Exportar registro bibliográfico

Efeito da combinação da amamentação e contato pele-a-pele na dor induzida pela vacina BCG em recém-nascidos a termo: ensaio clínico randomizado (2016)

  • Authors:
  • Autor USP: OGAWA, LUCIANA - EE
  • Unidade: EE
  • Sigla do Departamento: ENP
  • Subjects: RECÉM-NASCIDO; DOR; ANALGESIA; ALEITAMENTO MATERNO; MÉTODO MÃE CANGURU
  • Keywords: Aleitamento Materno; Analgesia; Analgesia; BCG Vaccine; Breastfeeding; Dor; Enfermagem Neonatal; Glucose; Glucose; Infant; Kangaroo Mother Care Method; Método Canguru; Neonatal Nursing; Newborn; Pain; Recém-Nascido; Vacina BCG
  • Language: Português
  • Abstract: Introdução: O controle da dor em recém-nascidos (RN) é necessário, tendo em vista que a exposição contínua e repetitiva à dor poderá trazer consequências ao desenvolvimento da criança. Há evidências consistentes sobre o efeito analgésico e segurança de se administrar a oferta oral de soluções adocicadas em RN submetidos a procedimentos dolorosos agudos. A amamentação e o contato pele a pele são práticas rotineiras, de baixo custo e incentivadas pelo Programa Hospital Amigo da Criança, com evidência de efetividade analgésica que pode ser adotada, como medida alternativa à oferta de soluções adocicadas. Entretanto, é preciso avaliar se seu efeito analgésico e sua segurança superam a solução adocicada na administração de vacinas, antes de recomendar sua adoção. Hipótese: O efeito analgésico combinado da amamentação com o contato pele a pele é superior à oferta oral de glicose 25% na administração da vacina BCG em RN. Objetivo: Avaliar o efeito analgésico da combinação da amamentação com contato pele a pele na administração da vacina BCG em RN a termo. Método: Ensaio clínico randomizado, conduzido em um hospital de ensino da cidade de São Paulo, certificado como Hospital Amigo da Criança. A amostra foi composta por 109 RN a termo, saudáveis, internados na Unidade de Alojamento Conjunto do HU, entre agosto e setembro de 2015. A amostra foi randomizada e os RN alocados nos Grupos Experimental (GE amamentação + contato pele a pele iniciada 5 minutos, antes da administração da vacina de BCG) e Controle (oferta oral de 2 ml de solução glicosada 25% ao RN posicionado verticalmente no colo materno, 2 minutos, antes da administração da vacina de BCG).O desfecho primário analisado foi o escore de dor obtido com a avaliação pela escala Premature Infant Pain Profile- Revised (PIPP-R). O escore de dor foi obtido em seis intervalos de 30 segundos (30, 60, 90, 120, 150 e 180 segundos) pós-administração da vacina. Os desfechos secundários avaliados foram os indicadores fisiológicos frequência cardíaca (FC) e saturação de oxigênio (SatO2), além de alterações na mímica facial - sobrancelhas salientes, olhos espremidos e sulco nasolabial, duração do choro e eventos adversos. Os dados foram obtidos por meio de filmagens do recém-nascido para captar a mímica facial e do display do monitor multiparamétrico com os registros da FC e SatO2. Os dados foram extraídos por meio da análise segundo a segundo das filmagens e foram registrados em formulário impresso próprio e, posteriormente, armazenados em planilha Microsoft Excel. A análise estatística foi processada no programa do pacote estatístico SPSS 20. Para analisar a homogeneidade da amostra, foram utilizados os testes Qui-quadrado ou Exato de Fisher para variáveis qualitativas e o teste t pareado para comparar as médias das variáveis quantitativas.Os dados das variáveis quantitativas das medidas repetidas, como FC e SatO2, foram analisados com o Modelo de Análise Misto, e as medidas repetidas de escores de PIPP-R analisadas pelo modelo ANOVA (Modelo Geral Linear). O projeto de pesquisa foi aprovado pelos Comitês de Ética da Escola de Enfermagem e do Hospital Universitário da Universidade de São Paulo e registrado no Registro Brasileiro de Ensaios Clínicos. Resultados: A distribuição das variáveis sexo, gemelaridade, tipo de parto, Apgar, peso, idade gestacional, número de procedimentos dolorosos anteriores e tempo desde a última mamada apresentaram distribuições homogêneas entre os grupos experimental e controle. Os escores de dor foram inferiores no GE (p=0,002). Não houve diferenças estatisticamente significantes em relação ao tempo de choro (p=0,745) e ocorrência de eventos adversos (p= 0,618). Conclusão: A combinação da amamentação no contato pele a pele apresentou efeito analgésico superior à oferta oral de glicose 25% com o RN no colo materno, como resposta dolorosa do RN à vacina de BCG e que apresenta segurança para ser indicada, como intervenção analgésica na prática clínica.
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 05.07.2016
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      OGAWA, Luciana; KIMURA, Amélia Fumiko. Efeito da combinação da amamentação e contato pele-a-pele na dor induzida pela vacina BCG em recém-nascidos a termo: ensaio clínico randomizado. 2016.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2016. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/7/7141/tde-31082016-164246/ >.
    • APA

      Ogawa, L., & Kimura, A. F. (2016). Efeito da combinação da amamentação e contato pele-a-pele na dor induzida pela vacina BCG em recém-nascidos a termo: ensaio clínico randomizado. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/7/7141/tde-31082016-164246/
    • NLM

      Ogawa L, Kimura AF. Efeito da combinação da amamentação e contato pele-a-pele na dor induzida pela vacina BCG em recém-nascidos a termo: ensaio clínico randomizado [Internet]. 2016 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/7/7141/tde-31082016-164246/
    • Vancouver

      Ogawa L, Kimura AF. Efeito da combinação da amamentação e contato pele-a-pele na dor induzida pela vacina BCG em recém-nascidos a termo: ensaio clínico randomizado [Internet]. 2016 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/7/7141/tde-31082016-164246/


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021