Exportar registro bibliográfico

Estudo da densidade neuronal e glial do córtex pré-frontal de ratos submetidos à separação materna e ambiente enriquecido (2017)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: NAKAYAMA, ANA BEATRIZ SOUZA - FMRP
  • Unidades: FMRP
  • Sigla do Departamento: RNP
  • Subjects: NEUROCIÊNCIAS; CÓRTEX PRÉ-FRONTAL; APOPTOSE; NEURÔNIOS; ASTRÓCITOS
  • Language: Português
  • Abstract: O córtex pré-frontal (CPF) é uma estrutura encefálica que integra emoção, cognição e ação e está envolvido na modulação bifuncional sobre o eixo HPA (hipotálamo-pituitária-adrenal). Ele é dividido em porção pré-limbica -- que envia estimulas excitatórios aos neurónios gabaérgicos e inibe o eixo HPA -- e porção infra-limbica -- responsável por enviar estímulos excitatórios para neurónios não gabaérgicos e assim ativar o eixo HPA. O estresse crónico emocional desequilibra essas vias excitatórias e inibitórias e, consequentemente, desregulam as atividades do eixo HPA. Sabe-se que o CPF está associado a desordens psiquiátricas como transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH), esquizofrenia, autismo e depressão e que alguns individuos que desenvolvem tais doenças podem ter sido submetidos a eventos estressantes em algum momento da vida, principalmente durante a infância. Alguns estudos mostraram uma redução do volume dessa região em pacientes acometidos pelos distúrbios acima relacionados. Não se sabe, se essa redução de volume poderia estar relacionada à redução do número de neurónios ou células da glia, mais especificamente astrócito, ou se há diferenças na quantidade de neurónios ou astrócitos, poderia ser devido ao aumento do processo apoptótico ou necroptótico nessa região. O modelo de separação materna é uma ferramenta eficiente para estudar alterações comportamentais e encefálicas promovidas pelo estresse neonatal, pois, assim como notado em outros transtornos psiquiátricos, promove nos filhotes mudanças comportamentais, neurofisiológicas e estruturais. Diferente da separação materna, o ambiente enriquecido expõe os animais a ambientes ricos em estimulação sensorial, fisica e social e sugere-se que ele possa ter efeito benéfico na reversão e/ou atenuação de modificações comportamentais e encefálicas promovidas por modelos animais dedepressão, esquizofrenia, ansiedade e hiperatividade. Assim, este trabalho objetivou verificar se o ambiente enriquecido seria capaz de atenuar, suprimir ou reverter alterações morfológicas e moleculares no córtex pré-frontal medial de ratos submetidos à separação materna. O estudo foi realizado através de técnicas de imufluorescência, que permitiu a quantificação de neurónios e astrócitos, a verificação das diferenças de volume entre os grupos estudados, e possibilitou verificar a expressão genes relacionados a cascata de apoptose e necropotose através de técnicas de qRT-PCR. Nosso trabalho, não observou mudanças no volume do CPF medial entre os grupos, porém houve uma tendência no aumento da densidade de neurônios no grupo de animais que sofreram separação materna e ambiente enriquecido (SMAE) em relação aos animais do grupo controle ( C não manipulados) na região do CPF medial pré-limbica. No que diz respeito aos genes, houve tendência à redução na expressão dos genes Bax e Mlkl no CPF medial pré-limbico no grupo SMAE quando comparado aos animais que sofreram separação materna (SM) e no gene Nf-kb no CPF medial pré-límbico no grupo SMAE em relação ao grupo C. Também se verificou tendência à redução na expressão do gene Apafl no CPF medial infra-limbico no grupo SMAE em relação ao grupo C e ao grupo que foi somente para o ambiente enriquecido (AE) e na expressão do gene Bc12, Hrk e Nf-kb no CPF medial infra-limbico no grupo SMAE comparado ao grupo C. Outro achado interessante foi à redução da expressão do gene Rbfox3 no CPF medial pré-limbico no grupo SMAE em relação ao grupo C e ao SM, e no CPF medial infra-limbico no grupo AE comparado ao grupo C e no grupo SMAE em relação aos grupos C e SM. Assim, os resultados demonstraram que os ratos submetidos à separação materna e depois expostos ao ambiente eenriquecido possuem uma densidade neuronal maior, ainda que discreta, e uma melhora na redução da expressão de alguns genes apoptóticos. Talvez isso tenha ocorrido como um efeito neuroprotetor, uma vez que ao invés do antagonismo entre os procedimentos de SM e AE, o que houve foi uma somatória de efeitos, ou seja, o ambiente enriquecido também estaria atuando como um agente estressor neste estudo
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 30.05.2017

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      NAKAYAMA, Ana Beatriz Souza; MOREIRA, Jorge Eduardo. Estudo da densidade neuronal e glial do córtex pré-frontal de ratos submetidos à separação materna e ambiente enriquecido. 2017.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2017.
    • APA

      Nakayama, A. B. S., & Moreira, J. E. (2017). Estudo da densidade neuronal e glial do córtex pré-frontal de ratos submetidos à separação materna e ambiente enriquecido. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Nakayama ABS, Moreira JE. Estudo da densidade neuronal e glial do córtex pré-frontal de ratos submetidos à separação materna e ambiente enriquecido. 2017 ;
    • Vancouver

      Nakayama ABS, Moreira JE. Estudo da densidade neuronal e glial do córtex pré-frontal de ratos submetidos à separação materna e ambiente enriquecido. 2017 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020