Exportar registro bibliográfico

Geoquímica, isotopia e geocronologia das rochas graníticas do Batolito Florianópolis na Ilha de Santa Catarina, SC, Brasil (2017)

  • Authors:
  • Autor USP: CORREA, VINICIUS XAVIER - IGC
  • Unidade: IGC
  • Sigla do Departamento: GMG
  • Subjects: GEOCRONOLOGIA; GEOQUÍMICA; ZIRCÃO; BATÓLITO; ROCHAS GRANÍTICAS
  • Language: Português
  • Abstract: O Cinturão Dom Feliciano é uma unidade geológica originada no Neoproterozoico durante o Cíclo Brasiliano localizado na região sul do Brasil e Uruguai. Apresenta orientação preferencial NNE-SSW paralelo à costa atlântica e pode ser dividido em três domínios distintos separados por grandes zonas de cisalhamento interpretadas como suturas regionais. Os segmentos são: Domínio Externo (bacias de ante-país), Domínio Central (rochas supracrustais) e Domínio Interno (rochas magmáticas de arcos diversos). O magmatismo que ocorre no Domínio Interno se estendendo ao longo de 1200 km sendo formado por três associa- ções de granitoides: Batolito Aiguá, Batolito Pelotas e Batolito Florianópolis este último restrito ao estado de Santa Catarina. O Batolito Florianópolis pode ser dividido em quatro unidades: Suíte Águas Mornas, Suíte São Pedro de Alcântara, Suíte Pedras Grandes e Suíte Cambirela. A Ilha de Santa Catarina apresenta exposições dessas unidades e são alvos do atual estudo. Os granitoides representam um magmatismo cálcio-alcalino de alto K e são interpretados como raiz de um arco magmático maduro. Na Ilha, a Associação Granítica Santinho é a unidade mais antiga formada por uma interação entre gnaisses bandados e rochas graníticas (Granito Morro das Aranhas) ambos com enclaves tonalíticos. O hornblenda biotita granito pertencente a São Pedro de Alcântara ocorre de maneira restrita. O Granito Ilha é o fácies predominante e pertence a Suíte Pedras Grandes. O vulcanismo ácido daSuíte Cambirela ocorre na forma de derrames na região sul da Ilha ou diques cortando todas as outras unidades. Associado a esta unidade ocorrem fáies subvulcanicos denominados com Granito Itacurubi. Todas as unidades são afetadas por eventos hidrotermais tardimagmáticos As rochas Suite São Pedro de Alcântara apresentam teor de SiO2 de 67% wt e CaO 2,5% wt. As rochas da Suites Pedras Grande e Cambirela apresentam altos teores se SiO2 maiores que 70% wt e CaO 0,5 - 1,7 % wt. Os dados geocronológicos U-Pb em zircão apontam idades variando entre 605 - 625 Ma para as rochas da Associação Granítica Santinho; 585 - 595 Ma para os granitos da Suíte São Pedro de Alcântara; 585 - 600 Ma para a Suíte Pedras Grandes; 575 Ma para os derrames do Riolito Cambirela. Os valores de 87Sr/86Sr(i) é de cerca de 0,711. As assinaturas obtidas pelo método Sm-Nd em rocha total indicam assinaturas crustais. As idades modelo TDMNd para as Suíte São Pedro de Alcântara são de aproximadamente 1400 Ma. Para as demais unidades os valores variam de 1550 - 1900 Ma. Ambas as idades apontam para um alto período de residência crustal. As assinaturas de Pb-Pb em rocha total mostram uma contribuição de crosta superior na geração desses granitoides. Não foram encontradas assinaturas mantélicas nas rochas estudadas, os valores de ?Hf são negativos para todo o conjunto. Variam entre -0.07 e - 28.43, isso indica origens crustais. Os valores das idades modelos TDMHf variam entre 1471 - 3270 Ma indicando fusão decrostas antigas. Os estudos petrogenéticos apontam que as unidades apresentam origem distinta e materiais precursores diferentes. O principal mecanismo de formação para tais rochas é o retrabalhamento crustal de materiais extraídos em níveis médio e profundo de crosta. Regionalmente os estudos apontam que os granitos da Ilha de Santa Catarina, e consequentemente do Batolito Florianópolis, são distintos das demais rochas graníticas do escudo catarinense. Uma abordagem integrada dos métodos isotópicos confirma a afinidade entre as rochas estudadas com o Batolito Pelotas
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 15.02.2017
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      CORRÊA, Vinicius Xavier; BASEI, Miguel Angelo Stipp. Geoquímica, isotopia e geocronologia das rochas graníticas do Batolito Florianópolis na Ilha de Santa Catarina, SC, Brasil. 2017.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2017. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/44/44143/tde-30032017-114103/ >.
    • APA

      Corrêa, V. X., & Basei, M. A. S. (2017). Geoquímica, isotopia e geocronologia das rochas graníticas do Batolito Florianópolis na Ilha de Santa Catarina, SC, Brasil. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/44/44143/tde-30032017-114103/
    • NLM

      Corrêa VX, Basei MAS. Geoquímica, isotopia e geocronologia das rochas graníticas do Batolito Florianópolis na Ilha de Santa Catarina, SC, Brasil [Internet]. 2017 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/44/44143/tde-30032017-114103/
    • Vancouver

      Corrêa VX, Basei MAS. Geoquímica, isotopia e geocronologia das rochas graníticas do Batolito Florianópolis na Ilha de Santa Catarina, SC, Brasil [Internet]. 2017 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/44/44143/tde-30032017-114103/


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021