Exportar registro bibliográfico

Controles estratigráficos e predição da paragênese diagenética dos carbonatos lacustres da formação coqueiros nos campos de badejo, trilha, linguado e pampo - aptiano da bacia de Campos (RJ) (2016)

  • Authors:
  • Autor USP: CORREA, CAROLINA RODRIGUES DE ARAUJO - IGC
  • Unidade: IGC
  • Sigla do Departamento: GSA
  • Subjects: DIAGÊNESE; SISTEMAS DEPOSICIONAIS; ESTRATIGRAFIA
  • Keywords: Coquinas; Diagenetic prediction; Lagoa Feia; Prefição diagenética; Rift
  • Language: Português
  • Abstract: As coquinas de bivalves do Grupo Lagoa Feia (Eoaptiano) ocorrem na área sudoeste da Bacia de Campos e constituem reservatórios de hidrocarbonetos. Foram descritos 1030 metros de testemunhos e 368 lâminas delgadas para definir os controles estratigráficos dos eventos e produtos diagenéticos observados e propor um método de predição da paragênese diagenética. Inicialmente foram definidas 34 fácies sedimentares posteriormente agrupadas em 7 associações de fácies nas quais foram reconhecidos os conjuntos de processos geneticamente relacionados, que levaram à interpretação do paleosistema deposicional. Sete produtos eodiagenéticos foram observados na seção informalmente denominada Coquina Inferior e desses, quatro alteram bastante as características permoporosas primárias das rochas, sendo eles: cimentação por calcita blocosa em mosaico, cimentação por sílica microcristalina (quartzo), cimentação por calcedônia e dissolução. Interpreta-se um forte controle do(s) tipo(s) de produto(s) diagenético(s) com a variação do nível base do lago, conforme as seguintes premissas: o cimento de sílica microcristalina ocorre preferencialmente quando o nível base está alto e as rochas sob condições lacustre freáticas, pois, devido ao grande escoamento superficial, o lago neste momento encontra-se enriquecido em Si (proveniente do intemperismo e lixiviação das seções de rochas anteriores), porém ainda diluído (com um volume de água muito amplo), favorecendo a precipitação do quartzo e não dacalcedônia. A partir do momento em que o nível do lago cai relativamente, a concentração de Si aumenta e a calcedônia passa a ser o cimento principal. Neste momento, as rochas estão sob condições de ambiente de zona de mistura, pois o nível do lago estaria mais baixo, porém ainda não totalmente em condições de domínio meteórico. A seguir, com nível do lago mais baixo ainda, as rochas passam para o ambiente meteórico e ocorre a precipitação de calcita blocosa (provavelmente necessitando de um tempo de residência baixo, pois o mineral ocorre em todo o intervalo da Coquina Inferior) no meteórico freático, e dissolução no meteórico vadoso. Quando o nível do lago volta a subir, as condições favorecem novamente a precipitação de calcedônia, e, em um nível posterior, mais alto ainda, de sílica microcristalina, iniciando assim um novo ciclo de alterações diagenéticas. A correlação entre a paleobatimetria deposicional da associação de fácies sedimentar e o nível base requerido para determinado(s) tipo(s) de produto(s) diagenético(s) encontrado(s) levou à criação de uma curva de "velocidade relativa de variação do nível base", que pôde também ser construída sinteticamente a partir das fácies sedimentares e dos perfis de raios gama e sônico. Tendo em mãos essa curva sintética, foi possível fazer o "caminho inverso" e criar um modelo preditivo (ou seja, sem descrição da diagênese em lâminas delgadas) da paragênese diagenética a partir da associação de fácies sedimentar e da"velocidade relativa de variação do nível base" em escala de poço (1D) e também em um grid geocelular (3D). A seção Coquina Inferior dos reservatórios da Bacia de Campos apresenta elevado grau de heterogeneidade vertical, gerada pela ciclicidade estratigráfica e pela intensa modificação eodiagenética. O entendimento dos fatores controladores da diagênese levou à criação de um método preditivo da paragênese diagenética em escala de poço (1D) e também em um grid geocelular (3D) que poderá ser usado para a caracterização e gerenciamento de outros campos petrolíferos em carbonatos
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 07.10.2016
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      CORREA, Carolina Rodrigues de Araujo; ALMEIDA, Renato Paes de. Controles estratigráficos e predição da paragênese diagenética dos carbonatos lacustres da formação coqueiros nos campos de badejo, trilha, linguado e pampo - aptiano da bacia de Campos (RJ). 2016.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2016. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/44/44141/tde-27032017-110406/ >.
    • APA

      Correa, C. R. de A., & Almeida, R. P. de. (2016). Controles estratigráficos e predição da paragênese diagenética dos carbonatos lacustres da formação coqueiros nos campos de badejo, trilha, linguado e pampo - aptiano da bacia de Campos (RJ). Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/44/44141/tde-27032017-110406/
    • NLM

      Correa CR de A, Almeida RP de. Controles estratigráficos e predição da paragênese diagenética dos carbonatos lacustres da formação coqueiros nos campos de badejo, trilha, linguado e pampo - aptiano da bacia de Campos (RJ) [Internet]. 2016 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/44/44141/tde-27032017-110406/
    • Vancouver

      Correa CR de A, Almeida RP de. Controles estratigráficos e predição da paragênese diagenética dos carbonatos lacustres da formação coqueiros nos campos de badejo, trilha, linguado e pampo - aptiano da bacia de Campos (RJ) [Internet]. 2016 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/44/44141/tde-27032017-110406/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021