Exportar registro bibliográfico

O projeto davidsoniano de uma semântica composicional para as línguas naturais (2017)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: NAVARRO, MICHEL P. ASSIS - FFLCH
  • Unidades: FFLCH
  • Sigla do Departamento: FLF
  • Subjects: FILOSOFIA CONTEMPORÂNEA; FILOSOFIA DA LINGUAGEM; SEMÂNTICA
  • Keywords: Reificação
  • Agências de fomento:
  • Language: Português
  • Abstract: Nesta tese realizo uma exposição e exame sistemáticos do projeto semântico do filósofo estadunidense Donald Davidson de construir uma teoria composicional do significado para as línguas naturais explorando a estrutura recursiva de uma teoria interpretativa da verdade de tipo tarskiana. Nesta estratégia, uma teoria do significado deve ser capaz de capturar a capacidade linguística geral que qualquer falante de uma língua possui de produzir e interpretar novas sentenças. O requerimento de que a teoria seja composicional constitui o critério fundamental que orienta o empreendimento de Davidson e está na base do projeto de elucidar o aspecto composicional do significado via o emprego de uma teoria da verdade do tipo tarskiana. Defendo que o projeto de Davidson intenta lançar as bases de um programa de pesquisa em semântica das línguas naturais que, embora não hegemônico no campo e visto com ceticismo por alguns, é o único exemplo até o momento de uma tentativa de iluminar de forma sistemática o aspecto composicional do significado de amplos fragmentos das línguas naturais sem um apelo direto a entidades abstratas associadas às expressões de uma linguagem, como propriedades, proposições sentidos, intensões etc. Dois tópicos acerca do projeto recebem uma investigação detalhada. Em primeiro lugar, questões filosóficas fundacionais que a proposta suscita. Abordamos as objeções de Davidson a teorias que quantificam sobre significados, discutindo os problemas que ele identifica emanálises que reificam a camada intensional dos significados das expressões de uma língua, em especial sistemas neo-fregeanos, tais como os propostos por Rudolf Carnap e Alonzo Church. Baseado em parte nesta crítica de Davidson, pouco examinada na literatura, e sem a qual se corre o risco de uma interpretação equivocada das ambições do projeto, sustento, em consonância com os semanticistas neo-davidsonianos Ernie Lepore & Kirk Ludwig (2005; 2007), que Davidson não intenta fornecer uma semântica que se caracteriza por substituir ou reduzir uma teoria do significado a uma teoria da verdade. A ideia é que uma teoria composicional do significado pode ser apresentada como um corpo de conhecimento sobre uma teoria interpretativa da verdade. Davidson tampouco intenta eliminar a camada intensional do significado; o que se busca é evitar a sua reificação. Uma outra parte da tese se debruça sobre o esforço de acomodar na teoria um conjunto de fenômenos linguísticos próprios das línguas naturais: expressões sensíveis ao contexto, como pronomes pessoais e demonstrativos, que forçam a relativização do predicado de verdade às situações de uso das sentenças; quantificação restrita; sentenças com verbos de ação e que descrevem relações causais entre eventos; contextos opacos criados por sentenças com verbos de atitude proposicional, e a dificuldade de tratar esses contextos sem introduzir entidades intensionais. Examino também aspectos fundacionais da semântica de Lepore & Ludwig, que, semdúvida, amplia significativamente o escopo de fenômenos linguísticos que podem ser explicados por uma teoria motivada pelo projeto de Davidson. No método dos autores, é estabelecida, entre outras condições, seguindo Davidson, que não basta saber o conteúdo informacional expresso pelos axiomas de uma teoria da verdade. É preciso saber também quais conteúdos os axiomas veiculam. Isto é, tem-se que saber os sentidos dos axiomas. Ao sistematizarem na forma de uma teoria esse conhecimento, eles associam, por meio de uma lista, um sentido/intensão a cada axioma. Para cada expressão da linguagem objeto deve haver um axioma na teoria, e o sentido desse axioma deve ser conteúdo de conhecimento do semanticista/intérprete para que ele seja capaz de empregar a teoria-T para interpretar as expressões subsentenciais e as sentenças da linguagem objeto. Se minha observação estiver correta, na estrutura da teoria dos autores acaba por ocorrer a reificação dos sentidos dos axiomas, o que seria forte indicação de que a semântica que constroem não cumpre o propósito de ser uma teoria imune à introdução de entidades intensionais. Além disso, esta associação de um conteúdo semântico a cada axioma via quantificação, parece implicar uma questão mais grave: o assinalamento de objetos intensionais às expressões da linguagem objeto. Desse modo, se minhas ponderações estiverem corretas, a semântica dos autores parece não se configurar como uma alternativa às teorias neo-fregeanas, no sentido decumprir o que estas fazem, sem que, na sua estrutura, tenha que postular entidades intensionais
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 21.07.2017
  • Online source access
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      NAVARRO, Michel P. Assis; CUTER, Joao Vergilio Gallerani. O projeto davidsoniano de uma semântica composicional para as línguas naturais. 2017.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2017. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8133/tde-30112017-125627/ >.
    • APA

      Navarro, M. P. A., & Cuter, J. V. G. (2017). O projeto davidsoniano de uma semântica composicional para as línguas naturais. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8133/tde-30112017-125627/
    • NLM

      Navarro MPA, Cuter JVG. O projeto davidsoniano de uma semântica composicional para as línguas naturais [Internet]. 2017 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8133/tde-30112017-125627/
    • Vancouver

      Navarro MPA, Cuter JVG. O projeto davidsoniano de uma semântica composicional para as línguas naturais [Internet]. 2017 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8133/tde-30112017-125627/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020