Exportar registro bibliográfico

Influências da condição corporal e atividade ovariana sobre a taxa de prenhez de vacas de corte suplementadas com progesterona de longa ação após a IATF (2018)

  • Authors:
  • Autor USP: NISHIMURA, THIAGO KAN - FZEA
  • Unidade: FZEA
  • Sigla do Departamento: ZAZ
  • Subjects: PROGESTERONA; INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL ANIMAL; GADO NELORE; PRENHEZ; CORPO LÚTEO
  • Language: Português
  • Abstract: Grande parte das perdas embrionárias ocorrem nas três primeiras semanas após a inseminação e grande parte pode-se atribuir a baixas concentrações de progesterona. Desta maneira, o objetivo do presente experimento foi avaliar os efeitos e a interação entre o escore de condição corporal (ECC) e condição ovariana (EO) em vacas suplementadas com progesterona de longa ação (P4) após IATF sobre a taxa de prenhez em vacas de corte. Neste experimento foram utilizados 1573 vacas de corte, lactantes entre 30 e 60 dias pós-parto. As vacas tiveram a ovulação sincronizada iniciando-se no dia - 10 e foram inseminadas no dia 0. No dia 4, os animais foram blocados de acordo com ECC e EO e ordem de parto e divididos em dois tratamentos: (P4, n = 786) e (Controle, n = 787). Foram feitas avaliações ultrassonograficas dos ovários nos dias -10, 0 e 4, para mensurações de tamanho de folículo e corpo lúteo e no dia -10 foi feita a avaliação do ECC. A taxa de prenhez (P/IA) entre os grupos P4 vs CONTROLE não apresentou diferenças P=0,49. Vacas com ECC > 2,75 tiveram melhora P/IA (P<0,05) comparadas com vacas com ECC ≤ 2,5. Vacas com presença de folículo ≥ 8 mm no dia -10 apresentou melhor P/IA (P<0,05) comparadas com vacas com presença de CL ou folículo < 8 mm. Vacas com folículo ≥8 mm e CL apresentaram maior tamanho de folículo, maior área de CL, no entanto, os animais com presença de folículo ≥ 8 mm apresentaram maior taxa de concepção comparado com os animais com folículo < 8 mm e compresença de CL. Concluimos que a suplementação com P4 após a IATF não melhora as taxas de prenhez, independente do ECC e do EO, no entanto, o ECC e o EO apresentam influências nas taxas de prenhez, onde os animais com melhor ECC no início do protocolo apresentaram melhor EO e maior taxa de prenhez
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 11.06.2018
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      NISHIMURA, Thiago Kan; SARAN NETTO, Arlindo; PUGLIESI, Guilherme. Influências da condição corporal e atividade ovariana sobre a taxa de prenhez de vacas de corte suplementadas com progesterona de longa ação após a IATF. 2018.Universidade de São Paulo, Pirassununga, 2018. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/74/74131/tde-08082018-142638/ >.
    • APA

      Nishimura, T. K., Saran Netto, A., & Pugliesi, G. (2018). Influências da condição corporal e atividade ovariana sobre a taxa de prenhez de vacas de corte suplementadas com progesterona de longa ação após a IATF. Universidade de São Paulo, Pirassununga. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/74/74131/tde-08082018-142638/
    • NLM

      Nishimura TK, Saran Netto A, Pugliesi G. Influências da condição corporal e atividade ovariana sobre a taxa de prenhez de vacas de corte suplementadas com progesterona de longa ação após a IATF [Internet]. 2018 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/74/74131/tde-08082018-142638/
    • Vancouver

      Nishimura TK, Saran Netto A, Pugliesi G. Influências da condição corporal e atividade ovariana sobre a taxa de prenhez de vacas de corte suplementadas com progesterona de longa ação após a IATF [Internet]. 2018 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/74/74131/tde-08082018-142638/


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021