Exportar registro bibliográfico

Avaliação da organização assistencial de unidades básicas de saúde no Estado de São Paulo: uma análise a partir dos resultados e aplicação do QualiAB 2010 (2017)

  • Authors:
  • Autor USP: ANDRADE, MARTA CAMPAGNONI - FM
  • Unidade: FM
  • Sigla do Departamento: MPR
  • Subjects: ATENÇÃO SELETIVA; ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE; CENTROS DE SAÚDE; AVALIAÇÃO DE SERVIÇOS; AVALIAÇÃO DE TECNOLOGIAS DA SAÚDE; PESQUISA QUALITATIVA; SÃO PAULO (SP)
  • Keywords: Health services; Health centers; Health services evaluation; Health services research; Primary health care; Process assessment (health care)
  • Language: Português
  • Abstract: esperado da APS. Arranjos organizativos que mesclem distintos modos de organizar e operar os serviços podem ser mais promissores. Medidas que busquem mitigar as desigualdades devem ser reafirmadas como políticas públicas, especialmente no caso de municípios de menor porte populacionalO movimento de reafirmação da importância da Atenção Primária à Saúde (APS) nas primeiras décadas deste século ressaltou a necessidade de qualificação dos serviços deste nível de atenção, impulsionando iniciativas de avaliação e monitoramento. No Brasil, correspondeu à implantação da Estratégia Saúde da Família (ESF). No Estado de São Paulo, implantou-se a ESF em uma rede de APS já organizada segundo Programas de saúde. A convivência entre esses dois modos de organizar e operar os serviços gerou grande diversidade de estruturação assistencial da APS.O objetivo desse estudo foi avaliar a capacidade de resposta de serviços do interior do Estado de São Paulo, a necessidades de saúde classicamente reconhecidas como próprias da APS. Os dados utilizados são provenientes do banco de respostas de 2.735 serviços ao questionário QualiAB - Avaliação da Qualidade e Monitoramento da Atenção Básica, composto por 85 questões de múltipla escolha. O quadro avaliativo Capacidade de resposta em APS resultou de determinadas questões do QualiAB, organizadas em 3 domínios: Disponibilidade de recursos (4 subdomínios: 59 indicadores), Operação direta da assistência (4 subdomínios: 50) e Gerenciamento Trabalho (3 subdomínios:25), cujo total resultou em 122 indicadores. Toda resposta positiva correspondeu ao valor 1. A média geral obtida foi 56,6%. Pelos testes de Friedman e Dunn, o domínio Disponibilidade de recursos teve maior contribuição no desempenho, seguido dos domínios Gerenciamento técnicodo trabalho e Operação direta da assistência. Os três domínios mostraram correlação positiva (teste de Spearman). As k-médias dos subdomínios constituíram dois grupos de desempenho: Capacidade Satisfatória de resposta (CS), com 39% (1065) dos serviços estudados e o grupo Capacidade Insuficiente (CI), com 61% (1658). Para analisar a distribuição dos serviços nos grupos utilizou-se modelo de regressão logística que considerou como variáveis possivelmente associadas: população e índice de desenvolvimento humano (IDH) do município de localização do serviço, número de consultas do serviço, apoio técnico da gestão estadual, apoio financeiro da gestão estadual e arranjo organizativo, este último a partir daquelas formas de estruturação assistencial dos serviços. Os resultados mostraram que serviços de arranjo organizativo do tipo Mix Centro de Saúde - ESF, que realizam 800 ou mais consultas mensais, localizados em municípios com mais de 100 mil habitantes, que receberam apoio técnico adicional do Estado e de maior IDH mostraram maior chance de pertencer ao grupo de Capacidade Satisfatória de resposta. O apoio financeiro adicional do Estado não mostrou associação. Quando estas variáveis foram ajustadas apenas para serviços localizados em municípios com menos de 100 mil habitantes, o apoio financeiro contínuo desde 2000 mostrou associação, enquanto o IDH não mais se mostrou associado. Diante disto, conclui-se que a capacidade de resposta obtida foi baixa, comprometendo o papel
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 11.08.2017
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      ANDRADE, Marta Campagnoni; NEMES, Maria Ines Baptistella. Avaliação da organização assistencial de unidades básicas de saúde no Estado de São Paulo: uma análise a partir dos resultados e aplicação do QualiAB 2010. 2017.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2017. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5137/tde-25102017-114401/ >.
    • APA

      Andrade, M. C., & Nemes, M. I. B. (2017). Avaliação da organização assistencial de unidades básicas de saúde no Estado de São Paulo: uma análise a partir dos resultados e aplicação do QualiAB 2010. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5137/tde-25102017-114401/
    • NLM

      Andrade MC, Nemes MIB. Avaliação da organização assistencial de unidades básicas de saúde no Estado de São Paulo: uma análise a partir dos resultados e aplicação do QualiAB 2010 [Internet]. 2017 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5137/tde-25102017-114401/
    • Vancouver

      Andrade MC, Nemes MIB. Avaliação da organização assistencial de unidades básicas de saúde no Estado de São Paulo: uma análise a partir dos resultados e aplicação do QualiAB 2010 [Internet]. 2017 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5137/tde-25102017-114401/


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021