Exportar registro bibliográfico

Caracterização da água modal subtropical na região da confluência Brasil-Malvinas (2017)

  • Authors:
  • Autor USP: FERREIRA, MÁRCIO BORGES - IO
  • Unidade: IO
  • Sigla do Departamento: IOF
  • Subjects: CORRENTES MARINHAS; PERFILADORES
  • Language: Português
  • Abstract: A Confluência Brasil-Malvinas (CBM) é formada pelo encontro da Corrente do Brasil (CB) com a Corrente das Malvinas (CM) no Atlântico Sul e, por constituir o encontro de correntes de contorno oeste (CCO), é demarcada por um intenso gradiente horizontal de temperatura. A inclinação das isopicnais na porção mais quente de regiões de encontro de duas CCO favorece a formação de águas modais ao final do inverno. O estudo de águas modais subtropicais ainda é incipiente no Atlântico Sul, quando comparado com os diversos trabalhos versando sobre o fenômeno em outras regiões do mundo. A realização do primeiro cruzeiro oceanográfico especificamente planejado para o estudo de águas modais na região da CBM e de retroflexão da CB permitiu verificar a anisotropia desse extenso corpo d'água, cuja espessura e profundidades máxima e mínima variam mormente com a latitude em que o fenômeno ocorre. Os dados fornecidos pelos perfiladores Argo lançados durante o cruzeiro, e ainda em operação na região da CBM, corroboraram tal observação e revelaram o limite norte da região de formação da água modal subtropical do sudoeste do Atlântico Sul (AMSTAS) em torno da latitude de 34°S. A comparação dos resultados obtidos in situ com os dados do modelo oceânico HYCOM, numa simulação de 4 anos, permitiu observar a mesma anisotropia e limite norte da área de formação. Embora relativamente curta, a série temporal viabilizou a primeira estimativa de volume da AMSTAS e uma avaliação preliminar dos processos envolvidos na dissipação da AMSTAS recém formada. O emprego de dados de satélites altímetros para o cálculo do calor armazenado (CA) na região de estudo permitiu verificar que a instabilidade apresentada na série temporal de dados do modelo HYCOM se deve sobretudo à dinâmica de mesoescala na região mais próxima do encontro das duas CCO. A análise do CA na região onde foi realizado continua...continuação...cruzeiro oceanográfico do estudo, permitiu identificar mais claramente a existência de diferentes padrões de calor armazenado coincidentes com áreas típicas de formação, os quais não ocorreram em áreas que continham AMSTAS apenas afundada.
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 03.03.2017
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      FERREIRA, Márcio Borges; SATO, Olga Tiemi. Caracterização da água modal subtropical na região da confluência Brasil-Malvinas. 2017.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2017. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/21/21135/tde-02082017-145650/en.php >.
    • APA

      Ferreira, M. B., & Sato, O. T. (2017). Caracterização da água modal subtropical na região da confluência Brasil-Malvinas. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/21/21135/tde-02082017-145650/en.php
    • NLM

      Ferreira MB, Sato OT. Caracterização da água modal subtropical na região da confluência Brasil-Malvinas [Internet]. 2017 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/21/21135/tde-02082017-145650/en.php
    • Vancouver

      Ferreira MB, Sato OT. Caracterização da água modal subtropical na região da confluência Brasil-Malvinas [Internet]. 2017 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/21/21135/tde-02082017-145650/en.php


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021