Exportar registro bibliográfico

Felicidade: utopia, pluralidade e política. A delimitação da felicidade enquanto objeto para a ciência (2017)

  • Authors:
  • Autor USP: SEWAYBRICKER, LUCIANO ESPOSITO - IP
  • Unidade: IP
  • Sigla do Departamento: PST
  • Subjects: FELICIDADE; FILOSOFIA; UTOPIA; POLÍTICA; CONSTRUTIVISMO (PSICOLOGIA); PSICOLOGIA SOCIAL
  • Language: Português
  • Abstract: Pensar sobre a felicidade não é um exercício particularmente recente. Desde os gregos antigos, pensar sobre a felicidade e propor aquilo que ela significa faz parte da história dos Homens. Em meio a esse longo percurso, de mais de dois mil anos, o tema continua polêmico, sendo entendido de diferentes formas mesmo após ser investigado intensamente como objeto científico desde a segunda metade do século XX. Neste trabalho, a partir de três questões provocadoras (\"por que um mesmo objeto gera conceitos tão diferentes?\", \"por que os recentes achados científicos, com evidências de causalidades confiáveis, não têm sido capazes de aprofundar a compreensão do que é felicidade e não são indicadores de caminhos para se promover felicidade?\" e \"como a ciência poderia estudar a felicidade?\") traçou-se os objetivos a seguir: (1) apresentar definição abrangente de felicidade; (2) identificar inconsistências entre conceito, objetivos e fundamentos nas pesquisas atuais sobre a felicidade; (3) apresentar uma forma de a ciência investigar a felicidade de modo coerente e rigoroso. Para tal, analisaram-se diferentes proposições de felicidade na filosofia, na ciência (especialmente a Psicologia Positiva) e na política, buscando aquilo que há de comum em relação ao conceito. A partir de referencial construcionista social e do conceito de performatividade, chegou-se, ao entendimento de que felicidade \"aquilo que determinada pessoa entende ser, em dado momento, a melhor forma de se viver apartir de sua relação dialética com o mundo\". Entender a felicidade dessa maneira evidencia seu caráter líquido, em constante transformação. Mais promissor do que estudar seu aspecto estável, é estudá-la enquanto objeto em constante transformação. Quanto mais se tenta aprisioná-la e torná-la mensurável, mais complexidade lhe é acrescentada (ao invés de inteligibilidade). É por tal razão que a empreitada empirista da Psicologia Positiva, na medida em que fragmentou o conceito, não fertilizou a discussão sobre o tema. Ao invés disso, acrescentou novos sinônimos e correlatos, bem como exigiu abandonar importantes discussões e adotar termos vagos para definí-la. Ainda, é importante considerar o caráter performativo de se falar sobre a felicidade. Por ser um tema de interesse tão amplo, comunicações sobre a felicidade evidenciam capacidade de interferir no modo com que as pessoas vivem. Falar sobre a felicidade nunca será um simples falar. De modo geral, pode-se apontar para três oportunidades de pesquisa em relação ao tema: aprofundar as consequências de se utilizar o conceito e a rede de construção de credibilidade em torno dele; entender aquilo que faz o entendimento do conceito mudar e de que forma; utilizar o conceito como forma de acessar características individuais e sociais relevantes
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 31.05.2017
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      SEWAYBRICKER, Luciano Esposito; MALVEZZI, Sigmar. Felicidade: utopia, pluralidade e política. A delimitação da felicidade enquanto objeto para a ciência. 2017.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2017. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/47/47134/tde-05102017-175007/ >.
    • APA

      Sewaybricker, L. E., & Malvezzi, S. (2017). Felicidade: utopia, pluralidade e política. A delimitação da felicidade enquanto objeto para a ciência. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/47/47134/tde-05102017-175007/
    • NLM

      Sewaybricker LE, Malvezzi S. Felicidade: utopia, pluralidade e política. A delimitação da felicidade enquanto objeto para a ciência [Internet]. 2017 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/47/47134/tde-05102017-175007/
    • Vancouver

      Sewaybricker LE, Malvezzi S. Felicidade: utopia, pluralidade e política. A delimitação da felicidade enquanto objeto para a ciência [Internet]. 2017 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/47/47134/tde-05102017-175007/


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021