Exportar registro bibliográfico

Honra e Philotimía na Esparta do Século IV a.C (2018)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: BERNARDO, GABRIEL CABRAL - FFLCH
  • Unidades: FFLCH
  • Sigla do Departamento: FLH
  • Subjects: HISTÓRIA ANTIGA; HISTÓRIA SOCIAL; ESPARTA; HONRA; ETHOS
  • Agências de fomento:
  • Language: Português
  • Abstract: Os estudos sobre a Esparta do Período Clássico realizaram avanços significativos nas últimas décadas, inclusive no sentido de analisar o efeito que construções historiográficas de autores contemporâneos a ela possuem no modo como a vemos hoje. Entretanto, uma caracterização recorrente dos espartanos não recebeu a devida atenção até o momento me refiro, mais especificamente, à descrição do coletivo espartano como philótimos, "amante da honra". O objetivo dessa dissertação é justamente questionar tal caracterização, de modo a revelar, no sistema social espartano (aquele observável por meio das fontes), um possível fundo histórico para tal ou identificar as razões pelas quais ele é assim descrito a partir do século IV a.C. Isso é aqui realizado por meio de uma análise abrangente da influência não só da honra, mas também de todos os outros elementos relacionados a ela (vergonha, reputação, desonra etc.) no sistema social da Esparta do século IV a.C., desde a concepção à morte de um espartano. Descobriu-se que, apesar de o que sabemos sobre o sistema social espartano dar indícios de que a honra e a busca ela eram usadas como ferramentas para manter um status quo nada igualitário (algo funcional apenas quando associado à uma fachada meritocrática), a descrição dos espartanos como philótimoi serve a objetivos políticos específicos do século IV a.C., mais especificamente como crítica da hegemonia espartana e como justificativa de seu desmantelamento. Tais conclusões, assim comoos argumentos que as baseiam, servem não só para compreendermos uma tática discursiva específica do século IV a.C., mas também as armadilhas do sistema da honra, especificamente como sua construção meritocrática usa o valor social de um indivíduo (i.e. honra) para manter um grupo específico no monopólio de certos privilégios, isso com total aceitação dos indivíduos deles excluídos. Tal sistema existia na Esparta do Período Clássico, com o mesmo discurso frequentemente ressuscitado em diversos contextos contemporâneos.
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 04.06.2018
  • Online source access
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      BERNARDO, Gabriel Cabral; GUARINELLO, Norberto Luiz. Honra e Philotimía na Esparta do Século IV a.C. 2018.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2018. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8138/tde-14092018-173346/ >.
    • APA

      Bernardo, G. C., & Guarinello, N. L. (2018). Honra e Philotimía na Esparta do Século IV a.C. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8138/tde-14092018-173346/
    • NLM

      Bernardo GC, Guarinello NL. Honra e Philotimía na Esparta do Século IV a.C [Internet]. 2018 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8138/tde-14092018-173346/
    • Vancouver

      Bernardo GC, Guarinello NL. Honra e Philotimía na Esparta do Século IV a.C [Internet]. 2018 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8138/tde-14092018-173346/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020