Exportar registro bibliográfico

Afinal, por que o paciente não adere ao tramento? Considerações psicanalíticas da não adesão em doenças crônicas (2018)

  • Authors:
  • Autor USP: FREITAS, CAMILA COLáS SABINO DE - IP
  • Unidade: IP
  • Subjects: ADESÃO À MEDICAÇÃO; PACIENTES; DOENÇA CRÔNICA; PSICANÁLISE; ÉTICA
  • Language: Português
  • Abstract: As doenças crônicas estão entre as que mais crescem no Brasil e ao mesmo tempo apresentam alto índice de não adesão ao tratamento por parte dos pacientes. Apesar do esforço das políticas públicas, junto as campanhas de prevenção, conscientização e acesso aos medicamentos a essa população, a taxa de não adesão é alta. Pode-se dizer que os médicos e profissionais da saúde encontram algo que parece de difícil compreensão a partir do seu discurso: como pensar a ideia de que os pacientes parecem, de modo inusitado, se recusar a aderir ao tratamento? Segundo a Psicanálise, a questão da adesão não é simples: implica a maneira como cada paciente lida com o seu adoecimento. Dessa maneira, o presente trabalho, trata-se de um estudo teórico, com revisão bibliográfica e tem por objetivo propor uma ampliação teórica sobre a compreensão dada a não adesão em doenças crônicas. Nos valemos de conceitos centrais, tais como o inconsciente, a lógica entre demanda e desejo, o sintoma, passando por gozo e ato para compreender a não adesão como uma manifestação do sujeito do inconsciente. São objetivos específicos: a) levantar e percorrer a literatura científica produzida sobre a definição médica de doença crônica, índice de não adesão, fatores de risco para a não adesão e as formas de tratamento oferecidas para esses pacientes nas instituições de saúde. b) ampliar a discussão da não adesão ao tratamento da doença crônica, trazendo a ética da Psicanálise como pilar da atuação do analista nasinstituições de saúde para poder propor propostas singulares aos pacientes que levem em conta a escuta do sujeito do inconsciente, c) discutir a importância da manutenção do analista na instituição e da transmissão dos efeitos analíticos como tática de inserir a Psicanálise na discussão das políticas públicas. A posição do analista nas instituições de saúde, se pauta pela impossibilidade de sustentar propostas universais em termos de tratamento que servem para todos. A não adesão a um tratamento significa muito mais do que simplesmente aderir ou não a uma prescrição médica. O avanço teórico e conceitual da não adesão, se faz necessário, pois aderir ao tratamento significa aderir uma nova condição de vida, é poder se apropriar de um corpo doente e não mais saudável como imaginado. Aderir é aceitar limitações e assumir uma queda da posição narcísica com o corpo. Portanto, o desafio que se coloca para o analista é poder propor e sustentar projetos terapêuticos singulares nas instituições á partir do estabelecimento de políticas públicas que levem em conta o sujeito do inconsciente. Uma práxis que não vai garantir a adesão, que não vai prescrever e nem convencer, mas que vai lidar com a dimensão do inconsciente, tão presente nas falas dos pacientes, sem se voltar para uma prática normativa, mas sim para uma escuta na direção do sintoma, da fantasia, do gozo e do ato, ou seja lidar com o sujeito
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 27.06.2018
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      FREITAS, Camila Colás Sabino de; ESTEVÃO, Ivan Ramos. Afinal, por que o paciente não adere ao tramento? Considerações psicanalíticas da não adesão em doenças crônicas. 2018.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2018. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/47/47133/tde-26102018-192903/ >.
    • APA

      Freitas, C. C. S. de, & Estevão, I. R. (2018). Afinal, por que o paciente não adere ao tramento? Considerações psicanalíticas da não adesão em doenças crônicas. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/47/47133/tde-26102018-192903/
    • NLM

      Freitas CCS de, Estevão IR. Afinal, por que o paciente não adere ao tramento? Considerações psicanalíticas da não adesão em doenças crônicas [Internet]. 2018 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/47/47133/tde-26102018-192903/
    • Vancouver

      Freitas CCS de, Estevão IR. Afinal, por que o paciente não adere ao tramento? Considerações psicanalíticas da não adesão em doenças crônicas [Internet]. 2018 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/47/47133/tde-26102018-192903/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021