Exportar registro bibliográfico

Função abdutora do quadril após a osteotomia basocervical e cervicoplastia no escorregamento epifisário proximal do fémur (2017)

  • Authors:
  • Autor USP: ANGELICO, ANA CECILIA CAPOANI - FMRP
  • Unidade: FMRP
  • Sigla do Departamento: RAL
  • Subjects: OSTEOTOMIA; QUADRIL; ADOLESCENTES; FORÇA MUSCULAR; DINAMÔMETROS; INQUÉRITOS EPIDEMIOLÓGICOS; QUESTIONÁRIOS
  • Keywords: Adolescent; Adolescente; Dinamômetro de força muscular; Escorregamento das epífises proximais do fêmur; Força muscular; Hip; Inquéritos e questionários; Muscle strength; Muscle strength dynamometer; Osteotomia; Osteotomy; Quadril; Slipped capital femoral epiphyses; Surveys and questionnaires
  • Language: Português
  • Abstract: O escorregamento epirisário proximal do lêmur (EEPF) é a afecção do quadril mais comum na adolescência e se caracteriza nela excentricidade da epífise em relação à metáfise. Deformidades anatômicas residuais e efeitos secundários no mecanismo abdutor podem estar associados à perda de força abdutora. Objetivamos avaliar a função da musculatura abdutora do quadril após tratamento cirúrgico com osteotoinia femoral basocervical e cervicoplastia e comparar os resultados com indivíduos saudáveis. Vinte e quatro pacientes com EÉPF moderado ou Crave foram submetidos à osteotomia femoral basocervical e cervicoplastia entre 2012 e 2015. e foram avaliados prospectivamente com seguimento mínimo de um ano (idade média 14,9 +- 1,6 anos). O grupo controle foi composto por 15 indivíduos saudáveis sem sintomas no quadril (16,5 T 2,5 anos). Avaliamos a amplitude de abdução passiva dos quadris, força concêntrica dos músculos abdutores do quadril por meio de dinamometria isocinética a 60°/s e a 120°/s, teste de Trendelenburg, e a pontuação dos questionários Harris Hip Score (HHS) e 12-ltem Short-Form Health Survey (SF-12). Um subgrupo de sete pacientes foi submetido à avaliação longitudinal aos seis, 12 e 24 meses de pós-operatório. No seguimento final, comparamos a função abdutora dos quadris com escorregamentos moderados e graves submetidos à osteotomia basocervical e cervicoplastia. com escorregamentos contralaterais mais leves, submetidos à fixação in situ, quadris contralaterais sem EEPF, e grupo controle. No subgrupo avaliado longitudinalinente, houve melhora significativa na força muscular abdutora dos quadris durante os dois anos de seguimento (60°/s, p=0,048; 120°/s, p=0,001). O seguimento final médio de todos os pacientes foi de 1,6 +- 0,6 anos. Quadris com EEPF apresentaram a média de nico de toraue abdutor diminuída quando comparados aos quadris contralaterais sem escorregamento(60°/s, p=0,004; 120°/s, p<0,001) e aos quadris dos individuos controles (60°/s, p<0,001; 120°/s, p<0,001). Após a osteotomia basocervical e cervicoplatia, os quadris apresentaram média de pico de torque abdutor (60°/s, p=0,63; 120°/s, p=0,99) e amplitude de abduçao passiva (p=0,5) semelhante aos quadris fixados in situ. Houve correlacão nositiva significativa entre médias de pioco de torque abdutor e amplitude de abdução passiva do quadril (coeficiente de Spearman, 0,36; p<0,001). O sinal de Trendelenburg foi ausente em 91,ó% dos pacientes no tempo final de seguimento. As médias das pontuaçoes dos questionários dos pacientes no seguimento final foram de 94.8 +- 7.3 para o HHS; 52.6 +-6,8 e 57.6 +- 4.6 para os componentes físico e mental do SF-12, respectivamente. Concluímos que o restabelecimento de força de mecanismo abdutor é progressivo nos dois anos após osteoto mia basocervical e cervicoplastia, porém a força não foi restabelecida aos níveis normais. Um ano não foi suficiente para recuperação da força abdutora. Os resultados da osteotomia basocervical realizada em quadris com EEPF moderado e grave foram comparáveis aos resultados de quadris com desvio inicial significativamente menores submetidos à fixação in situ
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 13.09.2017
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      ANGÉLICO, Ana Cecília Capoani; MARANHO, Daniel Augusto Carvalho. Função abdutora do quadril após a osteotomia basocervical e cervicoplastia no escorregamento epifisário proximal do fémur. 2017.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2017. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/17/17142/tde-29032018-094900/ >.
    • APA

      Angélico, A. C. C., & Maranho, D. A. C. (2017). Função abdutora do quadril após a osteotomia basocervical e cervicoplastia no escorregamento epifisário proximal do fémur. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/17/17142/tde-29032018-094900/
    • NLM

      Angélico ACC, Maranho DAC. Função abdutora do quadril após a osteotomia basocervical e cervicoplastia no escorregamento epifisário proximal do fémur [Internet]. 2017 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/17/17142/tde-29032018-094900/
    • Vancouver

      Angélico ACC, Maranho DAC. Função abdutora do quadril após a osteotomia basocervical e cervicoplastia no escorregamento epifisário proximal do fémur [Internet]. 2017 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/17/17142/tde-29032018-094900/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021