Exportar registro bibliográfico

Análise de Correlato Cinético Funcional e de Imaginologia em Pacientes Pós Acidente Vascular Encefálico Intraparenquimatoso (2018)

  • Authors:
  • Autor USP: FAGGIONI, MARINA RODRIGUES DE OLIVEIRA - FMRP
  • Unidade: FMRP
  • Sigla do Departamento: RAL
  • Subjects: ACIDENTE VASCULAR CEREBRAL; HEMORRAGIA; TOMOGRAFIA; CRÂNIO; REABILITAÇÃO
  • Language: Português
  • Abstract: A hemorragia intraparenquimatosa cerebral (HIC) totaliza aproximadamente 65% da mortalidade anual por AVEh. Pacientes nos serviços especializados em AVE são diagnosticas por tomografia de cranio (TC) e avaliações clinico funcionais. Assim é importante investigar as correlações entre a TC e escalas funcionalidade, investigar as correlações entre fatores de risco e a importância do tratamento fisioterapêutico. Trata-se um estudo observacional, horizontal e prospectivo realizado em um hospital público de alta complexidade, no periodo de novembro de 2014 a novembro de 2015. Participaram deste estudo 59 sujeitos (100% dos pacientes) de ambos os sexos com diagnóstico de HIC. As avaliações foram compostas por TC de cranio,escala de Glasgow, NIHSS, Rankin, Baffhel e WMFT, na admissão e após três meses. As imagens de TC foram digitalizadas e analisadas pelo software Axio-Vision pela mensuração do tamanho da lesão em 2D. Para analisar os dados utilizamos análise descritiva em porcentagem, o teste de correlação de Pearson, o teste Kolmogorov-Smirnovque revelou a necessidade dos testes não paramétricos de Wilcoxone Mann-Whitney. O valor de p estabelecido foi <0,05. Os fatores de risco tabagismo e alcoolismo (r= 0,45), e tabagismo e obesidade (r= 0,28) revelaram correlação positiva.Encontramos aumento significativo para as escalas de Glasgow (Z= 3,49), Baffhel (Z= 3,72) e WMFT (Z= 3,64) e uma diminuição nas escalas NIHSS (Z= -3,75), Rankin (Z= -4,22) no terceiro mês comparado com a admissão. Os valores das escalas NIHSS (U= 17,00) e Rankin (U= 6,00) no grupo fisioterapia, e nas escalas Barthel (U=28,5; p<0,01) e WMFT (U= 20,00; p<0,001)e no grupo sem fisioterapia aumentaram. Nãoexiste diferença na escala de Glasgow (U= 79,00; p= 0,96). A significancia clinica revelou para o grupo fisioterapia um aumento de 13% na escala de Glasgow,1, 19% naNlHSS,16,66% na Rankin, 33,18% na Baffhel27,01 % na WMFT. A análise da área de lesão mostrou correlação negativa para os valores da WMFT na admissão em relação a lesão Lobar dos pacientes que vieram a óbito (CC=-0,57) e correlação negativa para Glasgow na admissão e lesão nos núcleos da base dos pacientes que não vieram a óbito (CC= -0,73). Nosso trabalho revelou que é possível correlacionar a escala de Glasgow e WMFTcom a TC e ainda que os pacientes que receberam fisioterapia durante três meses evoluiram significativamente comparados aos que não fizeram fisioterapia
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 23.03.2018

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      FAGGIONI, Marina Rodrigues de Oliveira; ARAÚJO, João Eduardo de. Análise de Correlato Cinético Funcional e de Imaginologia em Pacientes Pós Acidente Vascular Encefálico Intraparenquimatoso. 2018.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2018.
    • APA

      Faggioni, M. R. de O., & Araújo, J. E. de. (2018). Análise de Correlato Cinético Funcional e de Imaginologia em Pacientes Pós Acidente Vascular Encefálico Intraparenquimatoso. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Faggioni MR de O, Araújo JE de. Análise de Correlato Cinético Funcional e de Imaginologia em Pacientes Pós Acidente Vascular Encefálico Intraparenquimatoso. 2018 ;
    • Vancouver

      Faggioni MR de O, Araújo JE de. Análise de Correlato Cinético Funcional e de Imaginologia em Pacientes Pós Acidente Vascular Encefálico Intraparenquimatoso. 2018 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021