Exportar registro bibliográfico

Gestão estadual na saúde e articuladores: forças em relação  (2018)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: PEREIRA, CRISTIANE MARCHIORI - FSP
  • Unidades: FSP
  • Sigla do Departamento: HSP
  • Subjects: ADMINISTRAÇÃO EM SAÚDE PÚBLICA; EDUCAÇÃO EM SAÚDE; HUMANIZAÇÃO; POLÍTICA DE SAÚDE; SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE; RELAÇÕES INTERORGANIZACIONAIS; MAPAS TEMÁTICOS
  • Keywords: Apoio em Saúde; Educação Permanente em Saúde; Gestão em Saúde; Health Management; Health Support; Humanization; Micropolítica do Trabalho; Micropolitics in Health Work; Permanent Health Education
  • Language: Português
  • Abstract: Introdução: A articulação interfederativa é um importante desafio, que impõe tensões ao desenho da regionalização no Sistema Único de Saúde (SUS) no Brasil. União, estados e municípios enfrentam contextos diversos na produção de políticas, organização de serviços e práticas de saúde em cada âmbito. As Secretarias de Estado da Saúde (SES) ainda buscam seu papel no acompanhamento aos municípios e às regiões de saúde. A relação entre a SES e os municípios nos espaços regionais é marcada por diferentes jogos de forças e disputas de projetos que possibilitam diversos conflitos e acordos. A SES/SP propôs articuladores nos seus 17 Departamentos Regionais de Saúde nas áreas de Atenção Básica, Humanização e de Saúde da Mulher. Objetivo: acompanhar, estudar e problematizar os modos de se produzir a gestão estadual em saúde a partir do trabalho dos articuladores no que se refere às relações que constroem com municípios e regiões de saúde no Estado de São Paulo. Metodologia: o modo de produzir a pesquisa propôs um campo relacional e político que possibilitou acompanhar experiências, incluindo a do pesquisador-trabalhador. Uma cartografia de jogo de forças e afectabilidades nos encontros e planos em disputa que contribuiu para uma análise micropolítica do trabalho do articulador e de algumas perspectivas da gestão estadual. Resultados: o combate na pesquisa foi com questões sobre a gestão estadual e com questões sobre a prática do apoio em saúde. Os encontros acompanhados indicaramforças em relação, ora com ações mais produtoras de regularidades e capturas do trabalho vivo, ora com ações de cooperação e (re)invenção dos encontros entre gestores, trabalhadores e usuários. Conclusões: mesmo sem aposta da gestão central da SES/SP, são possíveis produções de apoio, pois todos governam e há forças ativas nos encontros. Ao romper com forças de dominação, mesmo que em pequenos acontecimentos, há a possibilidade de todo trabalhador-gestor, na dimensão da micropolítica ativa, exercer potências afirmativas de pensar e agir coletivamente na saúde, ainda que em cenários de sucateamentos políticos de gestão que perduram e se ampliam
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 15.03.2018

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      PEREIRA, Cristiane Marchiori; FEUERWERKER, Laura Camargo Macruz. Gestão estadual na saúde e articuladores: forças em relação . 2018.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2018. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/6/6135/tde-27032018-101510/ >.
    • APA

      Pereira, C. M., & Feuerwerker, L. C. M. (2018). Gestão estadual na saúde e articuladores: forças em relação . Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/6/6135/tde-27032018-101510/
    • NLM

      Pereira CM, Feuerwerker LCM. Gestão estadual na saúde e articuladores: forças em relação  [Internet]. 2018 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/6/6135/tde-27032018-101510/
    • Vancouver

      Pereira CM, Feuerwerker LCM. Gestão estadual na saúde e articuladores: forças em relação  [Internet]. 2018 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/6/6135/tde-27032018-101510/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020