Exportar registro bibliográfico

Impacto da transfusão alogênica perioperatória na incidência de complicações em pacientes submetidos à cirurgia cardíaca (2016)

  • Authors:
  • Autor USP: ZEFERINO, SUELY PEREIRA - FM
  • Unidade: FM
  • Sigla do Departamento: MCG
  • Subjects: CIRURGIA TORÁCICA; TRANSFUSÃO DE SANGUE; ANEMIA; CIRCULAÇÃO EXTRACORPÓREA; COMPLICAÇÕES PÓS-OPERATÓRIAS; MORTALIDADE; CUIDADOS INTENSIVOS
  • Keywords: Anemia; Cardiopulmonary bypass; Mortality; Observational studies; Postoperative complications; Red blood cell transfusion; Thoracic surgery
  • Language: Português
  • Abstract: OBJETIVOS: O objetivo do estudo foi avaliar se a transfusão de hemácias no intraoperatório de cirurgia cardíaca com circulação extracorpórea está associada a complicações clínicas incluindo choque cardiogênico, arritmia, insuficiência renal aguda, isquemia miocárdica, choque séptico, necessidade de reintubação orotraqueal, acidente vascular cerebral ou mortalidade durante a internação hospitalar. DESENHO: Estudo clínico de coorte retrospectivo e unicêntrico com escore de propensão, realizado no Instituto do Coração (InCor) do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. PACIENTES: Pacientes adultos submetidos à cirurgia cardíaca eletiva com circulação extracorpórea no período de janeiro de 2004 a dezembro de 2008. DESFECHO PRIMÁRIO: Complicações clínicas durante a internação hospitalar (choque cardiogênico, arritmia, insuficiência renal aguda, isquemia miocárdica, choque séptico, necessidade de reintubação orotraqueal, acidente vascular cerebral ou mortalidade hospitalar). DESFECHO SECUNDÁRIO: 1- Avaliar o efeito da transfusão de hemácias no intraoperatório no tempo livre de inotrópicos e vasopressores, tempo de ventilação mecânica e tempo de permanência na UTI e internação hospitalar. 2- Avaliar o efeito do número das unidades de hemácias transfundidas no intraoperatório na ocorrência de mortalidade hospitalar, choque cardiogênico, arritmia, isquemia miocárdica, choque séptico, acidente vascular cerebral e reintubação orotraqueal. 3- Avaliar o efeito da anemia à admissão e durante internação hospitalar naocorrência de complicações pós-operatórias. INTERVENÇÃO: Não houve intervenção. RESULTADOS: Foram incluídos 2851 pacientes na análise final, dos quais 1471(51,6%) foram expostos a transfusão de hemácias e 1380 (48,4%) não receberam transfusão no intraoperatório. Os pacientes transfundidos apresentaram maior incidência das seguintes complicações: mortalidade (2,1% vs 0,4%, P < 0,001), insuficiência renal aguda (9,1% vs 3,9%, P < 0,001), reintubação orotraqueal (3,8% vs 1,4%, P < 0,001) e choque séptico (2,2% vs 0,4%, P < 0,001).Os pacientes transfundidos também apresentaram maior tempo de internação hospitalar [16 dias (12-23) vs 13 dias (9-18), P < 0,001] e em unidade de terapia intensiva [3 dias (2-6) vs 2 dias (2-4), P < 0,001]. A concentração da hemoglobina menor que 9 g/dL ocorreu em 1847 pacientes (64,7%) durante a internação hospitalar e foi associada a maior risco de insuficiência renal aguda e de acidente vascular cerebral. O escore de propensão identificou 588 pacientes pareados em relação à exposição à transfusão, e essa análise demonstrou que a transfusão intraoperatória de hemácias não aumentou a ocorrência de complicações no período de internação hospitalar. Contudo a transfusão de 4 ou mais unidades de hemácias está associada a maior ocorrência de mortalidade hospitalar, choque cardiogênico e IRA, maior incidência de reintubação orotraqueal, choque séptico e AVC. Além de uma relação direta entre as unidades de hemácias transfundidas e a ocorrência de morte. CONCLUSÃO: Esse estudo observacional demonstrou que a anemia é frequentemente detectada no pós-operatório de cirurgia cardíaca, e está associada a maior incidência de complicações. Além disso, a transfusão de hemácias no intraoperatório não modifica a ocorrência das complicações pós-operatórias em pacientes submetidos a cirurgia cardíaca. No entanto a transfusão de 4 ou mais hemácias está associada a maior incidência de complicações clínicas, além de uma relação dose-dependente. Estratégias como detecção precoce de anemia e emprego de técnicas alternativas à transfusão no manejo devem ser estimuladas no ambiente perioperatório
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 29.09.2016
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      ZEFERINO, Suely Pereira; HAJJAR, Ludhmila Abrahão. Impacto da transfusão alogênica perioperatória na incidência de complicações em pacientes submetidos à cirurgia cardíaca. 2016.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2016. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5152/tde-07122016-143832/ >.
    • APA

      Zeferino, S. P., & Hajjar, L. A. (2016). Impacto da transfusão alogênica perioperatória na incidência de complicações em pacientes submetidos à cirurgia cardíaca. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5152/tde-07122016-143832/
    • NLM

      Zeferino SP, Hajjar LA. Impacto da transfusão alogênica perioperatória na incidência de complicações em pacientes submetidos à cirurgia cardíaca [Internet]. 2016 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5152/tde-07122016-143832/
    • Vancouver

      Zeferino SP, Hajjar LA. Impacto da transfusão alogênica perioperatória na incidência de complicações em pacientes submetidos à cirurgia cardíaca [Internet]. 2016 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5152/tde-07122016-143832/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021