Exportar registro bibliográfico

Mediações do estado e cerceamento midiático no ensino de geografia: interferências na produção e distribuição de livros didáticos (2017)

  • Authors:
  • Autor USP: VITIELLO, MáRCIO ABONDANZA - FE
  • Unidade: FE
  • Subjects: LIVRO DIDÁTICO; GEOGRAFIA; CENSURA; MEIOS DE COMUNICAÇÃO DE MASSA; ESTADO (POLÍTICA)
  • Keywords: Censorship; Censura; Educational geography; Geografia escolar; Livro didático; Media; Mídias; Textbook
  • Language: Português
  • Abstract: O fim da Ditadura Militar (1964-1985), no Brasil, pois fim à censura? Que interferências a Geografia Escolar estaria sofrendo nos dias de hoje? Em que medida o Currículo Oficial e o Programa Nacional do Livro Didático (PNLD) continuam a impor o poder do Estado na seleção dos conteúdos educacionais? Em favor de quem? E os múltiplos atores sociais - professores, pais de alunos, autores de livros didáticos, editores, mídia, mercado editorial de que forma estariam interferindo nos temas e métodos tratados por essa disciplina escolar? As complexidades impostas por uma sociedade cada vez mais globalizada, interconectada e informacional no tocante à censura, à interdição e ao cerceamento aos conteúdos e métodos contidos nos livros didáticos de Geografia estão no centro deste debate. Por seu importante papel na efetivação curricular em sala de aula, o livro didático é um instrumento fundamental na prática docente. Por essa razão, nos últimos anos, o Estado ampliou significativamente a sua participação na avaliação e distribuição desses materiais no Brasil. Só em 2017, o PNLD atendeu cerca de 32 milhões e 135 mil alunos. No entanto, este programa é visto com ressalvas por parte de alguns autores, editores e da própria mídia, afinal em que medida esta avaliação não estabelece um cerceamento da liberdade de expressão e representa uma interferência autocrática do Estado na formulação dos conteúdos e métodos? Por outro lado, o mercado também atua no controle dessas produções didáticascomo, por exemplo, nas restrições impostas pelas necessidades de lucro do mercado editorial e, principalmente, na ostensiva interferência dos meios de comunicação que promovem um patrulhamento ideológico dos programas educacionais. Daí surge o objetivo central dessa pesquisa que é o de avaliar de que forma o Estado, as mídias e os diferentes atores sociais de fato interferem - e até mesmo promovem a censura - nos conteúdos e métodos expressos nos livros didáticos e, consequentemente, nos conteúdos da Geografia Escolar. Com isso, pretendemos apresentar algumas evidências dessas interferências que o livro didático de Geografia vem sofrendo no Brasil nas primeiras décadas do século XXI
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 11.04.2017
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      VITIELLO, Márcio Abondanza; CACETE, Nuria Hanglei. Mediações do estado e cerceamento midiático no ensino de geografia: interferências na produção e distribuição de livros didáticos. 2017.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2017. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/48/48134/tde-14072017-143605/ >.
    • APA

      Vitiello, M. A., & Cacete, N. H. (2017). Mediações do estado e cerceamento midiático no ensino de geografia: interferências na produção e distribuição de livros didáticos. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/48/48134/tde-14072017-143605/
    • NLM

      Vitiello MA, Cacete NH. Mediações do estado e cerceamento midiático no ensino de geografia: interferências na produção e distribuição de livros didáticos [Internet]. 2017 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/48/48134/tde-14072017-143605/
    • Vancouver

      Vitiello MA, Cacete NH. Mediações do estado e cerceamento midiático no ensino de geografia: interferências na produção e distribuição de livros didáticos [Internet]. 2017 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/48/48134/tde-14072017-143605/


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021