Exportar registro bibliográfico

HIV/aids no cárcere: desafios relacionados à regularidade no uso da terapia antirretroviral (2017)

  • Authors:
  • Autor USP: RAVANHOLI, GLAUCIA MORANDIM - EERP
  • Unidade: EERP
  • Sigla do Departamento: ERM
  • Subjects: SÍNDROME DE IMUNODEFICIÊNCIA ADQUIRIDA; TERAPIA ANTIRRETROVIRAL DE ALTA ATIVIDADE; PRISÕES
  • Keywords: Acquired immunodeficiency Syndrome (AIDS); Antiretroviral therapy (ART); Prisons; Prisões; Síndrome da imunodeficiência adquirida (AIDS); Terapia antirretroviral (TARV)
  • Language: Português
  • Abstract: Considerando a infecção pelo HIV uma condição crônica e de alta prevalência no ambiente carcerário, este estudo objetivou analisar os desafios relacionados à regularidade no uso da terapia antirretroviral (TARV) pelas pessoas vivendo com HIV em unidades prisionais (UP) da região de Ribeirão Preto (RP), São Paulo. Tratase de um estudo descritivo, do tipo inquérito. Foram incluídos indivíduos reclusos há mais de seis meses, com diagnóstico de HIV e em uso de TARV. Utilizou-se um banco de dados contendo variáveis sociodemográficas, clínicas e de acompanhamento dos casos; adesão à TARV e ações desenvolvidas pelas equipes de saúde das UP para o monitoramento da ingestão medicamentosa. Os dados foram analisados por meio de técnicas descritivas e testes de associação (Quiquadrado e Exato de Fisher). Identificou-se 67 indivíduos em uso de TARV, dos quais, 80,6% cumpriam pena em regime fechado e 38,8% possuíam de dois a cinco anos de clausura. Houve o predomínio de homens (79,1%); 25 a 39 anos (52,2%); não brancos (64,2%); solteiros (47,8%); ensino fundamental I e II (67,1%); possuíam profissão (88,1%) e ganhavam de um a três salários mínimos (50,7%) antes da reclusão. Quanto ao perfil clínico e de acompanhamento: 44,8% diagnosticaram HIV na prisão; 86,6% faziam acompanhamento em serviço de assistência especializada em HIV (SAE); 41,7% interromperam o tratamento em algum momento; 31,3% possuíam TCD4+ acima de 500 cópias e em 62,7% a carga viral era indetectável. Identificou-se o usode drogas ilícitas (71,6%) e lícitas (80%) prévias ao encarceramento. Em relação ao atraso na entrega da TARV, 70,3% referiram nunca ou quase nunca ocorrer tal situação; 42,2% referiram nunca ou quase nunca perderem consultas nos SAE; 79,1% informaram que nunca ou quase nunca recebem os resultados dos exames laboratoriais processados fora das UP. Sobre o questionamento acerca do uso da TARV nos últimos sete dias: 76,1% tomaram medicamentos fora do horário; 80,6% deixaram de tomar medicamentos; 91% tomaram menos ou mais compridos. Em 58,2% dos casos houve retirada regular da TARV junto às unidades dispensadoras de medicamentos situadas na rede pública de saúde de Ribeirão Preto. Quanto às ações desenvolvidas dentro das UP voltadas ao monitoramento da TARV, considerou-se regular apenas o questionamento sobre o uso contínuo dos medicamentos, sendo que as demais foram insatisfatórias. A adesão à TARV apresentou associação estatisticamente significante com o sexo feminino (p=0,028); o uso de drogas lícitas (p=0,006) e a interrupção do acompanhamento médico (p=0,014) estiveram associadas à não adesão. Os achados deste estudo permitem refletir sobre a complexidade da assistência prestada às pessoas que vivem com HIV/aids no ambiente prisional, principalmente no que tange o monitoramento do uso da TARV, sinalizando a necessidade de desenvolvimento e incorporação de estratégias de intervenção que qualifiquem a produção do cuidado em saúde na perspectiva integral e resolutiva, capaz de produzir impactos condizentes com os desafios que perpassam a prevenção e o manejo do HIV
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 24.11.2017
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      RAVANHOLI, Glaucia Morandim; MONROE, Aline Aparecida. HIV/aids no cárcere: desafios relacionados à regularidade no uso da terapia antirretroviral. 2017.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2017. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/22/22133/tde-01032018-193155/ >.
    • APA

      Ravanholi, G. M., & Monroe, A. A. (2017). HIV/aids no cárcere: desafios relacionados à regularidade no uso da terapia antirretroviral. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/22/22133/tde-01032018-193155/
    • NLM

      Ravanholi GM, Monroe AA. HIV/aids no cárcere: desafios relacionados à regularidade no uso da terapia antirretroviral [Internet]. 2017 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/22/22133/tde-01032018-193155/
    • Vancouver

      Ravanholi GM, Monroe AA. HIV/aids no cárcere: desafios relacionados à regularidade no uso da terapia antirretroviral [Internet]. 2017 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/22/22133/tde-01032018-193155/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021