Exportar registro bibliográfico

Amostragem e medidas de qualidade de shapelets (2016)

  • Authors:
  • Autor USP: CAVALCANTE, LUCAS SCHMIDT - ICMC
  • Unidade: ICMC
  • Sigla do Departamento: SCC
  • Subjects: ANÁLISE DE SÉRIES TEMPORAIS; APRENDIZADO COMPUTACIONAL; MINERAÇÃO DE DADOS
  • Keywords: Classificação de séries temporais; Transformada shapelet; Medidas de qualidade; Amostragem aleatória; Classification of time series; Shapelet transform; Quality measurements; Random sampling
  • Language: Português
  • Abstract: Uma série temporal é uma sequência ordenada pelo tempo de valores reais. Dado que inúmeros fenômenos do dia-a-dia podem ser representados por séries temporais, há grande interesse na mineração de dados temporais, em especial na tarefa de classificação. Recentemente foi introduzida uma nova primitiva de séries temporais chamada shapelet, que é uma subsequência que permite a classificação de séries temporais de acordo com padrões locais. Na transformada shapelet estas subsequências se tornam atributos em uma matriz de distância que mede a dissimilaridade entre os atributos e as séries temporais. Para obter a transformada é preciso escolher alguns shapelets dos inúmeros possíveis, seja pelo efeito de evitar overfitting ou pelo fato de que é computacionalmente caro obter todos. Sendo assim, foram elaboradas medidas de qualidade para os shapelets. Tradicionalmente tem se utilizado a medida de ganho de informação, porém recentemente foi proposto o uso da f-statistic, e nãs propomos neste trabalho uma nova denominada in-class transitions. Em nossos experimentos demonstramos que a inclass transitions costuma obter a melhor acurácia, especialmente quando poucos atributos são utilizados. Além disso, propomos o uso de amostragem aleatória nos shapelets para reduzir o espaço de busca e acelerar o processo de obtenção da transformada. Contrastamos a abordagem de amostragem aleatória contra uma em que só são exploradas shapelets de determinados tamanhos. Nossos experimentos mostraram quea amostragem aleatória é mais rápida e requer a computação de um menor número de shapelets. De fato, obtemos os melhores resultados ao amostrarmos 5% dos shapelets, mas mesmo a uma amostragem de 0,05% não foi possível notar uma degradação significante da acurácia.
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 02.05.2016
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      CAVALCANTE, Lucas Schmidt; BATISTA, Gustavo Enrique de Almeida Prado Alves. Amostragem e medidas de qualidade de shapelets. 2016.Universidade de São Paulo, São Carlos, 2016. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/55/55134/tde-07112016-162458/ >.
    • APA

      Cavalcante, L. S., & Batista, G. E. de A. P. A. (2016). Amostragem e medidas de qualidade de shapelets. Universidade de São Paulo, São Carlos. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/55/55134/tde-07112016-162458/
    • NLM

      Cavalcante LS, Batista GE de APA. Amostragem e medidas de qualidade de shapelets [Internet]. 2016 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/55/55134/tde-07112016-162458/
    • Vancouver

      Cavalcante LS, Batista GE de APA. Amostragem e medidas de qualidade de shapelets [Internet]. 2016 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/55/55134/tde-07112016-162458/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021