Exportar registro bibliográfico

Esquema terapêutico de dose fixa combinada (RHZE) e o controle da tuberculose em área de elevada carga da doença: Município de Santos (SP) (2017)

  • Authors:
  • Autor USP: NASCIMENTO, ANA CAROLINA CHIOU - FM
  • Unidade: FM
  • Sigla do Departamento: MIP
  • Subjects: TUBERCULOSE; TUBERCULOSE PULMONAR; CONTROLE DE INFECÇÕES; CONTROLE DE DOENÇAS TRANSMISSÍVEIS; EPIDEMIOLOGIA; RESULTADO DE TRATAMENTO; RESULTADO DE TRATAMENTO
  • Keywords: Control; Epidemiology; Therapeutic scheme; Treatment outcome; Tuberculosis
  • Language: Português
  • Abstract: Introdução: A carga da tuberculose (TB) no Brasil ainda é expressiva e a proporção de desfechos de tratamento desfavoráveis é elevada. Para tornar mais efetivas as atividades de controle da TB, implantou-se, em 2010, o esquema terapêutico de dose fixa combinada (RHZE). Contrastando com bons indicadores socioeconômicos, o município de Santos (SP) ainda apresenta elevadas taxas de incidência de TB e de abandono de tratamento. Objetivos: Descrever a tuberculose pulmonar (TBP), os principais desfechos de tratamento em período prévio e posterior a introdução do esquema terapêutico de dose fixa combinada (RHZE), no município de Santos. Métodos: Estudo descritivo, abrangendo pacientes com TBP diagnosticados por critérios clínico-radiológicos ou bacteriológicos, com 15 anos ou mais, residentes, e cujo primeiro tratamento com esquema RHZ ou RHZE ocorreu no município de Santos entre 01/01/2008 a 31/12/2014. As definições de caso são as adotadas pelo Programa Nacional de Controle da Tuberculose (PNCT). As variáveis estudadas foram características sociodemográficas, aspectos relativos ao diagnóstico e tratamento, comorbidades e características do serviço de saúde. A análise descritiva se fez por coortes de pacientes definidas segundo o ano do primeiro tratamento. Para as análises comparativas de proporções aplicaram-se os testes qui-quadrado de Pearson, Exato de Fisher e qui-quadrado de tendência e para variáveis contínuas o de Kruskal - Wallis. Resultados: Dos 1603 pacientes estudados,67,2 % eram do sexo masculino, a mediana de idade foi de 39 anos, 44,4% com escolaridade entre 8 e 11 anos de estudo, 53,6% de etnia branca, 11,5% coinfectados TB/HIV; 55,0% descoberto por demanda ambulatorial, 60,9% submetidos ao tratamento supervisionado e 17,8% hospitalizados durante o tratamento. Comparando a coorte de pacientes com início de tratamento em 2008 com a de 2014, verificamos a elevação da escolaridade com 12 anos ou mais de estudo (11,3% versus 22,0%; p=0,059, X2 tendência), de privados de liberdade (0,9% versus 2,1%; p=0,026, X2 tendência), de doentes mentais (0,4% versus 3,0%; p=0,027, X2 tendência), de casos descobertos por elucidação diagnóstica (7,4% versus 12,6%; p=0.049, X2 tendência), de atendidos na Unidade Básica de Saúde (79,3% versus 90,1%; p < 0,0001, X2 tendência), de contatos investigados (1,3% versus 4,8%; p=0,040, X2 tendência). Por sua vez, houve declínio na proporção de coinfecção TB/HIV (13,2% versus 8,6%; p=0,018, X2 tendência), e hospitalizações durante o tratamento (21,6% versus 12,9%; p < 0,0001, X2 tendência). Foram tratados inicialmente com esquema RHZ 29,8% (477/1603) e 70,2% (1126/1603) com esquema RHZE. A taxa de cura manteve-se em torno de 80,0%. Por outro lado, houve declínio da proporção de retratamento pós-cura (4,7% versus zero; p < 0,0001, X2 de tendência); de óbitos por TB (3,4% versus 0,9%; p=0,090, X2 tendência), e óbitos por outras causas (3,4% versus 2,1%; p=0,028, X2 tendência). O abandono de tratamento manteve-se emtorno de 13,7%, sendo que 70,0% (154/220) deles, não retornaram para retratamento. Conclusão: Após a introdução do RHZE, verificou-se a diminuição da gravidade da TB, mas as taxas de cura e de abandono não se alteraram significativamente, além disso, elevada proporção dos que abandonaram o tratamento não retornaram aos serviços. Tais resultados sugerem a necessidade de estratégias adicionais com vistas a elevar a adesão ao tratamento da TB com foco em grupos de maior risco para abandono de tratamento
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 23.06.2017
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      NASCIMENTO, Ana Carolina Chiou; WALDMAN, Eliseu Alves. Esquema terapêutico de dose fixa combinada (RHZE) e o controle da tuberculose em área de elevada carga da doença: Município de Santos (SP). 2017.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2017. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5134/tde-11092017-100356/ >.
    • APA

      Nascimento, A. C. C., & Waldman, E. A. (2017). Esquema terapêutico de dose fixa combinada (RHZE) e o controle da tuberculose em área de elevada carga da doença: Município de Santos (SP). Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5134/tde-11092017-100356/
    • NLM

      Nascimento ACC, Waldman EA. Esquema terapêutico de dose fixa combinada (RHZE) e o controle da tuberculose em área de elevada carga da doença: Município de Santos (SP) [Internet]. 2017 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5134/tde-11092017-100356/
    • Vancouver

      Nascimento ACC, Waldman EA. Esquema terapêutico de dose fixa combinada (RHZE) e o controle da tuberculose em área de elevada carga da doença: Município de Santos (SP) [Internet]. 2017 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5134/tde-11092017-100356/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021