Exportar registro bibliográfico

Alterações morfofuncionais em circuitos medulares de ratos submetidos à estimulação dolorosa durante a fase neonatal (2017)

  • Authors:
  • Autor USP: SILVEIRA, GREICE ANNE RODRIGUES - FMRP
  • Unidade: FMRP
  • Sigla do Departamento: RNP
  • Subjects: DOR; NEONATOLOGIA; RECÉM-NASCIDO; MEDULA ESPINHAL
  • Language: Português
  • Abstract: A estimulação dolorosa recorrente em recém-nascidos, pode induzir alterações de longo prazo nos circuitos nociceptivos da medula espinal, levando a um processamento sensorial alterado na idade adulta. Esse processo é resultante da plasticidade em desenvolvimento no cérebro imaturo. Os circuitos neurais são influenciados pela experiência sensorial durante períodos críticos, no início da vida. A maturação e a organização desses circuitos no SNC, são totalmente dependentes de estimulação. Portanto, as experiências dolorosas no período neonatal podem moldar o sistema sensório-motor no adulto. Assim, o presente estudo avaliou a resposta glial e os aspectos funcionais dos efeitos da estimulação dolorosa em fase neonatal. Para isso, foram utilizados ratos Wistar machos com 5 (neonato) e 180 (adulto) dias de vida, divididos em 4 grupos experimentais: I - Controle, neonato (N=6); II - Controle, adulto (N=6); III Doloroso, neonato (N=6) e IV - Doloroso, adulto (N=6). Grupo I e II foram submetidos à procedimentos táteis por 15 dias consecutivos após o nascimento. Grupo III e IV receberam estimulo doloroso. Para avaliação funcional, foram utilizados (n=8) para todos os grupos. O teste de pressão da pata e de estimulação tátil foram aplicados para avaliar a sensibilidade dos animais. A técnica de imunofluorescência foi utilizada para quantificar a expressão de sinaptofisina (terminais sinápticos), VGLUT1 (transportador vesicular de glutamato-1), GFAP (astrócitos) e Iba1 (microglia). A densidade de neurônios imunomarcados foi calculada a partir da área total estudada de cada região de interesse. Os resultados mostraram que os animais submetidos a estimulas dolorosos apresentaram hipersensibilidade nos dois tempos avaliados. Essa observação corresponde ao aumento significativo da reatividade glial no corno dorsal, ventral e também na região intermediária da medulaespinal. Em geral, os dados presentes indicam que a estimulação dolorosa neonatal resulta em longa atividade aumentada das células gliais no microambiente medular, gerando hiperalgesia e alterações motores e sensíveis persistentes até a idade adulta
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 17.08.2017

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      SILVEIRA, Greice Anne Rodrigues; FAZAN, Valéria Paula Sassoli. Alterações morfofuncionais em circuitos medulares de ratos submetidos à estimulação dolorosa durante a fase neonatal. 2017.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2017.
    • APA

      Silveira, G. A. R., & Fazan, V. P. S. (2017). Alterações morfofuncionais em circuitos medulares de ratos submetidos à estimulação dolorosa durante a fase neonatal. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Silveira GAR, Fazan VPS. Alterações morfofuncionais em circuitos medulares de ratos submetidos à estimulação dolorosa durante a fase neonatal. 2017 ;
    • Vancouver

      Silveira GAR, Fazan VPS. Alterações morfofuncionais em circuitos medulares de ratos submetidos à estimulação dolorosa durante a fase neonatal. 2017 ;


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021