Exportar registro bibliográfico

A influência da afetividade sobre a associação entre adversidades na infância e patologia da personalidade na vida adulta (2017)

  • Authors:
  • Autor USP: SANTANA JUNIOR, GEILSON LIMA - FM
  • Unidade: FM
  • Sigla do Departamento: MPS
  • Subjects: MAUS-TRATOS INFANTIS; VIOLÊNCIA DOMÉSTICA; VIOLÊNCIA CONTRA O MENOR; VIOLÊNCIA NA FAMÍLIA; COMPORTAMENTO SOCIAL; COMPORTAMENTO AGRESSIVO; AFEIÇÃO; PERSONALIDADE ANTISSOCIAL; TRANSTORNOS DA PERSONALIDADE; EPIDEMIOLOGIA
  • Keywords: Adversidades na infância; Affect; Child abuse; Childhood adversities; Domestic violence; Epidemiology; Negative affect; Personality; Personality disorders; Positive affect
  • Language: Português
  • Abstract: INTRODUÇÃO: As adversidades na infância são experiências comuns e associadas a uma série de desfechos negativos ao longo da vida. Maus tratos e disfunção familiar também estão implicados em transtornos de personalidade na idade adulta, mas ainda não foram esclarecidos os mecanismos e processos subjacentes. OBJETIVOS: O objetivo principal é investigar a associação entre adversidades na infância e patologia da personalidade na população adulta residente na Região Metropolitana de São Paulo. Será testada a hipótese de que essa relação seja mediada por traços de afetividade positiva e negativa. Também será avaliada a prevalência das adversidades na infância, a sua distribuição e agregação, assim como a epidemiologia dos transtornos da personalidade, ainda amplamente desconhecida no Brasil devido à falta de estudos com amostras representativas da nossa população. MÉTODOS: Os dados foram provenientes do São Paulo Megacity, estudo com uma amostra representativa dos adultos residentes na Grande São Paulo (n=2.942). Foram utilizadas regressão multivariada, análise multinível e modelagem de equações estruturais. RESULTADOS: Mais da metade (53,6%) dos adultos da Grande São Paulo relatou alguma adversidade na infância, sendo as mais comuns a morte parental, o abuso físico e a violência familiar. Em geral, essas experiências não ocorreram de maneira isolada, especialmente as consideradas mais graves, como o abuso sexual. Também foi elevada a prevalência de patologia da personalidade:6,8% dos adultos apresentaram algum transtorno, sendo mais comum o Cluster C (4,6%), seguido pelos Clusters A (4,3%) e B (2,7%). Esses quadros estavam independentemente associados a prejuízos funcionais, especialmente nos domínios cognitivo e de interação social. Entretanto, com exceção do Cluster C, não houve associação com uso de serviços de saúde após o ajuste para outros diagnósticos psiquiátricos. Todos os transtornos da personalidade estavam associados a adversidades na infância, e a maior ocorrência foi encontrada no Cluster B (71,8%). Os eventos mais relacionados foram abuso físico, psicopatologia parental, criminalidade parental e violência familiar. Essas relações respeitaram um gradiente dose-resposta: quanto maior o número de exposições, maior a probabilidade de transtorno da personalidade. Essas associações foram parcialmente mediadas pelo aumento do afeto negativo, mas não pela diminuição do afeto positivo. CONCLUSÕES: As adversidades na infância são experiências frequentes, que tendem a se agregar em redes complexas, indicando a existência de contextos abusivos. Os expostos têm uma probabilidade aumentada de patologia da personalidade, quadros com significativas repercussões funcionais. Os resultados ressaltam a necessidade de se investigar uma história de eventos adversos na infância e abordar as suas consequências afetivas em pacientes com transtornos da personalidade. Esse estudo também pode trazer alguma contribuição à Saúde Pública. Possivelmente, oesclarecimento dessas cadeias de eventos pode ajudar no delineamento de potenciais alvos para intervenção. Estratégias preventivas, como o treinamento de habilidades parentais, podem ser direcionadas às famílias sob maior risco, e as crianças e adolescentes que já foram expostos podem ser elegíveis para programas voltados à regulação emocional. Investigações futuras devem avaliar se essas estratégias podem reduzir a ocorrência e o ônus associado aos transtornos da personalidade
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 06.12.2017
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      SANTANA JUNIOR, Geilson Lima; ANDRADE, Laura Helena Silveira Guerra de. A influência da afetividade sobre a associação entre adversidades na infância e patologia da personalidade na vida adulta. 2017.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2017. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5142/tde-29012018-131957/ >.
    • APA

      Santana Junior, G. L., & Andrade, L. H. S. G. de. (2017). A influência da afetividade sobre a associação entre adversidades na infância e patologia da personalidade na vida adulta. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5142/tde-29012018-131957/
    • NLM

      Santana Junior GL, Andrade LHSG de. A influência da afetividade sobre a associação entre adversidades na infância e patologia da personalidade na vida adulta [Internet]. 2017 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5142/tde-29012018-131957/
    • Vancouver

      Santana Junior GL, Andrade LHSG de. A influência da afetividade sobre a associação entre adversidades na infância e patologia da personalidade na vida adulta [Internet]. 2017 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5142/tde-29012018-131957/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020