Exportar registro bibliográfico

Espessura de íntima-média de carótidas na avaliação de linha de base do Estudo Longitudinal da Saúde do Adulto: distribuição dos valores e sua associação com fatores de risco e saúde cardiovascular (2016)

  • Autor:
  • Autor USP: SANTOS, ITAMAR DE SOUZA - FM
  • Unidade: FM
  • Sigla do Departamento: MCM
  • Subjects: ULTRASSONOGRAFIA; FATORES DE RISCO; DOENÇAS CARDIOVASCULARES; ARTÉRIA CARÓTIDA INTERNA; EPIDEMIOLOGIA; ESTUDOS TRANSVERSAIS; ADULTOS
  • Language: Português
  • Abstract: INTRODUÇÃO: A medida da espessura de íntima-média de carótidas (EIMC) por ultrassonografia é utilizada em estudos epidemiológicos como marcador precoce de aterosclerose subclínica. Não há estudos da distribuição dos valores de EIMC em grandes amostras no Brasil. Adicionalmente, sua associação com o processo aterosclerótico (incluindo seus fatores de risco e proteção) ainda é motivo de debate. O Estudo Longitudinal da Saúde do Adulto (ELSA-Brasil) é uma grande coorte multicêntrica de funcionários com idade entre 35 e 74 anos de seis cidades brasileiras. Os objetivos da presente tese são: (1) Construir nomogramas para as medidas de EIMC na linha de base do ELSA-Brasil; (2) Estudar a influência da raça e sexo sobre os valores de EIMC; (3) Avaliar a associação entre EIMC e o escore de saúde cardiovascular (pontuado de 0 a 14 de acordo com dieta, atividade física, tabagismo, índice de massa corpórea, pressão arterial, glicemia e colesterol), conforme estabelecido pela American Heart Association; (4) Estimar a proporção da variância dos valores de EIMC explicável pelos fatores de risco cardiovascular tradicionais e medidas contínuas de pressão arterial, metabolismo da glicose, perfil lipídico e adiposidade. MÉTODOS: Utilizamos dados da avaliação de linha de base de 10.405 participantes do estudo ELSA-Brasil. Para a construção dos nomogramas, foi utilizada regressão quantílica linear. Foi avaliada a influência do sexo e da raça nas medidas de EIMC (em mm) utilizando modelos de regressão linear múltipla. A associação entre EIMC média e o escore de saúde cardiovascular foi estudada com modelos de regressão linear múltipla e de regressão multinomial. Para estudar a proporção da variância da EIMC média explicável pelos fatores de risco cardiovasculares tradicionais e medidas contínuas de pressão arterial, metabolismo da glicose, perfil lipídicoRESULTADOS: São apresentados nomogramas estratificados para sexo e raça bem como as respectivas equações de regressão. Em modelos ajustados, homens tiveram valores de EIMC média superiores às mulheres (β=0,036; p<0.001). Indivíduos de raça parda (β=-0,027; p<0.001) e branca (β=-0,039; p<0.001) apresentaram menores valores de EIMC média quando comparados aos de raça negra. O aumento de um ponto no escore de saúde cardiovascular esteve associado a uma queda média esperada de 0,011 mm na EIMC média em modelos ajustados (P<0.001). Nos modelos multinomiais, a razão de chances para o 4º quartil de EIMC média (comparado ao 1º quartil) associada ao aumento de um ponto no escore de saúde cardiovascular foi de 0,79 (intervalo de confiança de 95%: 0,77–0,81). Entretanto, cerca de 16% dos indivíduos com escore de saúde cardiovascular ótimo apresentaram valores de EIMC acima do 75º percentil da distribuição estimada para seu sexo, raça e idade. A proporção da variância da EIMC explicável pelos fatores de risco cardiovasculares tradicionais e medidas contínuas de pressão arterial, metabolismo da glicose, perfil lipídico e adiposidade foi de 31,3% nos homens e 37,3% nas mulheres. A maior parte dessa proporção explicável da variância foi atribuível à idade e raça. Pressão de pulso, razão LDL/HDL e circunferência do pescoço compuseram os modelos completos com maior R2. CONCLUSÕES: Os dados da linha de base do estudo ELSA-Brasil permitiram a construção de nomogramas para as medidas de EIMC. Encontramos valores de EIMC significativamente mais altos em homens e negros. Houve associação inversa entre os valores de EIMC e a pontuação no escore de saúde cardiovascular. Porém, uma significativa porção dos indivíduos com escore ótimo estavam no 4º quartil de distribuição da EIMC média para seu sexo, idade e raça.Mais de 60% da variância da EIMC na linha de base do estudo ELSA-Brasil não pôde ser explicada pelos fatores de risco cardiovascular tradicionais. Em conjunto, esses resultados representam um avanço na compreensão do significado da EIMC e estimulam a busca por outros determinantes
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 16.06.2016

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      SANTOS, Itamar de Souza. Espessura de íntima-média de carótidas na avaliação de linha de base do Estudo Longitudinal da Saúde do Adulto: distribuição dos valores e sua associação com fatores de risco e saúde cardiovascular. 2016.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2016.
    • APA

      Santos, I. de S. (2016). Espessura de íntima-média de carótidas na avaliação de linha de base do Estudo Longitudinal da Saúde do Adulto: distribuição dos valores e sua associação com fatores de risco e saúde cardiovascular. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Santos I de S. Espessura de íntima-média de carótidas na avaliação de linha de base do Estudo Longitudinal da Saúde do Adulto: distribuição dos valores e sua associação com fatores de risco e saúde cardiovascular. 2016 ;
    • Vancouver

      Santos I de S. Espessura de íntima-média de carótidas na avaliação de linha de base do Estudo Longitudinal da Saúde do Adulto: distribuição dos valores e sua associação com fatores de risco e saúde cardiovascular. 2016 ;


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021