Exportar registro bibliográfico

Associação entre características tomográficas do osso temporal e a qualidade da janela transtemporal com o ultrassom transcraniano colorido em pacientes com AVC e AIT: estudo observacional analítico (2018)

  • Authors:
  • Autor USP: BRISSON, RODRIGO TAVARES - FMRP
  • Unidade: FMRP
  • Sigla do Departamento: RNP
  • Subjects: ULTRASSONOGRAFIA DOPPLER; ULTRASSOM; ACIDENTE VASCULAR CEREBRAL
  • Keywords: Acidente vascular cerebral; Ultrassonografia Doppler trasncraniana; Janela transtemporal; Neurossonografia; Ultrassom; Neurosonography; Ultrasound; Stroke; Transcranial Doppler ultrasonography; Transtemporal window
  • Language: Português
  • Abstract: Introdução: O ultrassom transcraniano colorido (UTCC) é uma técnica ultrassonográfica que incorpora a imagem do parênquima cerebral à avaliação do fluxo sanguíneo dos vasos do polígono de Willis. Uma de suas maiores limitações é a necessidade de uma janela transtemporal adequada para insonação transcraniana, o que está ausente em cerca de 5-44% dos pacientes. A hiperostose da escama temporal tem sido fortemente associada a falência de janela transtemporal. Objetivamos neste estudo observacional analítico, avaliar a relação entre a a qualidade da janela transtemporal determinada com o UTCC e as características do osso temporal determinada com a tomografia computadorizada de crânio (TC). Materiais e métodos: Trata-se de estudo retrospectivo, analítico, observacional com avaliação de registros médicos onde foram incluídos para análise um total de 187 pacientes com acidente vascular cerebral ou AIT admitidos na Unidade de Emergência do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto entre Julho de 2014 e Janeiro de 2015 que realizaram UTCC e TC de acordo com o protocolo institucional. Classificamos a qualidade das janelas dos pacientes com um escore validado em nosso serviço. A análise da espessura e densidade do osso temporal nos exames de TC foi realizada de forma cega para os demais dados clínicos e ultrassonográficos. Resultados: Ausência de Janela temporal bilateral foi encontrada em 21,93% dos pacientes da amostra e destes pacientes (78,05%) foram do sexo feminino p value < 0,0001. A média de idade dos pacientes com presença de Janela temporal foi de 59,9±13,9 anos e as medias de idade dos pacientes sem janela temporal foi de 70,5±12,7 anos com p value <0,001. A área sob a curva ROC para acurácia diagnóstica na detecção de ausência de janela a partir da espessura da escama temporal foi de 0,8232 (0,7504; 0,896) e para o ponto decorte de espessura da escama temporal na ROI de 2,23mm encontramos uma sensibilidade de 0,878 e especificidade de 0,537; Em uma regressão logística univariada, obtivemos que para cada 1 mm de aumento na espessura do osso temporal, obtivemos Odds Ratio (OR) de 4,16 em não se obter janela transtemporal pelo UTCC. Em uma regressão logística multivariada, a espessura da escama temporal em mm (OR : 3,04; IC95%: 1,73-5,35; p: 0,001) idade (OR de 1,07; IC95%: 1,03-1,11; p: 0,003) sexo feminino (OR: 5,99 IC95%:2,09-17,15; p: 0,009) se associaram com ausência da janela transtemporal e a presença de pneumatização óssea na escama do osso temporal (OR: 7,90; IC95%: 1,94-32,04; p: 0,003) se associou com presença da janela transtemporal. Discussão e conclusão: Em concordância com estudos prévios de DTC, os resultados encontrados com a técnica de UTCC sugerem que mulheres idosas possuem maior espessura da escama temporal e por consequência maior taxa de falência de janela transtemporal. Maior espessura do osso temporal e presença de pneumatização do osso temporal são fatores independentes que aumentam a chance de falência de janela transtemporal. A partir da espessura do osso temporal é possível prever a falência de janela transtemporal e assim identificar pacientes elegíveis para a realização do UTCC ou DTC
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 09.05.2018
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      BRISSON, Rodrigo Tavares; PONTES NETO, Octávio Marques. Associação entre características tomográficas do osso temporal e a qualidade da janela transtemporal com o ultrassom transcraniano colorido em pacientes com AVC e AIT: estudo observacional analítico. 2018.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2018. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/17/17161/tde-27082018-110538/ >.
    • APA

      Brisson, R. T., & Pontes Neto, O. M. (2018). Associação entre características tomográficas do osso temporal e a qualidade da janela transtemporal com o ultrassom transcraniano colorido em pacientes com AVC e AIT: estudo observacional analítico. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/17/17161/tde-27082018-110538/
    • NLM

      Brisson RT, Pontes Neto OM. Associação entre características tomográficas do osso temporal e a qualidade da janela transtemporal com o ultrassom transcraniano colorido em pacientes com AVC e AIT: estudo observacional analítico [Internet]. 2018 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/17/17161/tde-27082018-110538/
    • Vancouver

      Brisson RT, Pontes Neto OM. Associação entre características tomográficas do osso temporal e a qualidade da janela transtemporal com o ultrassom transcraniano colorido em pacientes com AVC e AIT: estudo observacional analítico [Internet]. 2018 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/17/17161/tde-27082018-110538/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021