Exportar registro bibliográfico

Associação entre massa e função muscular com microarquitetura e resistência óssea em mulheres nos primeiros anos de menopausa (2017)

  • Authors:
  • Autor USP: LOBO, DANIEL MEDEIROS - FM
  • Unidade: FM
  • Sigla do Departamento: MCM
  • Subjects: ENVELHECIMENTO; MENOPAUSA; OSSO E OSSOS; MÚSCULOS; FORÇA MUSCULAR; TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA POR RAIOS X
  • Keywords: Aging; Bone and bones; Menopause; Muscle strength; Muscles; Tomography X-ray computed
  • Language: Português
  • Abstract: INTRODUÇÃO: A maioria dos estudos sobre baixa massa muscular e osso envolvem populações idosas. No entanto, como o hipoestrogenismo nos primeiros anos da menopausa é capaz de modular negativamente a massa óssea e muscular, é importante compreender a interação entre músculo e osso neste período. Além disso, há uma escassez de estudos que investigam a influência potencial da massa e função muscular sobre a qualidade óssea (microarquitetura e resistência), o que poderia fornecer uma visão mais abrangente do risco de fratura nesta população. O objetivo deste artigo foi avaliar as correlações potenciais entre parâmetros musculares (massa, força e função) e microarquitetura e resistência óssea utilizando a tomografia computadorizada periférica de alta resolução (HR-pQCT) em mulheres pós-menopáusicas. MÉTODOS: Um total de 225 mulheres menopausadas saudáveis (56,4 ± 4,6 anos) foram avaliadas por questionário clínico, exames laboratoriais e composição corporal (DXA, Hologic, QDR-4500). A qualidade dos ossos (densidade, microarquitetura, porosidade cortical e resistência) foi analisada por tomografia computadorizada periférica de alta resolução (rádio distal e tíbia, XtremeCT, Scanco Medical, Brüttisellen, Suíça). A mobilidade funcional e o desempenho muscular foram medidos pela força de preensão palmar (dinamômetro do modelo JAMAR), testes de levantar e sentar em 30 segundos e teste de levantar e caminhar cronometrado. O equilíbrio foi avaliado pela Escala de equilíbrio de Berg. Acorrelação entre parâmetros ósseos (HR-pQCT) e desempenho muscular foi analisada pelo teste de Spearman (p < 0,05). RESULTADOS: No rádio, houve correlações positivas entre a força de preensão palmar e os parâmetros do HR-pQCT do osso trabecular (densidade mineral óssea volumétrica trabecular [Tb.vBMD]: r = 0,17, p = 0,03, espessura trabecular [Tb.Th]: r = 0,16, p = 0,04), bem como entre a força muscular e a resistência óssea (Rigidez [S]: r = 0,36, p < 0,001). Na tíbia, a massa muscular da perna esquerda foi correlacionada positivamente com o número de trabéculas [Tb.N] (r = 0,16, p < 0,001), separação trabecular [Tb.Sp]: r = - 0,15, p = 0,02), espessura cortical [Ct.Th] (r = 0,21, p = 0,01) e resistência óssea [S] (r = 0,37, p < 0,001). Não houve correlações significativas entre os parâmetros de HR-pQCT e os testes funcionais dos membros inferiores, exceto entre o equilíbrio e a Tb.vBMD na tíbia (r = 0,13, p = 0,04). Houve uma correlação negativa entre a gordura corporal total e a função muscular (teste de levantar e sentar em 30 segundos: r = - 0,21, p < 0,001, escala de equilíbrio de Berg: r = -0,21, p < 0,001). CONCLUSÃO: nas mulheres, nos primeiros anos da menopausa, a força muscular parece desempenhar um papel mais importante nos parâmetros ósseos do membro superior (rádio), enquanto a massa muscular parece exercer maior influência no osso do membro inferior (tíbia). Esses achados sugerem uma diferença na relação entre músculo e osso de acordo com os diferentessegmentos do corpo. Além disso, a correlação negativa entre gordura corporal com função e equilíbrio muscular indica que o aumento da massa gorda corporal pode conferir maior risco de quedas nesta população. Estudos longitudinais são necessários para confirmar esses dados
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 17.11.2017
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      LOBO, Daniel Medeiros; PEREIRA, Rosa Maria Rodrigues. Associação entre massa e função muscular com microarquitetura e resistência óssea em mulheres nos primeiros anos de menopausa. 2017.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2017. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5166/tde-15032018-100220/ >.
    • APA

      Lobo, D. M., & Pereira, R. M. R. (2017). Associação entre massa e função muscular com microarquitetura e resistência óssea em mulheres nos primeiros anos de menopausa. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5166/tde-15032018-100220/
    • NLM

      Lobo DM, Pereira RMR. Associação entre massa e função muscular com microarquitetura e resistência óssea em mulheres nos primeiros anos de menopausa [Internet]. 2017 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5166/tde-15032018-100220/
    • Vancouver

      Lobo DM, Pereira RMR. Associação entre massa e função muscular com microarquitetura e resistência óssea em mulheres nos primeiros anos de menopausa [Internet]. 2017 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5166/tde-15032018-100220/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021