Exportar registro bibliográfico

Mensuração das obrigações previdenciárias nas contas da União: uma análise atuarial das pensões militares das forças armadas (2017)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: SILVA, ANDERSON SOARES - FEA
  • Unidades: FEA
  • Sigla do Departamento: EAC
  • Subjects: ATUÁRIA; PENSÕES; FORÇAS ARMADAS
  • Keywords: Actuarial valuation; Actuary; Armed Forces; Avaliação atuarial; Contabilidade previdenciária; Pension accounting; Pensions
  • Language: Português
  • Abstract: Este trabalho teve por objetivo geral realizar uma análise de como contabilizar obrigações, com benefícios previdenciários de risco, em regimes de repartição simples, que não preveem formação de reserva ou métodos pré-definidos para isso. Para a consecução de tal objetivo, escolheu-se o benefício de pensão por morte (pensão militar) das Forças Armadascomo objeto de estudo. Nesse sentido, o uso de uma base de dados real contendo as informações individualizadas, pode ser apontado com um dos diferenciais desta pesquisa.Considerando-se o grau de confiabilidade dessa base de dados, além do ineditismo do seu uso em pesquisas acadêmicas, foi possível inferir que os resultados obtidos contribuíram para ratificar diversos conceitos expostos na plataforma teórica. A trajetória metodológica desta pesquisa foi desenvolvida com base no emprego de métodos de custeio atuarial a fim de realizar a projeção de receitas e despesas do sistema de pensões militares. Tais métodos, além da repartição simples, estão alinhados com as abordagens Accumulated Benefit Obligation(ABO) e Projected Benefit Obligation(PBO). Dessa forma, por meio da comparação entre os resultados oriundos das mencionadas abordagens, buscou-se identificar os possíveis impactos nas contas da União, enquanto ente empregador. O confronto de resultados foi realizado com base em uma análise comparativa cujo método principal para o cálculo atuarial foi o fluxo projetado, bem como o fundo financeiro decorrente desse fluxo. Com basenos valores obtidos, diante das diferenças conceituais das abordagens estudadas, entendeu-se que uma forma adequada para permitir a comparação dos resultados seria o cálculo do fundo financeiro futuro a cada período de tempo (t). A análise dos resultados indicou a ocorrência de diferenças representativas entre as abordagens. Na verdade, constatou-se que por não considerar o aumento salarial, o modelo ABO previu menores valores de obrigações com os benefícios futuros, portanto, os valores presentes do fundo financeiro foram maiores do que os modelos que consideraram aumento salarial.Nessa perspectiva, sob o enfoque do ente empregador, os resultados pareceram mais otimistas.Por fim, a abordagem PBO apresentou resultados que pareceram mais aderentes `a realidade do sistema, aproximando-se relativamente do resultado da repartição, no cenário com taxa de juros de 3% (menor taxa utilizada nas projeções). Considerando-se o tempo total das projeções, foi possível observar que, para os modelos de repartição e PBO, existiu um passivo a ser registrado nas contas da União. No entanto, o modelo ABO indicou o contrário, sugerindo que há uma ativo a ser contabilizado no Balanço Geral da União. Tal situação indicou que há diferenças concretas nos resultados, que podem levar os usuários da informação contábil a tomar decisões equivocadas em decorrência dessa distorção de valores. Ficou evidenciado que quanto maior for o horizonte de tempo projetado, maiores serão as diferenças. Ou seja, nomenor horizonte adotado (25 anos) constatou-se as menores diferenças. Nesse horizonte, todos os modelos apresentaram valores de que sugerem a existência de um ativo a ser contabilizado. À luz de tal constatação parece razoável sugerir como adequada a revisão do tempo de projeção hoje empregado no âmbito da União (75 anos) na tentativa de reduzir a parcela de incerteza embutida nesse horizonte de longo prazo
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 08.08.2017

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      SILVA, Anderson Soares; MARTINS, Gilberto de Andrade. Mensuração das obrigações previdenciárias nas contas da União: uma análise atuarial das pensões militares das forças armadas. 2017.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2017. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/12/12136/tde-16102017-110748/ >.
    • APA

      Silva, A. S., & Martins, G. de A. (2017). Mensuração das obrigações previdenciárias nas contas da União: uma análise atuarial das pensões militares das forças armadas. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/12/12136/tde-16102017-110748/
    • NLM

      Silva AS, Martins G de A. Mensuração das obrigações previdenciárias nas contas da União: uma análise atuarial das pensões militares das forças armadas [Internet]. 2017 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/12/12136/tde-16102017-110748/
    • Vancouver

      Silva AS, Martins G de A. Mensuração das obrigações previdenciárias nas contas da União: uma análise atuarial das pensões militares das forças armadas [Internet]. 2017 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/12/12136/tde-16102017-110748/


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020