Exportar registro bibliográfico

Sinalização elétrica de longa distância pós-irrigação em plantas de girassol sob déficit hídrico (2016)

  • Authors:
  • Autor USP: DANELUZZI, GABRIEL SILVA - ESALQ
  • Unidade: ESALQ
  • Sigla do Departamento: LCB
  • Subjects: DEFICIT HÍDRICO; GIRASSOL; POTENCIAIS DE AÇÃO; IRRIGAÇÃO; ENERGIA ELÉTRICA
  • Language: Português
  • Abstract: Uma propriedade fundamental dos seres vivos é a condução de sinais elétricos através de seus tecidos. Mas esse fato pouco é lembrado quando se trata de organismos vegetais. Outro item fundamental é a geração de sinais que possam transmitir informações entre os tecidos e órgãos para um ajuste fino do metabolismo. Nas plantas esses sinais podem ser de natureza química, hidráulica e elétrica. Nesse último caso são conhecidos potenciais de ação (PA), de variação (PV), de ferimentos (WP) e sistêmicos (SP), cada um com sua particularidade quanto à amplitude, velocidade e rotas de propagação, bem como seu papel no metabolismo. Os sinais elétricos podem afetar a respiração, fotossíntese, absorção de água, ativação de genes e fechamento de folhas de plantas insetívoras. PAs podem se propagar com velocidade relativamente constante e sem decréscimo. Eles seguem a lei do tudo-ou-nada, ou seja, todo estímulo que desencadeia um PA deve atingir um limiar de excitação para desencadear o sinal. Assim que o limiar é atingido o sinal se autoperpetua ao passo que estímulos supra limiares desencadeiam PAs de amplitude constante. A via de propagação do PA é o vaso do floema. O objetivo do presente trabalho foi avaliar a sinalização elétrica em resposta à irrigação em plantas de girassol sob déficit hídrico e caracterizar esse sinal quanto à amplitude, duração, velocidade e direção de propagação. Para tanto 37 plantas foram avaliadas por meio de eletrodos extracelulares. Elas foram monitoraseletrofisiologicamente durante um período em que eram irrigadas e em um período sob déficit hídrico. Desse montante, onze responderam à irrigação pela geração de potenciais de ação (PA), ou seja, 30% delas. Oito delas geraram PAs em direção ao ápice (propagação acrópeta) enquanto duas geraram na direção basípeta. Uma delas gerou nos dois sentidos. O PA foi gerado também pós-irrigação mesmo com a planta não tendo passado por déficit hídrico, porém só aconteceu em uma das onze plantas. Os sinais se propagaram no caule, pecíolo e nervura central das folhas. O potencial de ação é gerado após irrigação em plantas de girassol com maior frequência quando elas passam por período de déficit hídrico e se propagam por toda a planta. Isso evidencia o papel do PA na sinalização de longa distância nos vegetais
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 09.11.2016
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      DANELUZZI, Gabriel Silva; OLIVEIRA, Ricardo Ferraz de. Sinalização elétrica de longa distância pós-irrigação em plantas de girassol sob déficit hídrico. 2016.Universidade de São Paulo, Piracicaba, 2016. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11144/tde-06012017-132204/ >.
    • APA

      Daneluzzi, G. S., & Oliveira, R. F. de. (2016). Sinalização elétrica de longa distância pós-irrigação em plantas de girassol sob déficit hídrico. Universidade de São Paulo, Piracicaba. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11144/tde-06012017-132204/
    • NLM

      Daneluzzi GS, Oliveira RF de. Sinalização elétrica de longa distância pós-irrigação em plantas de girassol sob déficit hídrico [Internet]. 2016 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11144/tde-06012017-132204/
    • Vancouver

      Daneluzzi GS, Oliveira RF de. Sinalização elétrica de longa distância pós-irrigação em plantas de girassol sob déficit hídrico [Internet]. 2016 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11144/tde-06012017-132204/


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020