Exportar registro bibliográfico

Marinheiros contra a ditadura brasileira: AMFNB, prisão, guerrilha - nacionalismo e revolução? (2017)

  • Authors:
  • USP affiliated author: RODRIGUES, FLÁVIO LUÍS - FFLCH
  • School: FFLCH
  • Sigla do Departamento: FLH
  • Subjects: DITADURA; GOVERNOS MILITARES (1964-1985); GUERRILHEIROS
  • Keywords: Junior military; Luta armada; Militares subalternos; Organizações guerrilheiras
  • Language: Português
  • Abstract: Nas páginas desta Tese, procuramos entender o surgimento e a trajetória de um grupo de ex-marinheiros, que participou da diretoria da Associação dos Marinheiros e Fuzileiros Navais do Brasil, AMFNB, entre maio de 1963 e o Golpe de 1964. Suas origens remontam à crise de 1961, quando os ministros militares brasileiros tentaram impedir a posse do vice-presidente João Goulart, após a renúncia de Jânio Quadros. Esse grupo, que denominamos Coletivo, inseriu-se no movimento mais amplo dos militares subalternos das Forças Armadas, que teve seu auge na chamada Revolta dos Sargentos de setembro de 1963. A partir do Golpe de 1964, o Coletivo entrou nas organizações guerrilheiras, passando por uma transição de nacionalistas a revolucionários. Os membros desse Coletivo, algumas vezes, estiveram dispersos, mas voltavam sempre a se reunir como se estivessem ligados a um compromisso surgido nos tempos da AMFNB. O grupo foi preso e encaminhado para a Penitenciária Professor Lemos Brito. Nesse lugar, ocupando pontos estratégicos na Administração Penitenciária, pode executar atividades que melhoraram a vida dos presos comuns, bem como de preparar sua fuga da prisão. Para a execução do plano de fuga, denominado Operação Liberdade, criou-se uma organização guerrilheira clandestina, com o sugestivo nome MAR Movimento de Ação Revolucionária (a sigla se confundia com o substantivo mar), envolvendo várias pessoas de fora da Penitenciária. Sua fuga da prisão não significou afastamento da política.Ingressaram novamente na guerrilha no combate à ditadura civil-militar. Alguns de seus membros foram presos novamente, outros saíram do país e seu líder, Marcos Antônio da Silva Lima, foi morto numa emboscada da polícia, quando militava no PCBR. O caminho percorrido pelo Coletivo, após o Golpe, permite compreender as estratégias e a ideia que tinham as organizações guerrilheiras de revolução. Realizando as entrevistas com membros desse Coletivo, conseguimos acesso a suas avaliações sobre as organizações guerrilheiras pelas quais passaram e sobre aquela jornada histórica.
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 29.03.2017
  • Online source access
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      RODRIGUES, Flávio Luís; SILVA, Marcos Antonio da. Marinheiros contra a ditadura brasileira: AMFNB, prisão, guerrilha - nacionalismo e revolução?. 2017.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2017. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8138/tde-08052017-094643/ >.
    • APA

      Rodrigues, F. L., & Silva, M. A. da. (2017). Marinheiros contra a ditadura brasileira: AMFNB, prisão, guerrilha - nacionalismo e revolução?. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8138/tde-08052017-094643/
    • NLM

      Rodrigues FL, Silva MA da. Marinheiros contra a ditadura brasileira: AMFNB, prisão, guerrilha - nacionalismo e revolução? [Internet]. 2017 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8138/tde-08052017-094643/
    • Vancouver

      Rodrigues FL, Silva MA da. Marinheiros contra a ditadura brasileira: AMFNB, prisão, guerrilha - nacionalismo e revolução? [Internet]. 2017 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8138/tde-08052017-094643/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020