Exportar registro bibliográfico

Avaliação do Cuidado Farmacêutico na conciliação de medicamentos em pacientes idosos com câncer (2017)

  • Authors:
  • Autor USP: SANTOS, FABIANA NICOLA DOS - FMRP
  • Unidade: FMRP
  • Sigla do Departamento: RCM
  • Subjects: FÁRMACOS; IDOSOS; ONCOLOGIA
  • Keywords: Polifarmácia; Polypharmacy; Aged; Cancer; Câncer; Conciliação de medicamentos; Cuidado farmacêutico; Idoso; Medication reconciliation; Pharmaceutical care
  • Language: Português
  • Abstract: Atualmente o câncer e considerado um problema de saúde pública e cada vez mais, os idosos: recebem diagnóstico de câncer. Os idosos são os que possuem maior exponencial da prevalência de comorbidades e uso de medicamentos. A fragmentação daí assistência desses pacientes, que são acompanhados por várias especialidades e em diferentes niveis de assistência, aumenta o risco da polifarmácia e da sobreposição de medicamentos potencializando o risco de complicações. A revisão sistemática e individualizado dos medicamentos em uso é um elemento-chave para melhorar a qualidade da prescrição farmacológico e prevenir eventos adversos aos medicamentos em pacientes hospitalizados. Neste contexto, enquadra-se a conciliação de medicamentos. Outra vantagem da conciliação de medicamentos é possibilitar a educação do paciente sobre a farmacoterapia. OBJETIVO: Avaliar polifarmácia, automedicação, adesão e conhecimento da farmacoterapia domiciliar; armazenamento, principais dúvidas e necessidades de orientação em relação aos medicamentos; harmonização farmacoterapêutica, discrepâncias, interações medicamentosas, medicamentos inapropriados para idosos e duplicidade terapêutica. CASUISTICA E METODOS: Pacientes admitidos pelo Serviço de Oncologia Clinica e Ginecologia do HCFMRP-USP, com idade > 60 anos e diagnóstico de neoplasia maligna. Foi realizada entrevista com paciente/cuidador e aplicado testes de adesão e conhecimento da farmacoterapia domiciliar. Após a saída hospitalar do paciente foi realizada a revisão e comparação das farmacoterapias (domiciliar e hospitalar). RESULTADOS: Foram incluídos 157 pacientes, idade média de 68,4 anos, maioria do género feminino (60,5%), raça branca (84,1 %), neoplasia maligna em mama (26, 1 %), polifarmácia (70,7%) e automedicação (50,3%). O uso de medicamentos (p= 0,01) e a automedicação (pé 0,01) foramsignificativamente correlacionados com o género feminino. A maioria dos pacientes demonstrou não aderência à farmacoterapia domiciliar (73,4%) e média de conhecimento total 62,9%. O armazenamento dos medicamentos foi prevalente na cozinha (51%), com necessidade de educação adequada a 56,7% dos pacientes. As principais dúvidas se relacionaram à caligrafia do receituário médico (79%), posologia (72,6%) e indicação (67,5%). A maioria dos pacientes (92,4%) foi positiva e ficaria muito satisfeita (65,5%) em receber orientação farmacêutica. No período de admissão hospitalar, a maioria dos pacientes teve a farmacoterapia domiciliar prescrita parcialmente (53,9%), em que: a principal discrepância foi omissão não intencional. A interação medicamentosa foi significativamente diferente entre as farmacoterapias (p ~0,01). Na farmacoterapia hospitalar foram observadas 1.087 potenciais interações medicamentosas, e maioria com classificação grave (65,8%). A maioria dos pacientes fez uso de medicamentos inapropriados para idosos, 84,1% (domiciliar) e 85,3% (hospitalar). Foi mínima a duplicidade terapêutica observada, 11,7% na farmacoterapia domiciliar e 18,8% na hospitalar. CONCLUSÃO: a inserção do Cuidado Farmacêutico no momento da alta hospitalar pode contribuir na educação do' paciente em relação aos riscos da automedicação, melhoria no conhecimento, adesão e armazenamento dos medicamentos. A conciliação de medicamentos pode também auxiliar a prática clínica na harmonização farmacoterapêutica, reduzir discrepâncias, principalmente em relação à omissão não intencional, identificar interações medicamentosas, medicamentos inapropriado para idosos e duplicação terapêutica. A inclusão de sistemas de alertas na prescrição médica pode reduzir os riscos de interações medicamentosas e o uso de medicamentos inapropriados para idosos
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 22.11.2017
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      SANTOS, Fabiana Nicola dos; PERIA, Fernanda Maris. Avaliação do Cuidado Farmacêutico na conciliação de medicamentos em pacientes idosos com câncer. 2017.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2017. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/17/17138/tde-23072018-135825/ >.
    • APA

      Santos, F. N. dos, & Peria, F. M. (2017). Avaliação do Cuidado Farmacêutico na conciliação de medicamentos em pacientes idosos com câncer. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/17/17138/tde-23072018-135825/
    • NLM

      Santos FN dos, Peria FM. Avaliação do Cuidado Farmacêutico na conciliação de medicamentos em pacientes idosos com câncer [Internet]. 2017 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/17/17138/tde-23072018-135825/
    • Vancouver

      Santos FN dos, Peria FM. Avaliação do Cuidado Farmacêutico na conciliação de medicamentos em pacientes idosos com câncer [Internet]. 2017 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/17/17138/tde-23072018-135825/


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021