Exportar registro bibliográfico

Degeneração e regeneração muscular em modelos murinos com deficiência de disferlina (2017)

  • Authors:
  • Autor USP: ISHIBA, RENATA - IB
  • Unidade: IB
  • Sigla do Departamento: BIO
  • Subjects: DISTROFIA MUSCULAR; DOENÇAS NEUROMUSCULARES; DOENÇAS GENÉTICAS; EXPRESSÃO GÊNICA
  • Keywords: Diferenciação muscular; Disferlina; Dysferlin; Muscle differentiation; Muscle regeneration; Muscular dystrophies; Regeneração muscular
  • Language: Português
  • Abstract: A distrofia muscular de cintura 2B (LGMD2B) é uma doença neuromuscular causada pela redução ou ausência da proteína sarcolemal disferlina. A disferlina está envolvida no reparo de membrana por atuar no tráfego e fusão de vesículas após estresse mecânico e, quando deficiente, as alterações nesta via levam à degeneração progressiva e irreversível das fibras musculares. A disferlina também tem sido implicada na inflamação e na miogênese durante a degeneração e regeneração muscular. Recentemente, identificou-se um tricomplexo formado pela disferlina com duas proteínas citoplasmáticas, FAM65B e HDAC6, no início da diferenciação de mioblastos. Investigar a regulação destas interações é importante para avançar na compreensão das funções da disferlina e seu papel na função muscular. Neste estudo, a miogênese e o reparo muscular foram investigados in vivo e in vitro em modelos com deficiência de disferlina. Para estudar o processo regenerativo in vivo, utilizamos um modelo de eletroporação para induzir degeneração/regeneração no músculo distrófico levemente afetado do camundongo disferlina-deficiente SJL/J. A avaliação histopatológica e a expressão relativa dos genes Pax7, Myf5, MyoD e miogenina foram acompanhadas durante a recuperação muscular em diferentes tempos após a lesão. Além disso, investigamos os efeitos da deficiência de disferlina na expressão dos genes Fam65b e Hdac6. Observamos um curso de tempo alterado do processo de degeneração e regeneração, com notável capacidaderegenerativa nos camundongos disferlina-deficientes, caracterizada por uma resposta mais rápida e eficaz nos primeiros dias após a lesão, em comparação com os camundongos normais. Além disso, Fam65b e Hdac6 foram ativados nos estágios iniciais da regeneração muscular, também com expressão mais elevada de ambos os genes no camundongo SJL/J. Esses resultados podem estar relacionados à uma possível condição pré-ativada do processo regenerativo no músculo de camundongos distróficos jovens. Para os experimentos in vitro, utilizamos células musculares humanas de pacientes com LGMD2B, com deficiência total de disferlina. A diferenciação muscular induziu a formação de miotubos mais finos e com menor frequência de núcleos por miotubo, sugerindo uma progressão retardada da formação de miotubos em células com LGMD2B. A expressão de mRNA de MYOD e FAM65B não foi aparentemente afetada pela deficiência de disferlina durante a diferenciação, enquanto HDAC6 apresentou um pico transitório após 24 horas, apenas nas células normais. Além disso, o pico da miogenina ocorreu mais cedo nas células normais. Portanto, sugerimos que a disferlina estaria menos envolvida nos eventos iniciais de formação de pequenos miotubos, mas poderia desempenhar um papel importante nos estágios posteriores de diferenciação, que envolvem crescimento e alongamento de miotubos. Estes resultados fornecem dados interessantes para investigações adicionais de como a deficiência de disferlina afeta os reguladoresmiogênicos durante a diferenciação. Em conjunto, nossos dados sugerem que a deficiência de disferlina provoca alterações temporais na progressão dos eventos de regeneração muscular e de miogênese. A identificação de uma possível regulação dos componentes do tricomplexo pela disferlina pode indicar novas direções para investigar esta via como um potencial alvo para terapias
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 07.04.2017
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      ISHIBA, Renata; VAINZOF, Mariz. Degeneração e regeneração muscular em modelos murinos com deficiência de disferlina. 2017.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2017. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/41/41131/tde-26062017-103440/ >.
    • APA

      Ishiba, R., & Vainzof, M. (2017). Degeneração e regeneração muscular em modelos murinos com deficiência de disferlina. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/41/41131/tde-26062017-103440/
    • NLM

      Ishiba R, Vainzof M. Degeneração e regeneração muscular em modelos murinos com deficiência de disferlina [Internet]. 2017 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/41/41131/tde-26062017-103440/
    • Vancouver

      Ishiba R, Vainzof M. Degeneração e regeneração muscular em modelos murinos com deficiência de disferlina [Internet]. 2017 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/41/41131/tde-26062017-103440/


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021