acessíveis da vitamina E pela população, sendo que o Brasil ocupa posição de destaque na América Latina como produtor e consumidor de óleos vegetais. Atualmente, dentre os óleos de maior consumo estão soja, palma, canola e girassol. As isoformas de vitamina E compreendem uma classe de oito compostos distintos denominados tocoferóis e tocotrienóis, sendo o α-tocoferol a isoforma de maior notoriedade, por sua conhecida ação antioxidante em sistemas biológicos e também como antioxidante natural na indústria de alimentos. A eficiência nutricional de um composto pode estar relacionada com a bioacessibilidade. Bioacessibilidade é a fração do nutriente que é liberada da matriz alimentar para a região gastrointestinal e está passível de absorção, podendo ser afetada por diversos fatores relacionados à própria matriz alimentar. Dessa forma, o objetivo desse estudo foi inicialmente quantificar as isoformas de vitamina E em quatro óleos refinados (girassol, canola, palma e milho) e avaliar a bioacessibilidade da vitamina E nesses óleos antes e após tratamento térmico. O tratamento térmico utilizado foi a fritura contínua em batatas (1 h a 180°C). Foi realizada a caracterização físico-química dos óleos vegetais refinados, antes e após o processo de fritura e verificado parâmetros de qualidade dos óleos. Para isso foram realizadas as análises de umidade da batata, teor de ácidos graxos livres, índice de peróxidos, composição emácidos graxos e estabilidade oxidativa. A quantificação das isoformas de vitamina E foi realizada por CLAE acoplada ao detector de fluorescência, e para a determinação da bioacessibilidade da vitamina E, foi utilizado um modelo in vitro com cultivo de células Caco-2. O óleo de palma apresentou bioacessibilidade superior aos demais óleos estudados, seguido do óleo de milho, canola e girassol. A fritura contínua por 1 hora reduziu significativamente os teores totais de tocoferóis e tocotrienóis, e influenciou positivamente sobre a vitamina E na fração bioacessível
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 10.08.2018
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      TINTORI, Flavia Regina Paggiaro; BRAZACA, Solange Guidolin Canniatti. Bioacessibilidade in vitro de tocoferóis e tocotrienóis em óleos vegetais. 2018.Universidade de São Paulo, Piracicaba, 2018. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11141/tde-04012019-091341/ >.
    • APA

      Tintori, F. R. P., & Brazaca, S. G. C. (2018). Bioacessibilidade in vitro de tocoferóis e tocotrienóis em óleos vegetais. Universidade de São Paulo, Piracicaba. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11141/tde-04012019-091341/
    • NLM

      Tintori FRP, Brazaca SGC. Bioacessibilidade in vitro de tocoferóis e tocotrienóis em óleos vegetais [Internet]. 2018 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11141/tde-04012019-091341/
    • Vancouver

      Tintori FRP, Brazaca SGC. Bioacessibilidade in vitro de tocoferóis e tocotrienóis em óleos vegetais [Internet]. 2018 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11141/tde-04012019-091341/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020