Exportar registro bibliográfico

Treino de estratégia de memória para associação de faces e nomes no comprometimento cognitivo leve amnéstico: desfecho em medidas cognitivas e ressonância magnética funcional (2017)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: SIMON, SHARON SANZ - FM
  • Unidades: FM
  • Sigla do Departamento: MPS
  • Subjects: COMPROMETIMENTO COGNITIVO LEVE; DOENÇA DE ALZHEIMER; NEUROPSICOLOGIA; REABILITAÇÃO COGNITIVA; COGNIÇÃO; MEMÓRIA; NEUROIMAGEM; IMAGEM POR RESSONÂNCIA MAGNÉTICA
  • Keywords: Cognitive rehabilitation; Comprometimento cognitivo leve; Episodic memory; Imagem por ressonância magnética; Mild cognitive impairment
  • Language: Português
  • Abstract: INTRODUÇÃO: O Comprometimento Cognitivo Leve amnéstico (CCL-A) frequentemente representa a zona de transição entre o envelhecimento saudável e a demência, sendo considerado um problema de saúde pública, sobretudo devido ao crescimento da população idosa. Assim, é crucial o desenvolvimento de tratamentos eficazes que possam minimizar os déficits cognitivos presentes, tal como o treino de estratégia de memória (TEM). Destaca-se o TEM com foco na associação entre faces e nomes, alvo relevante, uma vez que esquecer nomes é uma queixa frequente em idosos com CCL-A. Entretanto, até o momento há pouca evidência quanto à eficácia dessa modalidade de intervenção a essa população, assim como à generalização dos possíveis efeitos, e o correlato neural subjacente. OBJETIVO: Investigar a eficácia do TEM com foco na associação face-nome e o correlato neural através da ressonância magnética funcional (RMf), em comparação a um grupo controle ativo (Psicoeducação - PED), em idosos com CCL-A. MÉTODOS: Trinta idosos com CCL-A foram randomizados em dois grupos: Grupo Experimental (GE, N=15), submetido ao TEM, e o Grupo Controle (GC, N=15), submetido a PED. Em cada programa, os participantes completaram quatro sessões de uma hora cada, duas vezes por semana. Os participantes foram avaliados nos momentos pré e pós intervenção, através de testes neuropsicológicos, tarefas de associação face-nome, escalas de humor e metamemória, além de uma tarefa na RMf. Ademais, no momento préintervenção, os participantes realizaram a coleta do líquido cefalorraquidiano;e, após a intervenção, responderam a um questionário de avaliação dos programas. A fim de investigar a manutenção dos efeitos ao longo do tempo, os voluntários foram reavaliados após um mês e após três meses. RESULTADOS: Não houve diferenças significativas entre ambos os grupos quanto ao perfil clínico, neuropsicológico e biomarcadores liquóricos. Quanto às mudanças após as intervenções, o GE apresentou melhor desempenho que o GC na tarefa de associação face-nome para o material treinado, o que generalizou em parte para o material não-treinado, com benefícios persistindo após três meses. No que se refere à generalização para as medidas neuropsicológicas, o GE exibiu melhora em teste de memória visual, porém não houve mudanças em testes de memória verbal e de atenção após ambos os programas. Além disto, em relação ao GC, o GE reportou uso mais frequente de estratégia associativa, e menor frequência de falhas de memória no cotidiano. Após os programas, ambos os grupos reportaram sentimentos mais positivos quanto à própria memória e avaliaram positivamente as intervenções. Ademais, não foram observadas mudanças em sintomas de depressão e ansiedade após os programas. Os achados de neuroimagem indicam que após as intervenções o GE mostrou maior ativação cerebral que o GC em regiões parietais (pré-cuneo, cíngulo posterior e giro angular bilaterais) e frontais (giro frontal medial à esquerda, giros frontal médio epré-central à direita) ao codificarem o material treinado. Quanto ao material não-treinado, o GE mostrou maior ativação cebrebral que o GC em região anterior temporal (sulco temporal superior, giro temporal superior e médio). CONCLUSÃO: Os benefícios do TEM são observáveis tanto nos estímulos treinados, como transferem, em parte, para estímulos não-treinados e testes neuropsicológicos padronizados. Além disto, após o TEM, houve aumento no uso de estratégias associativas e ganhos de metamemória. Embora o GE tenha reportado menos falhas de memória que o GC, este aspecto não parece associado ao humor, uma vez que não ocorreram mudanças em sintomas de depressão e ansiedade após os programas. Os dados de neuroimagem corroboram os achados comportamentais sugerindo que o cérebro de idosos com CCL-A permanece altamente plástico. O GE mostrou maior aumento de ativação cerebral que o GC em regiões consistentes com as estratégias treinadas, envolvendo recursos atencionais, memória episódica, semântica e subjetiva, imageria mental, pensamento associativo, processamento de faces e cognição social
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 28.06.2017

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      SIMON, Sharon Sanz; BUSATTO FILHO, Geraldo. Treino de estratégia de memória para associação de faces e nomes no comprometimento cognitivo leve amnéstico: desfecho em medidas cognitivas e ressonância magnética funcional. 2017.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2017. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5142/tde-11092017-095736/ >.
    • APA

      Simon, S. S., & Busatto Filho, G. (2017). Treino de estratégia de memória para associação de faces e nomes no comprometimento cognitivo leve amnéstico: desfecho em medidas cognitivas e ressonância magnética funcional. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5142/tde-11092017-095736/
    • NLM

      Simon SS, Busatto Filho G. Treino de estratégia de memória para associação de faces e nomes no comprometimento cognitivo leve amnéstico: desfecho em medidas cognitivas e ressonância magnética funcional [Internet]. 2017 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5142/tde-11092017-095736/
    • Vancouver

      Simon SS, Busatto Filho G. Treino de estratégia de memória para associação de faces e nomes no comprometimento cognitivo leve amnéstico: desfecho em medidas cognitivas e ressonância magnética funcional [Internet]. 2017 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5142/tde-11092017-095736/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020