Exportar registro bibliográfico

Caracterização bioquímica e funcional da proteína XadA3 de Xylella fastidiosa (2018)

  • Authors:
  • Autor USP: SOUZA, ANA PAULA SILVA DE - IQ
  • Unidade: IQ
  • Sigla do Departamento: QBQ
  • Subjects: FITOPATÓGENOS; VIRULÊNCIA
  • Agências de fomento:
  • Language: Português
  • Abstract: Gram-negativas e é utilizado por diversos patógenos para colonizar seus hospedeiros, sendo o primeiro passo do processo de desenvolvimento do biolfilme. Uma variedade de apêndices celulares e proteínas está envolvida na adesão bacteriana, tais como pili, fimbrias, adesinas fimbriais e afimbriais. O fitopatógeno Xylella fastidiosa, agente causal de importantes doenças como a doença de Pierce de videiras, a clorose variegada dos citros e a síndrome do rápido declínio de oliveiras, possui em sua superfície várias dessas estruturas que são potencialmente responsáveis pela colonização eficiente de insetos-vetores e plantas hospedeiras. Entre as adesinas afimbriais codificadas no genoma dessa bactéria, três XadA (XadA1, Hsf/XadA2 e XadA3) são classificadas como autotransportadores triméricos. Dados da literatura sugerem que XadA1 e XadA2 são importantes para a formação do biofilme, porém a função de XadA3 ainda não havia sido investigada. Nesse trabalho, tivemos como objetivo caracterizar bioquímica e funcionalmente a proteína XadA3 e obter informações adicionais sobre o papel desempenhado por XadA1 e XadA2 na adesão e virulência de X. fastidiosa. Utilizando imunodetecção com um anticorpo policlonal anti-XadA3 por nós obtido, demonstramos que essa proteína localiza-se na superfície bacteriana e medeia a adesão intercelular. A caracterização dos fenótipos de mutantes de deleção de cada um dos genes das adesinas XadA revelou que o mutante ΔxadA3 tem reduzida capacidade de agregação celular e formação de biofilme quando comparado tanto aos mutantes ΔxadA1 e ΔxadA2 como à cepa selvagem Temecula. A deleção dos genes xadA afeta marginalmente o perfil de expressão gênica global avaliado através de RNAseq das cepas mutantes comparativamente à cepa selvagem, porém destaca-se, nas cepas mutantes, o aumento nos níveis dos transcritos de lipases/esterases. Já foi descritoque essas enzimas parecem atuar na degradação do tecido vegetal associada aos sintomas da doença de Pierce de videiras. A deleção de xadA3 resulta em um fenótipo de hipervirulência em videiras, mas também de deficiência de transmissão pelo inseto-vetor. O conjunto dos resultados obtidos nesse trabalho evidenciam o importante papel desempenhado pelas adesinas XadAs, particularmente XadA3, na adesão intercelular, no desenvolvimento do biofilme e na virulência de X. fastidiosa.
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 22.06.2018
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      SOUZA, Ana Paula Silva de; DA SILVA, Aline Maria. Caracterização bioquímica e funcional da proteína XadA3 de Xylella fastidiosa. 2018.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2018. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/46/46131/tde-31102018-150618/ >.
    • APA

      Souza, A. P. S. de, & Da Silva, A. M. (2018). Caracterização bioquímica e funcional da proteína XadA3 de Xylella fastidiosa. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/46/46131/tde-31102018-150618/
    • NLM

      Souza APS de, Da Silva AM. Caracterização bioquímica e funcional da proteína XadA3 de Xylella fastidiosa [Internet]. 2018 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/46/46131/tde-31102018-150618/
    • Vancouver

      Souza APS de, Da Silva AM. Caracterização bioquímica e funcional da proteína XadA3 de Xylella fastidiosa [Internet]. 2018 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/46/46131/tde-31102018-150618/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021