Exportar registro bibliográfico

Resposta do tomateiro à aplicação de L-arginina em plantas cultivadas em ambiente protegido (2017)

  • Authors:
  • Autor USP: NAKAGAWA, FáBIO KEITI - ESALQ
  • Unidade: ESALQ
  • Sigla do Departamento: LPV
  • Subjects: ARGININA; CULTIVO PROTEGIDO; TOMATE
  • Language: Português
  • Abstract: Uma das alternativas para reduzir os efeitos negativos das altas temperaturas nas plantas e, consequentemente a perda na produção e qualidade é a utilização de indutores de tolerância. Dentro deste contexto, a L-arginina, se apresenta como uma alternativa, por ser um dos aminoácidos mais funcionais e precursora de importantes compostos na regulação metabólica das plantas, com efeito na atenuação do estresse abiótico. O objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito da aplicação foliar de diferentes doses de L-arginina (0; 0,15; 0,25; 0,5; 1,0 e 2,0 g L-1) na fisiologia, produção e qualidade do tomate cultivar Pizzadoro cultivado em ambiente protegido no período de verão. Para avaliação do efeito da L-arginina na fisiologia, foram feitas análises de indicadores de estresse dos compostos malonaldeído (MDA) e peróxido de hidrogênio (H2O2), das enzimas antioxidantes superóxido dismutase (SOD), catalase (CAT) e ascorbato peroxidase (APX), teores de aminoácidos livres e teores de nutrientes nas folhas de tomateiro. Na produção foram determinadas a produção total (PT), a produção com presença de defeitos (PRDEF), a produção não comercial (PRNC) e a produção comercial (PC) com a classificação de calibre pequeno (PROP), médio (PROM) e grande (PROG). Além disso, foram determinados o número de frutos totais (NFT), número de frutos com presença de defeitos (NDEF), número de frutos não comerciais (NFNC) e número de frutos comerciais (NFC) com classificação de calibre pequeno (NFP), médio(NFM) e grande (NFG). Amostras de frutos maduros foram colhidas para a determinação de sólidos solúveis (SST), pH da polpa, ácido ascórbico (AA) e acidez total titulável (ATT) para determinação da qualidade do tomate. A aplicação de 1,0 g L-1 de L-arginina diminuiu o teor de MDA, e aumentou a atividade das enzimas CAT e APX. Além disso, essa dose do aminoácido aumentou a PC, PT, NFC, NFT e diminuiu a produção de NFNC
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 14.08.2017
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      NAKAGAWA, Fábio Keiti; MELLO, Simone da Costa. Resposta do tomateiro à aplicação de L-arginina em plantas cultivadas em ambiente protegido. 2017.Universidade de São Paulo, Piracicaba, 2017. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11136/tde-01032018-173459/ >.
    • APA

      Nakagawa, F. K., & Mello, S. da C. (2017). Resposta do tomateiro à aplicação de L-arginina em plantas cultivadas em ambiente protegido. Universidade de São Paulo, Piracicaba. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11136/tde-01032018-173459/
    • NLM

      Nakagawa FK, Mello S da C. Resposta do tomateiro à aplicação de L-arginina em plantas cultivadas em ambiente protegido [Internet]. 2017 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11136/tde-01032018-173459/
    • Vancouver

      Nakagawa FK, Mello S da C. Resposta do tomateiro à aplicação de L-arginina em plantas cultivadas em ambiente protegido [Internet]. 2017 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11136/tde-01032018-173459/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021