Exportar registro bibliográfico

Influência do envelhecimento nas perdas dos aços de grão não orientado (2018)

  • Authors:
  • Autor USP: ALMEIDA, ADRIANO ALEX DE - EP
  • Unidade: EP
  • Sigla do Departamento: PMT
  • Assunto: AÇO ELÉTRICO
  • Agências de fomento:
  • Language: Português
  • Abstract: A partir da hipótese de que carbonetos de ferro podem agir como fonte motora para nucleação de novos domínios magnéticos, o que tenderia a reduzir a taxa de crescimento da dissipação de energia anômala em função da frequência de excitação, três aços de grão não orientado com diferentes teores de carbono foram estudados. A amostra do aço totalmente processado continha 79 ppm de carbono e 2% silício, já o aço semiprocessado continha 340 ppm de carbono e a partir deste um terceiro conjunto foi produzido por descarbonetação contendo 110 ppm de carbono. As amostras foram envelhecidas consecutivamente em atmosfera inerte sob temperatura de 150 e 225 °C e tiveram suas propriedades magnéticas e microestruturais avaliadas em diferentes intervalos de tempos. Métodos, estes, que foram empregados com intuito de se estudar o efeito da precipitação de carbonetos na dissipação de energia anômala. O envelhecimento mecânico do aço com 340 ppm de carbono foi evidenciado após 6 horas de envelhecimento em um único pico, já o aço com 79 ppm de carbono e 2% silício apresentou um pico de envelhecimento mecânico a 75 horas. Por sua vez o aço contento 110 ppm de carbono apresentou um pico de dureza tardio, após 30 horas de envelhecimento sob 225 ºC Ficou evidenciado que o incremento do campo coercivo está ligado ao aumento do diâmetro da partícula. Essa tendência é verdadeira para carbonetos com faixa de tamanho de 0,5-0,65 ?m para a liga com 79 ppm carbono e 2% silício e de 0,55-0,81 ?m relativo à liga contendo 340 ppm de carbono. De maneira oposta, não foi identificado relação clara entre o tamanho dos carbonetos e a majoração de HC nas amostras da liga contento 110 ppm de carbono. O envelhecimento magnético mostrou-se mais deletério às propriedades magnéticas dos aços semiprocessados e totalmente processados quando estas são mensuradas em baixas frequências (f<60Hz).De maneira geral, foi observado que o envelhecimento porcentual (IE%) decresce com o aumento da frequência de excitação para o mesmo tempo e temperatura de envelhecimento. A respeito do emprego das amostras envelhecidas em altas frequências de excitação, a liga do aço totalmente processado apresentou menor dissipação de energia somente em frequência de excitação superiores a 1,5 kHz. Por sua vez, a liga semiprocessada contendo 340 ppm de carbono envelhecida por 6 e 12 horas mostrou-se menos dissipativa quando empregada sob indução de 1T, em frequências superiores a 640 e 900 Hz, respectivamente. O aço contendo 110 ppm de carbono apresentou os melhores resulto das ligas estudadas, como frequência de cruzamento abaixo dos 3 kHz e 700 Hz sob 1 e 1,5T, respectivamente. Elementos teóricos e empíricos dão conta de que o refinamento dos domínios magnéticos tende a ocorrer mais facilmente sob altas indução do que em baixas induções. O que implica em melhores resultados sob indução de 1,5T. O aumento da densidade dos domínios magnéticos foi constatado pelas imagens realizadas com luz polarizadas nas amostras do aço totalmente processado (70 ppm C e 2%Si). Os domínios magnéticos da amostra contendo 110 ppm de carbono, observados pela mesma técnica, apresentaram morfologia mais refinada o que dificultou a sua quantificação. Devido à precipitação dos carbonetos épsilon e cementita em planos de hábito na matriz ferrítica, é possível conjecturar que apenas 1/3 destes terão alta capacidade de ancoramento das paredes de domínios, uma vez que, apenas esta fração de precipitados terão seu menor eixo paralelo à direção de magnetização.
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 06.07.2018
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      ALMEIDA, Adriano Alex de; LANDGRAF, Fernando José Gomes. Influência do envelhecimento nas perdas dos aços de grão não orientado. 2018.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2018. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/3/3133/tde-03102018-150435/pt-br.php >.
    • APA

      Almeida, A. A. de, & Landgraf, F. J. G. (2018). Influência do envelhecimento nas perdas dos aços de grão não orientado. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/3/3133/tde-03102018-150435/pt-br.php
    • NLM

      Almeida AA de, Landgraf FJG. Influência do envelhecimento nas perdas dos aços de grão não orientado [Internet]. 2018 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/3/3133/tde-03102018-150435/pt-br.php
    • Vancouver

      Almeida AA de, Landgraf FJG. Influência do envelhecimento nas perdas dos aços de grão não orientado [Internet]. 2018 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/3/3133/tde-03102018-150435/pt-br.php


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021