Exportar registro bibliográfico

Validação do diagnóstico molecular da leishmaniose visceral e da leishmaniose tegumentar na rotina diagnóstica de um laboratório de saúde pública, São Paulo, Brasil (2018)

  • Authors:
  • Autor USP: GONÇALVES, LUIZ FERNANDO CAMARGO TEIXEIRA - IMT
  • Unidade: IMT
  • Subjects: LEISHMANIOSE VISCERAL; LEISHMANIOSE CUTÂNEA; DIAGNÓSTICO; REAÇÃO EM CADEIA POR POLIMERASE
  • Language: Português
  • Abstract: As leishmanioses constituem um grupo de zoonoses causadas por várias espécies do gênero Leishmania. O diagnóstico molecular associado aos exames clínicos, sorológicos e parasitológicos facilitam a investigação epidemiológica e controle das infecções. A PCR convencional (cPCR) e em tempo real (qPCR) são utilizadas para detectar moléculas de DNA do parasita em diferentes amostras biológicas, no entanto, quando a carga parasitária é baixa, resultados falsos-negativos são comuns na rotina diagnóstica. O objetivo deste estudo foi o avaliar a utilidade dos iniciadores para qPCR para substituir ou associar à cPCR no diagnóstico molecular da leishmaniose visceral (LV) e leishmaniose tegumentar americana (LTA). Foram testados iniciadores moleculares pelo sistema TaqMan® com o objetivo de discriminar Leishmania (Viannia) braziliensis e Leishmania (Leishmania) infantum chagasi a partir de sequências da actina de Leishmania. O gênero Leishmania foi identificado pelos iniciadores LEISH18S que amplifica uma região 18S de Leishmania. Os iniciadores ACTLDon amplifica uma região da actina de L. (L.) infantum chagasi. L. (V.) braziliensis foi identificada pelos iniciadores ACTLVian, que amplifica uma região da actina do complexo L. (V.) braziliensis. Foram testadas 581 amostras de DNA, extraídas de sangue, necropsias de órgãos, aspirados de linfonodo ou medula e biópsia de lesão. Para LV foram testadas 361 amostras (243 caninas e 118 humanas). Destas, 214 foram positivas na cPCR, foi o padrão ouro, e a sensibilidade com os iniciadores da qPCR variou de 92,99% (199) a 95,32% (204). A especificidade foi determinada por 147 amostras negativas na cPCR e variou de 95,91% (141) a 98,63% (145). Os índices de concordância variaram de 92,99% (RV1/RV2; LEISH18S e ACTLDon) a 95,32% (RV1-RV2 e LEISH18S). Foram testadas 220 amostras para LTA.A especificidade com os iniciadores foi determinada por 80 amostras negativas e os resultados foram 98,75% e 100% para LEISH18S e ACTLVian respectivamente, e das 140 amostras positivas na cPCR 129 (92.14%) e 124 (88,57%) foram positivas com os iniciadores LEISH18S e ACTLVian respectivamente. Os índices de concordância foram de 88,57% (LB-3C/LU-5A/ACTLVian/LEISH18S) e 92,14% (LB-3C/LU-5A e LEISH18S). Estes resultados mostram que a associação dos iniciadores para qPCR em conjunto com a cPCR pode aumentar a detecção do parasita em amostras clínicas.
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 26.02.2018

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      GONÇALVES, Luiz Fernando Camargo Teixeira; CHIOCCOLA, Vera Lucia Pereira. Validação do diagnóstico molecular da leishmaniose visceral e da leishmaniose tegumentar na rotina diagnóstica de um laboratório de saúde pública, São Paulo, Brasil. 2018.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2018.
    • APA

      Gonçalves, L. F. C. T., & Chioccola, V. L. P. (2018). Validação do diagnóstico molecular da leishmaniose visceral e da leishmaniose tegumentar na rotina diagnóstica de um laboratório de saúde pública, São Paulo, Brasil. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Gonçalves LFCT, Chioccola VLP. Validação do diagnóstico molecular da leishmaniose visceral e da leishmaniose tegumentar na rotina diagnóstica de um laboratório de saúde pública, São Paulo, Brasil. 2018 ;
    • Vancouver

      Gonçalves LFCT, Chioccola VLP. Validação do diagnóstico molecular da leishmaniose visceral e da leishmaniose tegumentar na rotina diagnóstica de um laboratório de saúde pública, São Paulo, Brasil. 2018 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021