Exportar registro bibliográfico

Biomarcadores na anafilaxia a platinas (2017)

  • Authors:
  • Autor USP: GALVãO, VIOLETA REGNIER - FM
  • Unidade: FM
  • Sigla do Departamento: MCM
  • Subjects: NEOPLASIAS DOS GENITAIS FEMININOS; PLATINA; HIPERSENSIBILIDADE A DROGAS; ANAFILAXIA; DESSENSIBILIZAÇÃO IMUNOLÓGICA; BIOMARCADORES; ATIVAÇÃO DE MACRÓFAGOS; GENES; MASTÓCITOS
  • Keywords: Anaphylaxis; Basophil activation test; Biomarkers; Desensitization immunologic; Dessensibilização imunológica; Drug hypersensitivity; Genes BRCA1; Genes BRCA2; Gynecologic neoplasms; Platinum compounds; Triptases; Tryptases
  • Language: Português
  • Abstract: INTRODUÇÃO: O câncer constitui-se na principal causa de mortalidade entre indivíduos de 45 a 84 anos, configurando-se em um dos principais problemas de saúde pública dos países em desenvolvimento. As reações de hipersensibilidade aos quimioterápicos têm aumentado, impedindo muitas vezes a utilização de terapias de primeira linha no tratamento de neoplasias primárias ou recidivantes. O procedimento de dessensibilização é uma abordagem alternativa, por meio do qual o paciente passa a tolerar a medicação que antes desencadeava reações potencialmente letais. Quimioterápicos do grupo das platinas são exemplos de drogas passíveis de readministração por meio do processo de dessensibilização, no entanto faltam biomarcadores preditivos de reações durante o procedimento. OBJETIVOS: O objetivo principal do estudo foi avaliar o papel do teste de ativação de basófilos (BAT) como biomarcador para reações de hipersensibilidade ocorridas durante a dessensibilização em pacientes alérgicas às platinas. Como objetivo secundário, avaliou-se a prevalência e o impacto da mutação dos genes BRCA 1 e 2 em pacientes com hipersensibilidade imediata à carboplatina submetidas à dessensibilização. MÉTODOS: Padronizou-se o BAT, com análise da expressão de CD63 e CD203c na superfície de basófilos de pacientes com hipersensibilidade imediata às platinas submetidas à dessensibilização. Foram realizados BATs em 15 pacientes portadoras de neoplasias malignas submetidas a 27 dessensibilizações devido à anafilaxia a quimioterápico do grupo das platinas e em12 indivíduos de dois grupos controle (Grupo 1: seis pacientes tolerantes às platinas e Grupo 2: seis voluntários sadios que nunca foram expostos às platinas). Os resultados dos BATs foram comparados entre os três grupos. Correlacionou-se o BAT com a ocorrência ou não de reação durante a dessensibilização e com os níveis de triptase sérica. Para análise da prevalência e impacto da mutação dos genes BRCA 1 e 2 nas dessensibilizações, realizou-se análise retrospectiva de prontuários de 138 portadoras de neoplasias malignas ginecológicas submetidas à dessensibilização à carboplatina. RESULTADOS: O BAT foi positivo em 11 das 15 pacientes alérgicas (n= 11; 73,3%), com aumento de expressão de CD203c e CD63 em 11 (73,3%) e 6 (40%) pacientes, respectivamente. Todos os participantes dos grupos controles apresentaram testes negativos. Maior expressão de CD63 foi observada em pacientes com reações iniciais mais graves. O BAT foi positivo em 92,3% das reações ocorridas durante as dessensibilizações (n=12/13), sendo positivo em todas as reações que apresentaram aumento concomitante de triptase sérica (n=5). Com relação à mutação dos genes BRCA 1 e 2, sua prevalência foi de 34% nas pacientes com hipersensibilidade às platinas (n=47/138), sendo que 51% das portadoras reagiram durante a dessensibilização. CONCLUSÕES: O BAT positivo, com aumento da expressão de CD63 e/ou CD203c na superfície do basófilo, identificou pacientes alérgicos às platinas com especificidade de 100% e sensibilidade de 73,3%. O BAT e a mutação dos genesBRCA 1 e 2 identificaram pacientes mais propensos a reagir durante o procedimento de dessensibilização. A utilização de biomarcadores preditores de reações durante a dessensibilização aos quimioterápicos do grupo das platinas pode aumentar a segurança do procedimento e auxiliar na manutenção do esquema quimioterápico de primeira linha do paciente
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 14.12.2017
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      GALVÃO, Violeta Regnier; GIAVINA-BIANCHI JUNIOR, Pedro Francisco. Biomarcadores na anafilaxia a platinas. 2017.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2017. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5146/tde-27032018-133113/ >.
    • APA

      Galvão, V. R., & Giavina-Bianchi Junior, P. F. (2017). Biomarcadores na anafilaxia a platinas. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5146/tde-27032018-133113/
    • NLM

      Galvão VR, Giavina-Bianchi Junior PF. Biomarcadores na anafilaxia a platinas [Internet]. 2017 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5146/tde-27032018-133113/
    • Vancouver

      Galvão VR, Giavina-Bianchi Junior PF. Biomarcadores na anafilaxia a platinas [Internet]. 2017 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5146/tde-27032018-133113/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021