Exportar registro bibliográfico

As configurações de práticas de gestão de recursos humanos adotadas por um conjunto de empresas brasileiras e suas relações com o desempenho organizacional (2015)

  • Autor:
  • Autor USP: FISCHER, ANDRE LUIZ - FEA
  • Unidade: FEA
  • Sigla do Departamento: EAD
  • Subjects: ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS; ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS; RECURSOS HUMANOS
  • Keywords: Human resource practices; Human resources; Organizational performance; Personnel management; Práticas de recursos humanos
  • Language: Português
  • Abstract: Este estudo tem por objetivo contribuir para o debate sobre a gestão de recursos humanos (RH) como fator crítico para o sucesso das organizações. Ele parte do pressuposto de que o desenvolvimento econômico e social de um país de capitalismo moderno, internacionalizado e aberto às inovações tecnológicas e gerenciais do século XXI é dependente da competitividade de suas empresas e instituições e, por decorrência, dos modelos de gestão de pessoas por elas adotados. O trabalho se enquadra, portanto, no campo da gestão estratégica de RH a partir de suas abordagens contingenciais, “configuracionais” e institucionais. Com essas referências, resgataram-se os estudos que identificam práticas de gestão de pessoas, relacionando-as com o desempenho das organizações. Constatou-se que a literatura internacional tem tradição de mais de 20 anos nesse tipo de pesquisa e que, no Brasil, são raras e recentes as publicações a esse respeito. Do instrumento de uma reconhecida rede internacional de pesquisas foram selecionadas as variáveis utilizadas na coleta de dados para identificar configurações de práticas de gestão de pessoas adotadas por organizações que operam no Brasil. A técnica de clusters formou grupos homogêneos de organizações de acordo com suas configurações de práticas; as diferenças entre esses tipos de configurações foram analisadas e confrontadas com fatores demográficos das organizações. O estudo testou também os efeitos de cada configuração de práticas no desempenhooperacional das organizações, com controle das demais variáveis que pudessem interferir nessa relação. Como resultado, constatou-se que predominam práticas de caráter técnico, que parecem indicar um movimento de profissionalização e especialização da gestão de RH, superando o perfil mais processual e transacional característico do passado. A pesquisa identificou ainda uma tendência de se adotarem e formalizarem práticas mais estratégicas de RH e de maior participação do profissional da área na gestão das estratégias de negócio. Por outro lado, permanecem processos de comunicação hierarquizados e não se estimula a participação das pessoas nas questões organizacionais mais amplas. Práticas de gestão de desempenho seguem também a linha hierárquica e, principalmente, não promovem a diferenciação das pessoas e das equipes de trabalho de acordo com as suas contribuições para a organização. Práticas consideradas de alta performance, como as decisões sobre carreiras, promoção e remuneração vinculadas a metas e resultados, são pouco frequentes em todas as organizações pesquisadas. Foram formados quatro clusters a partir das diferenças entre as práticas de RH utilizadas pelas organizações. Dois puderam ser considerados como extremos de um contínuo que agrupou, de um lado, organizações com uma gestão de RH mais Estratégica e Competitiva, e de outro, aquelas com uma atuação mais Transacional e Tradicional. Os perfis demográficos desses dois grupos mostraram-se claramente diferentes,o que reforçou a constatação de que se tratavam de modelos de gestão de pessoas específicos, possivelmente definidos pelos fatores contingenciais do contexto dessas organizações. Analisada a relação entre os clusters e as variáveis de desempenho operacional, constataramse efeitos significativos apenas na dimensão qualidade de produtos e serviços: o fato de pertencer ao agrupamento que adota práticas mais estratégicas e competitivas influencia consideravelmente o padrão de qualidade de uma organização, quando comparada com as demais. Três outras dimensões de desempenho operacional foram testadas: produtividade, taxa de inovação e preservação ambiental, e não se registraram diferenças significativas entre os agrupamentos, resultado que pode estar associado à baixa frequência de práticas de alta performance, no conjunto da amostra, e mesmo entre as organizações que se agruparam no cluster Estratégico e Competitivo
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 15.06.2015
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      FISCHER, Andre Luiz. As configurações de práticas de gestão de recursos humanos adotadas por um conjunto de empresas brasileiras e suas relações com o desempenho organizacional. 2015.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2015. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/livredocencia/12/tde-25042017-101530/ >.
    • APA

      Fischer, A. L. (2015). As configurações de práticas de gestão de recursos humanos adotadas por um conjunto de empresas brasileiras e suas relações com o desempenho organizacional. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/livredocencia/12/tde-25042017-101530/
    • NLM

      Fischer AL. As configurações de práticas de gestão de recursos humanos adotadas por um conjunto de empresas brasileiras e suas relações com o desempenho organizacional [Internet]. 2015 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/livredocencia/12/tde-25042017-101530/
    • Vancouver

      Fischer AL. As configurações de práticas de gestão de recursos humanos adotadas por um conjunto de empresas brasileiras e suas relações com o desempenho organizacional [Internet]. 2015 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/livredocencia/12/tde-25042017-101530/


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021