Exportar registro bibliográfico

Identificação da fragilidade em idosos a partir do risco nutricional (2017)

  • Authors:
  • Autor USP: ZUKERAN, MARIANA STAUT - NUTRIÇÃO HUMANA
  • Unidade: NUTRIÇÃO HUMANA
  • Sigla do Departamento: FBA
  • Subjects: NUTRIÇÃO DO IDOSO; ESTADO NUTRICIONAL; IDOSOS
  • Language: Português
  • Abstract: Introdução: Dentre os desfechos negativos que acometem os idosos, a síndrome da fragilidade é preocupante, pois tem como consequências piora da funcionalidade, comorbidades e antecipação da morte. Assim, sua prevenção e detecção precoces são essenciais para a saúde pública. A identificação desta síndrome tem sido mais comumente realizada por meio dos critérios de Fried et al. (2001), os quais necessitam de equipamentos específicos e equipe especializada. Por sua vez, o estado nutricional parece estar fortemente associado ao desenvolvimento da fragilidade. Portanto, este trabalho tem o objetivo de investigar a associação existente entre o risco nutricional e a identificação de fragilidade. Métodos: Foram estudados pacientes em ambulatório de geriatria, e foram aplicados os critérios de Fried et al. (2001), a Mini Avaliação Nutricional (MAN), nas suas formas reduzida e completa (MAN-R e MAN-C), e algumas medidas antropométricas. Os dados foram avaliados quanto à normalidade (teste Shapiro-Wilk); a sensibilidade e a especificidade da MAN em detectar a fragilidade foram medidas por meio da curva Receiver Operating Characteristics (ROC). Resultados: A amostra final foi composta por 422 (72,8%) mulheres e 158 (27,2%) homens. A prevalência de fragilidade foi de 41,1% (n=256) e pré fragilidade de 45,0% (n=261). A MAN-R identificou 78 (13,4%) idosos desnutridos e 258 (44,5%) sob risco de desnutrição. O melhor ponto de corte para fragilidade nas mulheres foi ≤=24,5 pontos (AUC=0,849; sensibilidade=79,7 e especificidade=78,3) para MAN-C e ≤=11,0 pontos (AUC=0,795; sensibilidade=69,0 e especificidade=80,4) para a MAN-R. Dentre os homens, os melhores pontos de corte foram ≤=23,0 (AUC=0,877; sensibilidade=79,2 e especificidade=88,2) para MAN-C e ≤=11 (AUC=0,821; sensibilidade=81,9 e especificidade=76,5) para MAN-R. Ambas as formas da MAN não apresentaram associação significativa paraidentificação da pré fragilidade. Conclusão: Foi verificada associação significativa entre a MAN e a presença da síndrome da fragilidade, porém não com o estado de pré-fragilidade. Ambas as versões, reduzida e completa, foram adequadas para identificação da fragilidade. A MAN-C demonstra correlação mais alta do que a MAN-R e indica pontos de corte diferentes de acordo com o gênero
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 29.05.2017
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      ZUKERAN, Mariana Staut; RIBEIRO, Sandra Maria Lima. Identificação da fragilidade em idosos a partir do risco nutricional. 2017.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2017. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/89/89131/tde-29062017-154749/ >.
    • APA

      Zukeran, M. S., & Ribeiro, S. M. L. (2017). Identificação da fragilidade em idosos a partir do risco nutricional. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/89/89131/tde-29062017-154749/
    • NLM

      Zukeran MS, Ribeiro SML. Identificação da fragilidade em idosos a partir do risco nutricional [Internet]. 2017 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/89/89131/tde-29062017-154749/
    • Vancouver

      Zukeran MS, Ribeiro SML. Identificação da fragilidade em idosos a partir do risco nutricional [Internet]. 2017 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/89/89131/tde-29062017-154749/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021