Exportar registro bibliográfico

Definição de protocolo in situ com relação ao tempo de uso e tipo de dispositivo intrabucal (2016)

  • Authors:
  • Autor USP: SANTOS, NATÁLIA MELLO DOS - FOB
  • Unidade: FOB
  • Sigla do Departamento: BAO
  • Subjects: EROSÃO DE DENTE; ESMALTE DENTÁRIO; MATERIAIS DENTÁRIOS
  • Language: Português
  • Abstract: O objetivo deste trabalho foi avaliar a influência do tipo de dispositivo intraoral e o tempo de uso do mesmo sobre o nível de desgaste dentário em protocolos in situ de erosão. Além disso, avaliou-se o relato de desconforto ao uso dos tipos de dispositivos intraorais pelos voluntários. Os fatores em estudo foram tipo de dispositivo (dois níveis: mandibular e palatino) e tempo de uso (dois níveis: contínuo e intermitente). O estudo foi composto por duas fases cruzadas quanto ao tempo de uso dos dispositivos (fase de utilização contínua ou fase intermitente), nas quais 15 voluntários utilizaram simultaneamente os dispositivos mandibulares e palatino. Blocos de esmalte bovino foram selecionados pela dureza de superfície (n=120) e foram aleatoriamente divididos entre os grupos em estudo e voluntários. Em cada fase, os voluntários utilizaram um dispositivo de acrílico palatino, contendo 2 blocos de esmalte bovino; dois dispositivos mandibulares, contendo 1 bloco de esmalte bovino cada um, durante 5 dias. Os blocos foram submetidos à erosão por imersão dos aparelhos em solução de ácido clorídrico (0,01M, pH 2,3) durante 2 minutos, quatro vezes ao dia. Na fase contínua os aparelhos foram utilizados por 20 horas com remoção dos dispositivos nos horários pré-estabelecidos para a alimentação, higienização e desafios erosivos. Na fase intermitente o aparelho foi utilizado por 8 horas durante o dia , sendo removido fora deste período. A perda de esmalte foi avaliada usando perfilometria. Os voluntários receberam um questionário para avaliar a aceitação dos aparelhos intraorais. Os dados foram analisados estatisticamente por ANOVA a dois critérios e teste de Tukey (p<0,05). Os blocos de esmalte alocados no aparelho maxilar apresentaram maior desgaste quando comparados com os blocos de esmalte do aparelho mandibular (p<0,05).O uso intermitente dos aparelhos pelos voluntários resultou em perda de esmalte semelhante ao uso contínuo (p>0,05). Quanto à aceitação, os voluntários relataram menor desconforto no uso intermitente do dispositivo palatino.
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 21.10.2016

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      SANTOS, Natália Mello dos; HONÓRIO, Daniela Rios. Definição de protocolo in situ com relação ao tempo de uso e tipo de dispositivo intrabucal. 2016.Universidade de São Paulo, Bauru, 2016.
    • APA

      Santos, N. M. dos, & Honório, D. R. (2016). Definição de protocolo in situ com relação ao tempo de uso e tipo de dispositivo intrabucal. Universidade de São Paulo, Bauru.
    • NLM

      Santos NM dos, Honório DR. Definição de protocolo in situ com relação ao tempo de uso e tipo de dispositivo intrabucal. 2016 ;
    • Vancouver

      Santos NM dos, Honório DR. Definição de protocolo in situ com relação ao tempo de uso e tipo de dispositivo intrabucal. 2016 ;


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021