Exportar registro bibliográfico

Avaliação do modelo animal de anedonia: depressão induzida por estresse crônico leve (2017)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: HOMEM, KAREN SILVIA DE CARVALHO - IP
  • Unidades: IP
  • Sigla do Departamento: PSE
  • Subjects: ESTRESSE; DEPRESSÃO; MODELOS ANIMAIS; NEUROFARMACOLOGIA
  • Language: Português
  • Abstract: O Transtorno da Depressão Maior (MDD) é uma doença muito difundida em todo mundo e com uma alta prevalência, principalmente em mulheres. Transtornos de humor são recorrentes e ameaçam a vida, devido ao risco de suicídio. Apesar disso, a etiologia do MDD ainda é pouco entendida e diversas hipóteses foram desenvolvidas na tentativa de explicá-la. Uma delas está ligada ao estresse. Distúrbios no eixo hipotálamo-hipófiseadrenal (HPA) estão presentes em cerca 70% de pacientes com depressão. Ao buscar um melhor modelo animal para estudo do impacto do estresse no desenvolvimento da depressão, chegamos ao estresse leve crônico (CMS). Em estudos prévios desenvolvidos neste laboratório, observamos que há diferenças entre tipos de estressores e os mediadores secretados na resposta do eixo HPA, isto é, durante o estresse físico é secretado o mediador vasopressina, enquanto que no estresse psicológico, é secretado o mediador CRF; já nos estresses considerados mistos (como nado forçado), ambos os mediadores estão presentes. Assim, propusemos estabelecer protocolos de CMS baseados no protocolo original de Paul Willner, pesquisador que desenvolveu este modelo, empregando estressores do tipo físico ou psicológico, separadamente. O que observamos foi que nenhum dos dois tipos de estressores conseguiu levar os animais à anedonia (queda na preferência por sacarose). No entanto, ao observar o ganho de peso dos animais ao longo do tempo e o mapeamento cerebral com citocromo c oxidase, notamos queo estresse teve seu impacto no animais. Comparados a outros modelos de depressão, o CMS tem a premissa de desenvolver um estado depressivo nos animais antes do teste com drogas antidepressivas, fazendo com que tenha uma alta validade preditiva. Ele também pode incorporar outros endpoints para avaliar outros comportamentos, além da anedonia, que possam demonstrar o estado depressivo no animal. Por exemplo, observamos no mapeamento cerebral que a substância negra e a PAG estiveram mais ativas no estresse físico e elas podem estar implicadas na busca por recompensa e na modulação de dor, respectivamente. Concluímos que o modelo de CMS é apropriado, embora ainda necessite de estudos quanto à equivalência de intensidade de estressores
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 28.11.2017

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      HOMEM, Karen Silvia de Carvalho; TRONCONE, Lanfranco Ranieri Paolo. Avaliação do modelo animal de anedonia: depressão induzida por estresse crônico leve. 2017.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2017. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/47/47135/tde-06022018-094927/ >.
    • APA

      Homem, K. S. de C., & Troncone, L. R. P. (2017). Avaliação do modelo animal de anedonia: depressão induzida por estresse crônico leve. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/47/47135/tde-06022018-094927/
    • NLM

      Homem KS de C, Troncone LRP. Avaliação do modelo animal de anedonia: depressão induzida por estresse crônico leve [Internet]. 2017 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/47/47135/tde-06022018-094927/
    • Vancouver

      Homem KS de C, Troncone LRP. Avaliação do modelo animal de anedonia: depressão induzida por estresse crônico leve [Internet]. 2017 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/47/47135/tde-06022018-094927/


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020