Exportar registro bibliográfico

Estudos de variação genômica em homens azoospérmicos e sua correlação com a expressão de microRNAs em tecido testicular (2017)

  • Authors:
  • Autor USP: DIAS, CAMILA CALIXTO MOREIRA - FMRP
  • Unidade: FMRP
  • Sigla do Departamento: RGE
  • Subjects: GENÉTICA; CROMOSSOMOS; DELEÇÃO DE GENES
  • Keywords: AZF region; Azoospermia; CNV; Cromossomo Y; Deleção; Deletion; Duplicação; Duplication; MicroRNA; Região AZF; Y chromosome
  • Language: Português
  • Abstract: A infertilidade é um problema de saúde pública com um significativo impacto social, económico e psicológico. Em todo o mundo, a incidência da infertilidade entre a população geral é estimada em 10-15%. Cerca de 50% da infertilidade dos casais são de origem masculina. Em mais da metade dos homens inférteis, a causa da infertilidade é desconhecida (idiopática). Etiologicamente, a infertilidade masculina apresenta causas genéticas e não genéticas. Dentre as causas genéticas mais conhecidas temos mutação do receptor de andrógenos, mutação do gene regulador da condutibilidade transmembrana da fibroso ciática (CFTR), anomalias cromossômicas clássicas, anomalias meióticas, microdeleções do cromossomo Y, etc. As anomalias cromossômicas são encontradas com muito mais frequência em homens inférteis, com uma incidência de 4-16% em relação à incidência de 0,4% na população fértil. Estudos mostram que as CNVs também podem estar relacionadas com a infertilidade masculina, especificamente com a falha na espermatogênese. CNVs encontradas tanto no cromossomo Y quanto nos cromossomos autossômicos também foram associadas a possíveis falhas na espermatogênese. Um outro fator que também pode estar envolvido com a infertilidade masculina é a expressão desregulada dos miRNAs. O presente trabalho teve como objetivo promover a análise em larga escala da distribuição de CNVs e do perfil transcricional dos miRNAs em amostras de biopsias testiculares de paciente com azoospermia. Para o estudo das CNVs nós utilizamos a metodologia do CytoScan HD da Affymetrix. O perfil transcricionalde miRNAs nos individuos estudados foi avaliado por meio da tecnologia de microarranjos também da plataforma Affymetrix. Para estas analises montamos dois grupos de estudo (Parada de Maturação (MA) de Células Germinativas e Síndrome de Células Sertoli Only (SCOS)) e um grupo controle (azoospermia obstrutiva e espermatogênese normal). Através das análises das CNVs nós encontramos 94 CNVs nos cromossomos autossômicos e sexuais, 35 (37%) CNVs foram classificadas como benígnas, 24 (23%) como potencialmente benignas, sete CNVs (7,4%) como patogênicas e sete foram classificadas como potencialmente patogênica. Todas as CNVs classificadas como patogênica estão presentes no cromossomo Y, cinco CNVs são do tipo duplicação e duas do tipo deleção. A CNV do tipo duplicação foi encontrada no paciente MA e a CNV do tipo deleção foi encontrada no paciente SCOS. As CNVs se sobrepõem e quando analisadas em conjunto (formando uma única CNV de cada condição) elas apresentam um tamanho parecido. Estas CNVs apresentam genes envolvidos na espermatogênese. As CNVs classificadas como potencialmente patogênicas estavam presentes nos cromossomos autossômicos e cromossomo X. Nestas CNVs estavam presentes genes queforam associados com a falha na espermatogênese. A análise da expressão dos miRNAs revelou um perfil transicional muito mais alterado nos pacientes com SCOS. As duas condições apresentaram miRNAs exclusivos, mas também compartilharam: 30 miRNAs. Nós identificamos duas famílias de miRNAs (miR449 e miR34) diferencialmente expressos nas duas condições e que apresentam expressão preferencial no testículo. Nossos resultados mostram que alterações no número de copias (CNVs) no cromossomo Y levam a infertilidade masculina e CNVs nos cromossomos autossômicos e X podem levar a infertilidade masculina. As alterações do tipo deleção podem levar a uma falha na espermatogênese maior que as alterações do tipo duplicação. A expressão diferencial dos miRNAs em tecido testicular de pacientes com diferenças histopatológicas (SCOS e MA) apresentam um padrão de expressão de miRNAs diferentes devido ao tipo de células Terminativas que eles apresentam no tecido epitelial do testículo
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 22.02.2017
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      DIAS, Camila Calixto Moreira; PINA-NETO, João Monteiro de. Estudos de variação genômica em homens azoospérmicos e sua correlação com a expressão de microRNAs em tecido testicular. 2017.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2017. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/17/17135/tde-25052018-142646/ >.
    • APA

      Dias, C. C. M., & Pina-Neto, J. M. de. (2017). Estudos de variação genômica em homens azoospérmicos e sua correlação com a expressão de microRNAs em tecido testicular. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/17/17135/tde-25052018-142646/
    • NLM

      Dias CCM, Pina-Neto JM de. Estudos de variação genômica em homens azoospérmicos e sua correlação com a expressão de microRNAs em tecido testicular [Internet]. 2017 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/17/17135/tde-25052018-142646/
    • Vancouver

      Dias CCM, Pina-Neto JM de. Estudos de variação genômica em homens azoospérmicos e sua correlação com a expressão de microRNAs em tecido testicular [Internet]. 2017 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/17/17135/tde-25052018-142646/


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021