Exportar registro bibliográfico

Nucleos ativos de galaxias obscurecidos (1990)

  • Authors:
  • Autor USP: KIRHAKOS, SOFIA DEMETRIOS - IAG
  • Unidade: IAG
  • Sigla do Departamento: AGA
  • Subjects: ASTRONOMIA; GALÁXIAS
  • Language: Português
  • Abstract: (Continua) ~20% para qo=0.5 e ~35% para qo=0. A distribuição de razão axial para o conjunto completo é uniforme, não existindo mais uma grande deficiência de galáxias vistas de perfil como notado entre os AGNs selecionados opticamente. A distribuição de razão axial é também apresentada para as duas classes separadamente: é visível um excesso de objetos vistos de frente entre as galáxias de Seyfert de tipo 1, enquanto que a maioria das Seyferts 2 são galáxias vistas de perfil. Nós interpretamos esse resultado no contexto dos modelos unificados de AGNs: muitas das galáxias de Seyfert tipo 2 são Seyferts 1 obscurecidas. Análises de correlação entre a emissão do infravermelho, raios-X e cores ópticas mostram outras evidências que favorecem a hipótese de obscurecimento. Nós também apresentamos uma contribuição ao estudo dos mecanismos de excitação dos LINERs, com base nas intensidades relativas das linhas de emissão de [S II]λλ 6716,6731 e [S III] λλ 9069,9532.Neste trabalho nós apresentamos os resultados da procura de Núcleos Ativos de Galáxias (AGNs) opticamente obscurecidos. Os "surveys" ópticos não são eficientes na identificação de núcleos Seyfert que estão em galáxias vistas de perfil; uma possível explicação é que a radiação proveniente do núcleo é absorvida na região nuclear e/ou no disco galáctico da galáxia hospedeira. Nós selecionamos um conjunto composto por 144 galáxias IRAS que estão dentro ou perto de caixas de erro de fontes de raios-X duros opticamente não identificadas, na região do ceu com δ<+20° e |b|>10°. Espectroscopia óptica foi realizada para o conjunto selecionado, cobrindo a região espectral de Hα. Os espectros nucleares obtidos foram classificados de acordo com as larguras e intensidades relativas das linhas de emissão. O conjunto contém 3 novas galáxias de Seyfert de tipo 1,25 novas galáxias de Seyfert de tipo 2 e outros 39 prováveis AGNs. A maioria dessas galáxias são vistas de perfil. Fotometria CCD com os filtros UBV RI foi obtida para a maioria dos objetos do conjunto. Os AGNs recém descobertos são mais vermelhos do que os típicos AGNs opticamente selecionados, indicando que eles sofrem maior obscurecimento interno. Com exceção de dois dos novos AGNs, todos apresentam núcleo estelar nas imagens CCD e em muitos casos faixas de poeira também estão presentes. Nós combinamos esses AGNs recém descobertos com aqueles conhecidos anteriormente na literatura e obtivemos um conjunto de 77AGNs emissores de raios-X duros. O subconjunto formado pelos objetos com fluxo em raios-X duros FHx>'10 POT.-10.8' erg s-¹ é estatisticamente completo. Calculamos as funções de luminosidade em raios-X para as galáxias de Seyfert de tipo 1 e de tipo 2, esta é a primeira vez em que se deriva a função de luminosidade em raios-X para as Seyferts tipo 2. A contribuição dos AGNs para a radiação de fundo de raios-X duros é estimada em (Continuação)
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 19.12.1990

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      KIRHAKOS, Sofia Demetrios; STEINER, João Evangelista. Nucleos ativos de galaxias obscurecidos. 1990.Universidade de São Paulo, São Paulo, 1990.
    • APA

      Kirhakos, S. D., & Steiner, J. E. (1990). Nucleos ativos de galaxias obscurecidos. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Kirhakos SD, Steiner JE. Nucleos ativos de galaxias obscurecidos. 1990 ;
    • Vancouver

      Kirhakos SD, Steiner JE. Nucleos ativos de galaxias obscurecidos. 1990 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021